Crianças roupas

14/set/2020 - Explore a pasta 'Costura para crianças' de Sirlei no Pinterest. Veja mais ideias sobre Costura para crianças, Vestidos infantis, Roupas de crianças. A VOVA utiliza cookies para lhe oferecer a melhor experiência. Ao continuar, você concorda em receber todos os cookies da VOVA. Saiba mais na Política de Privacidade. OK Roupas de Crianças Que Nunca Saem da Moda Para Usar Neste Ano 11 de janeiro de 2018 Crianças , Todos os Posts O fato é que a moda infantil acaba sempre tomando como referência a moda adulta, porém é muito importante que as peças das crianças tenham um toque infantil para que seja preservado os valores da infância, que deve ser mantido ... 14/fev/2020 - Explore a pasta 'Roupas fashion infantil' de Thaiana Simões no Pinterest. Veja mais ideias sobre Roupas fashion infantil, Roupas de crianças, Roupas infantil. Aproveite Agora! Roupa Infantil Para Meninos, Meninas e Bebês Com melhor preço do Brasil, confira! 2% Off no Cartão á Vista Até 10x Sem Juros Frete Grátis a partir de R$249 Alibaba.com oferece 2149 produtos de roupa africana para crianças.Cerca de 4% deles são roupas da áfrica, 1% são vestido & saias tamanho extra, e 1% são vestidos casuais. Há uma vasta variedade de opções de roupa africana para crianças disponíveis para você, como artigos do em-estoque, serviço de oem. ... 17/set/2018 - Explore a pasta 'moda africana infantil' de laura, seguida por 344 pessoas no Pinterest. Veja mais ideias sobre Moda africana, Africana, Moda. 13/set/2016 - Explore a pasta 'Roupas de Criança' de Rejane Vila Nova, seguida por 169 pessoas no Pinterest. Veja mais ideias sobre Roupas de crianças, Roupas, Moda infantil. 5/ago/2020 - Explore a pasta 'vestido infantil' de Janete Lopes da Costa no Pinterest. Veja mais ideias sobre Vestidos infantis, Roupas de crianças, Moda infantil. Roupas de Bebê. As roupas de criança devem ser escolhidas com muito cuidado e atenção. Nessa época de inverno, o casaco para bebê seria a peça ideal para ter no guarda-roupa dos seus filhos. Aqui na Tricae você encontra diversas roupas para as suas crianças, trabalhamos tanto com as blusas bebê em geral, como também com roupas para uma ocasião mais especial.

Jornalismo literário. Será que vira?

2020.09.28 21:13 Samuel_Skrzybski Jornalismo literário. Será que vira?

Oi, amigos :)
Eu sei que esse sub não é exatamente lugar disso. Eu sei também que existem centenas de desabafos realmente sérios aqui e que merecem muito mais a sua atenção do que um mero pedido de feedback – e, aliás, sei também que tem gente aqui que detesta com toda a sua alma quando vem alguém aqui no desabafos fazer a tal "promoção pessoal". Mas não é isso. Eu tenho a mais triste certeza de que nenhum dos meus amigos ia ter o menor interesse e/ou paciência em ler o meu texto para me dar o famoso retorno – não exatamente pela falta do hábito da leitura, mas por me tratarem com uma ausência de seriedade quase que crônica. Então, bom. Acredito que eu tenha o meu espacinho aqui.
Vai, uma breve contextualização: eu faço jornalismo em uma estadual, estou no comecinho do segundo termo e tenho me apaixonado perdidamente pelo new journalism de Truman Capote & Gay Talese. Até aí, ok. Mas nem tudo são flores nessa lua de mel: quem conhece o nicho sabe que é um mercado difícil e extremamente específico, ainda mais aqui no Brasil. Ou seja, para arriscar toda uma carreira no jornalismo literário, não tem jeito: tem que saber fazer. E, é claro. É somente o meu primeiro ensaio no modelo diversional e não está tudo indo às mil maravilhas – longe disso. Mas eu queria muito saber de terceiros se levo jeito. Seria muito convencional ser o meu único crítico agora, nessa fase de protótipos, dizendo em ressonância "Samuel, você escreve muito, cara! Vai nessa que é sucesso" e quebrar a cara no futuro, no mercado, quando o bicho realmente pega. E aí seria, mais uma vez, muito convencional colocar a culpa nos outros. "Vocês não entendem a minha genialidade!". Já vi acontecer muito. Já aconteceu comigo.
Eu sei que a escrita é uma das minhas mais manifestas aptidões – caso não fosse, eu teria apostado as minhas fichas em uma engenharia ou nas ciências biológicas. O que eu quero descobrir é se consigo esqueletar uma narrativa verdadeiramente envolvente com o que eu escrevo. Quem faz ou manja um pouquinho de jornalismo sabe que no hard news o texto é quase que uma fórmula pronta a ser usada: da estrutura do lead, dos critérios de noticiabilidade, da pirâmide invertida, etc, etc etc. Mas para fazer jornalismo diversional é requisito mínimo ter alma de jornalista-escritor, não tem jeito.
Mais um pouco sobre a breve contextualização (risos): o que segue abaixo é um trechinho – a história completa seria uma Bíblia inteira e vocês certamente iam me jogar tomates nos comentários hahahaha – do meu primeiro projeto pessoal no jornalismo literário, que se chama "Do amor e suas amarras". A ideia central é falar acerca de um evento fantástico que tem acontecido comigo recentemente: o amor, de facto, pela primeira vez em meus 20 anos de vida. Uma paixão espalhafatosamente platônica por uma garota – também estudante de jornalismo, alguns semestres na minha frente – que está em um relacionamento sério já há 54 semanas, muito antes das nossas vidas se cruzarem. Mas antes de abordar as minhas primeiras impressões sobre esse sentimento estrambótico, arrasador e abstrato, eu quero passear por algumas histórias específicas que ilustram com fidelidade a personalidade dos quatro membros da minha família, com quem convivo desde sempre – incluindo eu –, de modo que um relato leve a outro até chegar, por fim, no meu amor incondicional e tosco pela menina.
A história condutora deste trechinho é factual, ela de fato aconteceu há cerca de doze ou treze anos no passado – "integralmente real, embora nem tudo seja verdadeiro". Escutei ela inúmeras vezes da minha mãe, a tal Nadia Saldanha – personagem principal da narrativa –, no decorrer da minha vida, sobre como ela "injustamente" foi chutada para fora da Pastoral da Família da tal Igreja de São Miguel Arcanjo.
O que eu quero são sugestões sobre pontos onde eu posso melhorar e críticas – críticas construtivas, pelo amor de Deus!
[Ah, a propósito, de antemão, eu já deixo uma pergunta: eu percebo que, em meus escritos, as frases sempre são exageradamente longas. Às vezes contruo parágrafos inteiros utilizando somente um ou dois pontos finais. Vocês acham que isso atrapalha muito a vida de quem lê? Ao ponto do leitor se perder no meio da frase e tal]
E, em especial, eu quero saber se vocês acham que é plausível para mim visualizar um futuro dentro do jornalismo literário. Não precisa ser uma resenha crítica estruturada, mega sofisticada. Pode ser um só um "Vai fundo, mano!" ou um "Ih, com todo o respeito, acho melhor tentar em outra área!".

p.s.1: Se algum colega jornalista aqui do sub quiser conversar sobre jornalismo literário, eu estou totalmente aberto. O processo de "apuração" e decupagem do jornalismo diversional é MUITO legal.
p.s.2: Eu coloquei nomes alternativos em cada personagem do meu texto. Digo, não somente nos personagens: a Igreja, o nome do bairro, a rodovia, a cidade, todos os elementos foram adaptados. Sei lá, a gente nunca sabe quando vamos ser reconhecidos por essas redes hahahahaha
p.s.3: Eu sei, eu sei, eu sei. O EscritoresBrasil seria o lugar ideal pra esse help. Mas a última thread de lá tem já os seus cinco meses. Eu literalmente iria falar com as paredes.
p.s.4: Perdão pela introdução exageradamente extensa. Eu me emociono!
p.s.5: Boa leitura! :)

***

DO AMOR E SUAS AMARRAS.
Quando se ama, em verdade, muito mais do que se sabe – tem-se a mais pia e categórica certeza. Camões, decerto, não se valeu de qualquer recurso hiperbólico que fosse quando afirmou que amor é fogo. Fogo que arde e não se vê – e depois, onde não se queima, ao menos não no sentido literal e denotativo da palavra.
E quando o fogo consome, não há margem para dúvidas. O calor infernal, a cor alaranjada vivíssima, as cinzas e a fumaça tóxica se espalhando por todos os quatro cantos. Somente um ser inteiramente tresloucado poderia proferir a irrisória frase “Eu acho que minha casa está sendo consumida por chamas!”.
Da mesma forma, quando se ama, não há espaço para achismos.

***

Quando eu tinha uma década e meia de vida, mantendo com rigor ímpar a tradição secular de minha família, passei a praticar ativamente a minha Fé católica. Meu nome, até então tão somente mencionado dentro do universo à parte do catolicismo em meio às intenções da Santa Missa – pela paz, saúde e prosperidade na Fé cristã de Samuel Skrzybski de Almeida Passos e João Vitor de Almeida Passos – ou como uma menção efêmera dos fiéis da Igreja de São Miguel Arcanjo ao falar dos laços familiares de Nadia Saldanha de Almeida Passos – mais precisamente, de seu filho primogênito –, passei a compor, com uma respeitável responsabilidade para com os assuntos celestes à despeito da pouca idade, o corpo de catequistas, de acólitos e de integrantes da Liturgia da Palavra da comunidade, além de me tornar figurinha carimbada nos eventos de caridade, de emancipação da Fé ou de Cura & Libertação promovidos pelo único templo católico do Jardim das Cerejeiras, bairro polarizado entre casarões e barracos, entre verdadeiros palacetes de ricaços que encontravam um simpático refúgio no interior quando o CO2 dos grandes centros sufocavam para além da conta e casebres dos que amargavam na penúria econômica extrema.

***

Nadia Saldanha, mulher baixinha de 40 anos de idade mal vividos, os olhos verde-clarinho, os cabelos loiros, quebradiços e maltratados e a estatura naturalmente retraída, era uma leiga dentro da comunidade Católica Apostólica Romana – no entanto, amplamente conhecida e reconhecida pelos outros fiéis da São Miguel Arcanjo, máxime pelos de longa data. Com pontualidade inexorável, Nadia com frequência chegava na Igreja trinta minutos antes do início da Santa Missa, junto do marido e dos dois filhos, para participar da maçante reza do Terço das Lágrimas de Sangue de Nossa Senhora Rosa Mística e somente deixava as instalações sagradas quinze minutos depois do último Amém do sacerdote, literalmente no apagar das lâmpadas, ajoelhada no genuflexório com os olhos muito bem fechados e com a cabeça ligeiramente encostada no banco da frente em sinal de penitência, na companhia unicamente dos siriris desnorteados pela escuridão e de uma ou outra senhorinha – e do Santíssimo, é claro – entre agradecimentos, lamúrias e pedidos em uma linha direta com o Divino.
Casada há quase vinte ciclos com Samuel Alves Passos, Nadia Saldanha certamente não se mantinha como leiga meramente por vontade própria. Há cerca de dez anos no passado, foi uma das mais dedicadas mulheres a marcar presença na Pastoral da Família da Igreja de São Miguel Arcanjo – ala da comunidade criada e integrada exclusivamente por mulheres que não mediam esforços em uma cruzada enérgica e venerável contra a mortalidade infantil, em especial, em favor das crianças pobres do Jardim das Cerejeiras. De certo, dezenas de meninos e meninas miseráveis não tiveram o seu direito mínimo de viver negado por intervenção da arrecadação constante e distribuição em massa de latas de 400g de leite em pó e da pesagem semanal dos gaiatos nas instalações da Igreja, em um consórcio com o Posto de Saúde Municipal do bairro. Na Pastoral, entre conversas, a sério, necessárias para o alinhamento do grupo de atuação e frívolas rodas de fofoca, Nadia trazia na ponta da língua, sempre afiada, tudo o que os mais reacionários e fundamentalistas membros do catolicismo queriam ouvir, em um momento onde a luta por direitos civis das minorias começavam a efervescer de fato no seio da sociedade brasileira.
– Esses boiolões, filhos do Tinhoso! Não respeitam ninguém! Querem destruir o sonho de Deus, que é a família!
O discurso, com o passar dos anos, não arrefeceu. Ao contrário: os bramidos de Nadia Saldanha se lançavam cada vez mais aos extremos conforme as pautas da bandeira arco-íris emplacavam nas casas legislativas federais, estaduais e, a priori, no debate público. E até mesmo os católicos mais conservadores da Igreja de São Miguel Arcanjo assimilaram o movimento: já não se podia pregar a morte aos degenerados em meio aos sermões clericais sem parecer extravagante demais. Enfim, a ficha caiu: a Idade das Trevas já havia ficado para trás e agora tão só era palpável nos livros de história. Em ambientes privados, como já era de praxe, as irmãs em Cristo de Nadia seguiam proferindo e proliferando as mais inadmissíveis e desumanas manifestações de ódio, imaginando um mundo utópico onde a decapitação de homossexuais fosse via de regra e as mulheres se colocassem em seu devido lugar com roupas mais decentes – estranhamente, ao que parece nenhuma delas teve o insight de mudar-se ao Irã e se converter ao Islão jihadista, para que tivesse os seus mais asquerosos desejos concretizados. Em espaços públicos, entretanto, os discursos terroristas se reduziram a uma antipatia repleta de frases ditas somente até a metade, embebidas em raiva e rancor por detrás. Nadia Saldanha foi na contramão.
– Esses viadões desgraçados! O mundo está perdido mesmo, é o fim dos tempos! Mas o que é deles está guardado por Deus, você pode ter certeza. Não há frescura que um tiro na cabeça ou uma facada nas costas não resolva na hora. Bom samaritano é aquele que adianta o trabalho do Pai e envia as obras do Chifrudo de volta para Ele, onde haverá choro e ranger de dentes!
Foi risível. Foi uma piada pronta. E foi, sobretudo, ridículo. Mas a Igreja Católica, ainda tão intransigível quanto ao seu repúdio e rechaço às bandeiras e às práticas dentro e fora das quatro paredes dos LGBTQI+, viu a urgência de afastar Nadia Saldanha das atividades de caridade eclesiásticas justamente em seu ódio descontrolado pelos integrantes daquela comunidade que tantos outros católicos também odiavam em segredo com todas as suas forças. O pecado, decerto, não era a homofobia. Durante os intermináveis instantes de chilique contra os gays, as lésbicas e “os homens que viram mulher e as mulheres que viram homem” de Nadia nas reuniões de quinta-feira da Pastoral da Família, arranjada em uma salinha 8x8 lúgubre nos fundos das dependências da Igreja de São Miguel Arcanjo, não havia uma sílaba de objeção por parte das colegas de Pastoral de Nadia Saldanha. Longe disso: em cada um de seus discursos travestida de Silas Malafaia ou de Marco Feliciano, Nadia não mais que recebia tímidas concordâncias com a cabeça de sua plateia, carregada de constrangimento por não se sentir no direito de se unir a ela e fazer coro à sua fala doentia. O pecado, com efeito, era escrachar para quem quisesse ver que corridos dois milênios depois de sua fundação sobre a Pedra de São Pedro, a Igreja Católica estava mais arcaica do que nunca e tão intolerante como sempre.
Valentina Martinez era uma mulher de 51 anos que se vestia como se fosse ao menos três décadas mais velha. As saias imensas que iam até os pés estampadas em um florido fosco, os sapatinhos fechados sem cadarço, a jaqueta de couro reles em um tom de marrom esquisito que destoava totalmente dos vários azuis da saia. O cabelo, preso dia e noite, acentuava alguns vários fios brancos no rabo de cavalo. De voz aguda e encolerizante, era praticamente consenso entre cada morador do Jardim das Cerejeiras que tivesse conhecimento da figura que Valentina, muito diferente de Nadia Saldanha – uma de suas companheiras de Fé mais íntimas –, era desmedidamente extrovertida. Era parte da rotina de Valentina Martinez cantar e dançar louvores fora de hora e fazer as mais embaraçosas brincadeiras, por pura e genuína inocência, também fora de hora, afora o irritante e incorrigível hábito de se comunicar quase sempre à distância – o primeiro estridente “OIEEE!” de Valentina podia sair, a plenos pulmões, quando esta estivesse a trinta metros ou mais de seu interlocutor. Esposa já há duas boas décadas de Samuel Rodrigues, o Samuquinha, caminhoneiro que sempre estava em algum lugar entre São Paulo e Santa Catarina, menos em casa, e mãe virtualmente solteira de um rapazinho de onze anos, que tinha o mesmo nome e apelido do pai, Valentina, como toda mulher prendada daquele bairro católico, era uma exímia dona de casa. E foram as curtas conversas corriqueiras sobre afazeres do lar, sobre qual marca de removedor de manchas era mais eficiente para tirar a gordura das camisetas, e o credo na religião católica praticado ao menos três dias por semana dentro da Comunidade São Miguel Arcanjo que cruzaram os caminhos de Valentina Martinez e Nadia Saldanha assim que a primeira chegou ao bairro do extremo norte de Cubatão – o último antes da Rodovia Cônego Rangoni que leva até Santo André, cidade vizinha e mais famosa. E foi trabalho de Valentina, determinado pelo Comitê de Ética da Pastoral da Família, recém-formado para discutir a questão de Nadia e recém-dissolvido porque simplesmente não havia mais utilidade para ele dentro da Pastoral, comunicar Nadia Saldanha de seu “merecido descanso” – termo gentil e criativo que inventaram para cambiar “expulsão sem honras” – de seus ofícios na Pastoral da Família sem aviso prévio, sem chance de reconciliação, sem “choro ou ranger de dentes”.
Era o início de mais uma tarde de segunda-feira tórrida e feia em Cubatão – daquelas sem uma única nuvem no céu, que cegam a vista de quem ouse levantar os olhos. Nadia Saldanha estava dentro da Igreja, no presbitério, lustrando com todo o cuidado e capricho do mundo o Altar Sagrado, que detinha o segundo metro cúbico mais sagrado da Comunidade São Miguel Arcanjo – ficando atrás unicamente do Sacrário, onde Cristo se fazia presente como um vigia infindável. Foi quando Valentina Martinez respirou fundo e partiu para a hora da verdade. Se aproximou lentamente do Altar, sem chamar a atenção de Nadia – e ainda que tivesse se aproximado como era do seu feitio, aos berros, Nadia certamente não teria desviado a sua concentração e foco da tarefa sacra que realizara. Posicionada alguns poucos centímetros atrás do degrauzinho do presbitério, Valentina puxou o único assunto que tinha a mais plena certeza que ia prender integralmente a atenção de Nadia Saldanha.
– Ô, Ná! Você não sabe. Hoje de manhã eu fui levar o Samuquinha na escola e na volta eu me deparei com uma visão do inferno. Primeiro eu achei que era um casal. Olhei, olhei de novo. E aí eu percebi que eram duas meninas, de mãos dadas! E duas meninas tão bonitas, Ná. Ô, judiação!
– É, esse mundo está perdido – respondeu Nadia, sempre falando mais para dentro do que para fora e com um sotaque caipira mais puxado do que a média dos munícipes de Cubatão – O que é certo está errado e o que é errado está certo.
– E até lei elas têm agora, você viu? As sapatões. Se uma puxa o cabelo da outra, taca-lhe Maria da Penha nela! Estão ficando chiques! – Valentina Martinez falava com um sotaque interiorano ainda mais puxado do que a média dos que falavam com o sotaque caipira mais puxado que os demais cubatenses.
– Brasil! – e fez um som em deboche sem abrir a boca – País ateu!
– É Ná, parece que agora a gente vai ter que dar uma colherzinha de chá para elas, né?
– Colherzinha de chá?
– Evitar falar muito. Pode dar problema, você sabe...
O Altar Sagrado já estava mais que lustrado, mas Nadia Saldanha continuava indo com a flanela para lá e para cá no mármore. Depois de dois ou três minutos de silêncio constrangedor, Nadia retorquiu, ríspida, como se tivesse usado o meio tempo para formular a resposta.
– Talvez Deus também tivesse que ter dado uma colherzinha de chá para o Chifrudo no Paraíso...
– Que pecado! Ô, Ná!
– Pecado é querer tratar aberração como se fosse gente como a gente – sempre com um ar de deboche intragável na voz.
– Ná, os tempos são outros, as coisas mudaram – replicou Valentina, com a voz nervosa e atropelando suas próprias palavras na fala – A gente vai ter que aprender a conviver, eles estão ganhando espaço. Contanto que fiquem bem longe de mim e do Samuquinha, por mim está tudo bem.
– Essas Marias-João são a oitava praga do Egito. É a Nova Ordem Mundial, os Illuminatis. Tem dedo dos Senhores do Mundo aí, você pode ter certeza. Agora na Globo sempre tem uma bichinha nas novelas para influenciar os meus filhos a abandonar a família para morar com viadão por aí. Se não cortar o mal pela raiz, eles vão dominar tudo. É isso o que você quer, Valentina? A vinda do anticristo?
– Meu Senhorzinho do Céu que me livre!
– O mundo é o mundo. Casa de Deus é Casa de Deus. Se essas frescuras começarem a entrar aqui dentro da Igreja, eu prefiro comungar com um Ministro em casa.
– Era sobre isso que eu estava conversando com as comadres da Pastoral...
– O quê?
A pergunta desprevenida fez eco em cada um dos cantos da Igreja de São Miguel Arcanjo, do Sacrário à entrada aberta. Valentina já não se via em condições de explicar mais uma sílaba que fosse. Graças à oratória desastrada de Valentina Martinez e também à sua própria personalidade paranoide, Nadia Saldanha havia assimilado em sua mente distorcida que ela estava sendo escorraçada não apenas da Pastoral da Família, mas da São Miguel Arcanjo como um todo. Outrossim, também compreendeu que estava sendo banida não por seu radicalismo exacerbado e nocivo, mas por não ser complacente com a tal Agenda Gay. Mais dois minutos de silêncio constrangedor se seguiram. Até que Nadia, em um movimento rápido e imprevisível, pegou o balde cheio de água suja até a metade que estava manejando na faxina do interior da Igreja e atirou contra Valentina, que somente conseguiu desviar da água e do balde por um reflexo tão improvável que parecia ter sido obra autêntica da Divina Providência.
O que se seguiu foi um cenário manicomial. Nadia Saldanha berrava aos sete ventos, urrava feito um bicho, mas suas palavras e frases não seguiam uma linearidade – parecia ser algo sobre “Deus”, “Chifrudo”, “desgraçados” e “merda” – de modo que se tornava humanamente impossível entender o que Nadia queria dizer, posto que também já não falava – balbuciava fonemas rugindo, como uma criança raivosa em processo de alfabetização ou como se estivesse sob influência direta da Legião dos geraseno. Ademais, qualquer objeto ao alcance de Nadia Saldanha, sagrado ou não, se tornava perigosamente jogável. Galhetas, cálices, âmbulas – felizmente vazias. O arremesso, muitas vezes, era feito à deriva, não necessariamente contra Valentina, entre gritos cada vez mais ardidos, como se pelo simples prazer de quebrar as galhetas feitas em vidro. Os brados bestiais de Nadia, as súplicas desesperadas de Valentina Martinez – “Nadinha! Nadinha!” – e os estilhaços violentos contra o chão atraíram para dentro da Igreja as outras demais integrantes da Pastoral da Família, que estavam em vigília na comunidade naquele começo de semana. Ali, naquela guerra funesta diante do olhar, seguramente, de tristeza e reprovação do Corpo de Cristo no Sacrário e do chão coberto por uma mistura de cacos de vidro, vinho e água, todas as sete mulheres com as camisetas brancas e verde-floresta da Pastoral da Família formaram um círculo em volta do presbitério e, por conseguinte, em volta de Nadia Saldanha, como se estivessem lidando com um animal selvagem indomável, rosnando e prestes a avançar. Quando o animal finalmente avançou, na confusão, entre tapas e empurrões, Benedita, reconhecida pelas mais próximas como Tia Ditinha, a mais corpulenta mulher – quase senhora – de toda a Pastoral, contrariando o seu cognome no diminutivo, conseguiu agarrar Nadia pelas costas, como se estivesse prendendo-a em uma camisa de força, tremendo da cabeça aos pés como se a temperatura ambiente tivesse alcançado números negativos pela primeira vez na história da ardente cidadezinha de Cubatão.
Depois da fatídica e inesquecível segunda-feira no presbitério da Igreja de São Miguel Arcanjo, Nadia Saldanha se afastou completamente da Pastoral da Família, de suas atividades espirituais e, quem sabe, até de si mesma. O ocorrido não se espalhou ao ponto de chegar até todos os ouvidos dos fiéis, mas sem dúvida correu pela Comunidade São Miguel Arcanjo mais do que Nadia gostaria. Nunca mais se avistou ou teve notícias da mulher ou do marido, Samuel Alves. Nunca mais se viu Nadia, em seus pouco mais do que 1,60m, prostrada nos genuflexórios da Igreja após encerrada a Santa Missa de sábado. As línguas velozes dos mais mexeriqueiros chegavam a afirmar, com certo grau de convicção, que ela havia aderido ao protestantismo depois do trágico episódio. A Igreja Evangélica começava a imergir e a ganhar força dentro do Jardim das Cerejeiras, ao construir as suas ainda pequenas assembleias no bairro e ao cooptar alguns fiéis católicos – tanto foi que o Padre Machado, homem de meia-idade e de rosto gordinho e simpático, sacerdote responsável pela São Miguel Arcanjo, já virava todo o seu arsenal de críticas ácidas e de reprovação aos crentes em seus sermões que dividiam a Santa Missa.
– Usurpadores da Fé católica! Estelionatários de quinta categoria! Blasfemadores! Vivem de calúnias e difamações contra a Virgem Maria!
Até que, em um fim de tarde de um sábado de abril, avistou-se finalmente Nadia Saldanha ao pé da entrada da Igreja de São Miguel Arcanjo, cinco minutos antes do rito de entrada da Santa Missa – a mulher nunca mais voltaria a ter o hábito de rezar o terço antes da Celebração – e cinco meses seguidos depois daquela tarde de estilhaços e prejuízos. Estava ao lado do marido extremamente alto, ao menos para ela, e com sua expressão corporal de sempre, que denunciava sem rodeios a sua timidez excessiva e seus sentimentos de inferioridade. Apareceu, além do mais, sem os filhos em seu retorno – queria se certificar primeiro que não haviam trocado a imagem de São José pela de outra mulher ao lado de Maria de Nazaré e que não haviam hasteado uma bandeira violeta, anil, verde, azul, laranja & vermelho no lugar do Círio Pascal.
Nadia Saldanha continuou, afinal, marcando presença nas Celebrações da Igreja de segunda, quarta e sábado, dia do Senhor. Sempre no mesmo lugar, no penúltimo banco de madeira em verniz da fileira direita da Comunidade São Miguel Arcanjo. À direita, os dois filhos, Samuel e João. À esquerda, o esposo, Samuel Alves.

***

Se você chegou até aqui: por favor, bebe um copa d'água cheio, sai pra respirar um pouquinho. Eu sei o quanto a leitura demorou.
Obrigado por ler. De coração! :)
Não é todo dia que se interessam pelos meus escritos hahahaha.
submitted by Samuel_Skrzybski to desabafos [link] [comments]


2020.09.28 08:35 DiabelAtreyu Não me identifico?!

Nunca conheci ninguém como eu. Não me encaixo em lugar nenhum, quero dizer, em homem nem mulher.
É bizarro. As pessoas olham pra mim e ficam na dúvida eterna, não sabem se me chamam de ele ou ela, sempre foi assim. Não sei se parei no tempo ou se é meu jeito que inspira isso. Talvez menos, porque agora estou enorme de gordo.
Desde pivete, as crianças me chamavam de sapatao (???), bichinha (???), esquisito e por aí vai. Nunca tive interesse em ninguém.
Namorei um cara por 8 meses, foi um inferno. Ele queria forçar o coito de todo jeito, fazia chantagem emocional, essas coisas. Era tão bichinha quanto eu, mas mesmo assim eu conseguia subjugar ele, no braço. Passei 7 meses tentando terminar, mas me livrei do embuste. Eu não gostava dele, era pressão psicológica da família. Ele era meu amigo, mas estragou isso.
Namorei uma mulher que, até me conhecer, era super bem resolvida. Lésbica. Causei o inferno na cabeça dela, porque a coitada não aceitava que poderia gostar de mim ou manter uma relação que não fosse com mulheres, ainda mais com alguém mais novo. Fizemos 1 ano de namoro, me vejo casando com ela no futuro próximo mas, ainda assim, trânsito entre os gêneros.
Se eu visto roupa de homem, fico parecendo uma menina com as roupas do pai. Se visto roupa de mulher fico, nas palavras da minha morena, um menino travesti desengonçado.
Isso aliado ao fato que não sinto atração sexual, minhas partes baixas são praticamente mortas. Não, não é problema de saúde. É como se tivesse um banquete, mas eu não tenho fome (e como do mesmo jeito, até passar mal, porque amo demais essa mulher pqp).
É isso. Só queria falar em algum lugar que pudesse achar alguém como eu. Obrigado.
submitted by DiabelAtreyu to arco_iris [link] [comments]


2020.09.28 01:36 Maeve555 Sou bissexual?

Eu sempre me considerei hétero, sempre gostei de homem e sempre namorei homens, mas eu sempre senti tesão em mulheres. Desde criança quando eu ia na banca de jornais, eu sempre olhava pra dentro da banca e tinha umas revistas playboys com mulheres semi nuas, e eu sempre observava aquelas fotos, também lembro uma vez que acidentalmente vi uma mulher sem roupa e eu não conseguia tirar os olhos dela. Teve um dia que eu fui na casa de uma vizinha, brincar de casinha com ela, nós entramos nessa casinha e ficamos falando de umas coisas , e acabou que a gnt começou a tirar a roupa e ficamos nos esfregando, e eu acabei lambendo a ppk , mas isso foi por alguns segundos nada demais. Depois na adolescência eu comecei a me masturbar e eu pesquisava fotos de homens pelados e sentia um tesão MT forte, depois eu vi uma foto de uma mulher nua e eu senti um tesão forte também. Outro dia eu vi uma mulher rebolando de calcinha e e eu senti muito tesão também... E com isso eu passei a me questionar, como as lésbicas fazem sexo? Passei a pesquisar pornô lésbico, no começo achei estranho, mas depois senti um tesão forte demais e tocava muito pra elas, pesquisava mulheres se masturbando, rebolando sem roupa, mulheres transando, fotos de mulheres em várias posições. Mas eu revezava assistia tanto lésbico quando hétero e eu gostava muito dos dois. Mas em nenhum momento eu questionei a minha sexualidade, eu fazia tudo as escondidas , teve até um dia que minha amiga mostrou a foto de mulher pelada, que recebeu pelo zap, ela começou a rir, falou q tava com nojo de ver aquela mulher, já eu ri também e falei "que nojo" mas era só pra ela pensar que eu também tinha nojo, mas por dentro eu estava com muito tesão de ter visto aquela mulher. Então o que vocês acham disso? Sou hétero ainda ou bissexual?
submitted by Maeve555 to arco_iris [link] [comments]


2020.09.27 22:52 Maeve555 Sou Bissexual?

Eu sempre me considerei hétero, sempre gostei de homem e sempre namorei homens, mas eu sempre senti tesão em mulheres. Desde criança quando eu ia na banca de jornais, eu sempre olhava pra dentro da banca e tinha umas revistas playboys com mulheres semi nuas, e eu sempre observava aquelas fotos, também lembro uma vez que acidentalmente vi uma mulher sem roupa e eu não conseguia tirar os olhos dela. Teve um dia que eu fui na casa de uma vizinha, brincar de casinha com ela, nós entramos nessa casinha e ficamos falando de umas coisas , e acabou que a gnt começou a tirar a roupa e ficamos nos esfregando, e eu acabei lambendo a ppk , mas isso foi por alguns segundos nada demais. Depois na adolescência eu comecei a me masturbar e eu pesquisava fotos de homens pelados e sentia um tesão MT forte, depois eu vi uma foto de uma mulher nua e eu senti um tesão forte também. Outro dia eu vi uma mulher rebolando de calcinha e e eu senti muito tesão também... E com isso eu passei a me questionar, como as lésbicas fazem sexo? Passei a pesquisar pornô lésbico, no começo achei estranho, mas depois senti um tesão forte demais e tocava muito pra elas, pesquisava mulheres se masturbando, rebolando sem roupa, mulheres transando, fotos de mulheres em várias posições. Mas eu revezava assistia tanto lésbico quando hétero e eu gostava muito dos dois. Mas em nenhum momento eu questionei a minha sexualidade, eu fazia tudo as escondidas , teve até um dia que minha amiga mostrou a foto de mulher pelada, que recebeu pelo zap, ela começou a rir, falou q tava com nojo de ver aquela mulher, já eu ri também e falei "que nojo" mas era só pra ela pensar que eu também tinha nojo, mas por dentro eu estava com muito tesão de ter visto aquela mulher. Então o que vocês acham disso? Sou hétero ainda ou bissexual?
submitted by Maeve555 to sexualidade [link] [comments]


2020.09.27 21:19 Marlinore Aquele do sonho

Olá Turma, Editores, Inscritos, Convidado, Luba, Luna, Lucas, Família Tradicional Brasileira, Chegay. Hoje vou falar de um sonho estranho que tive, senta que lá vem história. Sotaque nordestino por favor, sou nordestina.
O meu sonho até onde eu me lembro começa com um orfanato americano no meio da floresta defronte a um lago, parecia ser os anos 30 pq tinham crianças órfãs com roupas antigas e a decoração parecia antiga, mas de repente apareceu um letreiro como o título " A menina que roubava livros"(na época que tive esse sonho, estava lendo o livro) e apareceu uma garota alemã loira com fitas vermelhas no cabelo dentro do orfanato com um livro na mão, no orfanato tinha uma criança pequena com uma deformação no rosto igual ao personagem August de Extraordinário. Os dois eram amigos e tinha nesse orfanato um grupo de valentões e esses meninos sempre brigavam como o August, mas um dos Valentões gostava da garota alemã, então para conseguir conquistar a garota alemã ele se fez de vítima como se tivessem o deixado a beira da morte e culpou o August, a garota alemã não pensou duas vezes trancou a porta do orfanato e bateu no August com um livro, ela bateu tão forte que August bateu a cabeça na porta de vidro e a cabeça sangrou. Ela saiu correndo pela porta dos fundos e foi para o quintal onde tinha um carro da polícia, um policial, Luba vestido daquela personagem de tranças amarelas que ele se vestia no início do canal, a dona do orfanato e um outro cara. Parecia que Luba e este cara estavam fingindo ser um casal hétero e iriam adotar uma criança, mas a dona do orfanato disse não e Luba começou a gritar dizendo que era mãe solteira e essas coisas de mãe solteira tipo: tenho que ter prioridade para adotar uma criança pq sou mãe solteira. O policial se irritou entrou dentro do carro e foi atrás dos dois (Luba e o Cara), mas tinha um lago em frente a esse orfanato e os dois correram para dentro do lago pulando como uma bailarina e passando a música Cant help falling in Love de fundo e o carro da polícia boiando tentando ir atrás deles bem devagar em pleno por do sol perto de um playground alagado, não sei o que aconteceu com a menina e o menino pq acordei na hora. Esse foi meu sonho bizarro bjs.
submitted by Marlinore to TurmaFeira [link] [comments]


2020.09.27 20:54 Maeve555 Sou bissexual?

Eu sempre me considerei hétero, sempre gostei de homem e sempre namorei homens, mas eu sempre senti tesão em mulheres. Desde criança quando eu ia na banca de jornais, eu sempre olhava pra dentro da banca e tinha umas revistas playboys com mulheres semi nuas, e eu sempre observava aquelas fotos, também lembro uma vez que acidentalmente vi uma mulher sem roupa e eu não conseguia tirar os olhos dela. Teve um dia que eu fui na casa de uma vizinha, brincar de casinha com ela, nós entramos nessa casinha e ficamos falando de umas coisas , e acabou que a gnt começou a tirar a roupa e ficamos nos esfregando, e eu acabei lambendo a ppk , mas isso foi por alguns segundos nada demais. Depois na adolescência eu comecei a me masturbar e eu pesquisava fotos de homens pelados e sentia um tesão MT forte, depois eu vi uma foto de uma mulher nua e eu senti um tesão forte também. Outro dia eu vi uma mulher rebolando de calcinha e e eu senti muito tesão também... E com isso eu passei a me questionar, como as lésbicas fazem sexo? Passei a pesquisar pornô lésbico, no começo achei estranho, mas depois senti um tesão forte demais e tocava muito pra elas, pesquisava mulheres se masturbando, rebolando sem roupa, mulheres transando, fotos de mulheres em várias posições. Mas eu revezava assistia tanto lésbico quando hétero e eu gostava muito dos dois. Mas em nenhum momento eu questionei a minha sexualidade, eu fazia tudo as escondidas , teve até um dia que minha amiga mostrou a foto de mulher pelada, que recebeu pelo zap, ela começou a rir, falou q tava com nojo de ver aquela mulher, já eu ri também e falei "que nojo" mas era só pra ela pensar que eu também tinha nojo, mas por dentro eu estava com muito tesão de ter visto aquela mulher. Então o que vocês acham disso? Sou hétero ainda ou bissexual?
submitted by Maeve555 to sexualidade [link] [comments]


2020.09.27 19:12 leodellapasqua Luz em Kiev

Gente preciso de ajuda, eu tenho salvo essa história de Kiev mas não encontro ela em nenhum lugar, eu gostaria de encontrar o criador dessa história se puderem me ajudar segue a baixo a história
Luz em Kiev
sec 2002 meu nome não importa estou aqui pra contar uma história da minha familia tenho descendência alemã e meu falecido avô lutou na guerra ele voltou meio pirado, sabe? é comprovado que alguns soldados voltam com trauma da guerra mas ele foi diferente ele nunca mais falou e nunca mais piscava o olho os olhos sempre pareciam que procuravam alguma coisa e ele nunca andou sem a Lüger dele eu nunca vi ele sem aquela pistola voltando a historia é da familia, mas quem contou a primeira vez foi um amigo dele, que lutou junto só eles dois sobraram o amigo dele também tava abalado se matou alguns meses depois de voltar pra casa mas vamos começar tudo começou na invasão da Rússia meu avô era parte de um pelotão condecorado, eles tinham lutado na Polônia e na França e quase ninguém tinha morrido eles eram respeitados por todo mundo, até os soldados de elite viam eles como iguais por causa dessa fama, os planos mais difíceis ficavam com o pelotão do vovô mas até aí tudo bem a invasão começou eles estavam destroçando os russos e já estavam lutando a algumas semanas um dia contataram o comandante do pelotão tinha um floresta em um pântano soviético perto de Kiev todo mundo que entrava lá não voltava então ne lá foram eles falaram que quando chegaram lá na frente todo mundo se arrepiou não passava nenhuma luz na floresta o ar parecia mais pesado um barulho pior que o outro mas o pior, pelo que disseram era que, ocasionalmente eles ouviam gente gritar até às vezes vinham uns tiros antes e o pelotão do vovô nunca soube de onde vinha ou quem eram mas, missão era missão começaram com o básico o pelotão tinha um panzer(tanque) de estimação o nome dele era "Alt Frau" significa Velha Senhora aquele panzer e a tripulação eram vividos o tanque era cheio de furo, arranhão mas a marca dele eram as esposas de cada tripulante pintados na frente do tanque estimulava os pilotos, sabe? se acertasse o tanque, acertaria as mulheres isso motivava os caras mas voltando mandaram o tanque primeiro ficaram esperando na frente da floresta, e deixaram o tanque rodar um pouco vocês devem estar pensando "mas um tanque não atola no pântano?" eu também perguntei isso mas como eu já disse a tripulação era vivida só atolariam se errasem e eles nunca erravam o tanque começou a rodar de noite o pelotão fez um acampamento na beira e esperou só ouviam o barulho do motor a floresta não fazia som nenhum passou algumas horas, e só o som do motor os soldados ja tinham até acostumado por isso estranharam quando tudo ficou quieto o tanque parou e o motor foi desligado todo mundo se entreolhou a Velha Senhora achou alguma coisa e ficou muito tempo assim os homens ficaram nervosos ansiosos a floresta continuava quieta apenas o estalar da fogueira quebrava o silêncio então o grave som de uma explosão o tanque disparou eles ouviam a MG34 do tanque disparando e não parava olharam pra floresta, e viam alguns clarões dos tiros e ouviam o comandante gritando se eram ordens ou não, ninguém sabia mais um tiro do canhão a MG não parava de atirar e então silêncio os clarões pararam a MG parou o canhão não disparou mais o motor não ligou silêncio o mais puro e tortuoso silêncio os soldados estavam nervosos uns suavam, outros seguravam a arma com força alguns ja tinham comecado a orar, baixinho e um grito ecoa pela floresta um grito de dor, sofrimento passou cortando por nós dentro da gente despertando medo agonia terror. um grito de desespero. quase animalesco o canhão dispara mais uma vez para nao mais aquela noite. os homens esperavam a ordem era o panzer voltar ao amanhecer nenhum de nós teve a coragem de dormir seja por medo ou respeito ao tanque ninguém dormiu . . . meio dia. o tanque não voltou o clima entre o pelotão tava ruim quase ninguém falava se falassem era um cochicho muito baixo e continuou assim até o anoitecer quando chegaram novas ordens agora a infantaria ia la dentro todos se olharam mas ordem é ordem prepararam as coisas e foram 50 soldados entraram na floresta e foram avançando estranhamente, os passos não faziam barulho não havia o farfalhar das folhas os galhos quebrando não havia som algum. só pararam de andar quando ficou escuro mas tão escuro, que não dava pra ver a própria arma ninguém tinha se atrevido a acender um sinalizador >para conseguir enxergar então meu avô falou, pela primeira vez desde que os soldados entraram ele apenas chamou os homens pra perto e quem tivesse acendesse um sinalizador ouviram o raspar do pavio do sinalizador três vezes a luz vermelha ia ficando mais forte e foram chegando perto uma da outra os soldados que seguravam a luz sentaram e esperaram os outros chegar também meu avô chegou sentou mais alguns chegaram e ninguém falou nada a luz estava estranha ela estava muito forte mas não iluminava eles conseguiam enxergar só os companheiros e vagamente, ainda os sinalizadores estavam apagando e só tinham 6 soldados eles nem se perguntaram nem se tocaram so formaram um círculo e acenderam mais um sinalizador não falaram nada então uma risada bem longe nada grotesco, ou histérico uma risada comum aquela risada, de quando contam algo engraçado pra você bem calma, a risada ia chegando perto os homens prepararam as armas não dava pra saber de onde vinha só que chegava perto até que o dono da risada apareceu atrás do vovô era um soldado russo todo maltrapilho roupa rasgada todo sujo e ria olhando pra luz sem tirar os olhos dela ria, igual criança quando ganha presente mas seus olhos não sabiam dizer se era felicidade ou loucura mas ele chorava ria e chorava a boca ria, expressava felicidade mas os olhos você via apenas loucura então ele parou de rir mas manteve o sorriso no rosto e disse algo em russo bem baixinho e passou a mao na cabeça do vovô igual quando você faz carinho em uma criança que está triste bem calmo, bem leve ele andou um pouco para trás com o sorriso no rosto puxou uma pistola do coldre e apontou pra própria cabeça e repetiu as palavras de antes então puxou o gatilho. ele não fez barulho quando caiu no chão. os soldados se olharam levantaram a risada do russo presa a cabeça deles o sorriso gravado na mente mas só o meu avô estava com medo ele era o único que falava russo e foi o único que entendeu "Luz. É bonita. Pena que acenderam" e eles continuaram a andar. . . . horas se passaram andando às cegas sem ver onde pisavam quando meu avô bateu em alguma coisa e caiu no chão deu um grito pra avisar que achou alguma coisa mas não pediu pra acender a luz. foi apalpando a coisa era de metal e grande sentiu uns arranhões era a Velha Senhora. não aguentou mandou acender um sinalizador talvez essa seja a coisa que ele mais se arrependa >em toda a guerra. alguém do lado dele acendeu e ele pode ver o gigante de ferro cheio de corpos em cima. um ja estava caído no chao os outros pareciam que estavam querendo fugir estavam mutilados destroçados e havia pânico nos seus rostos. subiram no panzer foram ver la dentro e, quando o vô abriu a escotilha alguém gritou. o piloto ainda estava la dentro com a perna mutilada e uma pistola na mão seus olhos expressavam loucura. ele não falava. o soldado do sinalizador chegou mais perto pra ver e inclinou o sinalizador pra ver lá dentro o piloto se apavorou começou a gritar pra apagar, enquanto se contorcia >pra tirar o sinalizador da mão dele o soldado se afastou, meio assustado enquanto o piloto ficava cada vez mais apavorado pedindo para apagar meu avô tentava acalmar o piloto mas ele se debatia, gritava, xingava então ele pegou a arma e atirou no soldado. meu avô gritou e apontou a própria arma pro piloto enquanto o corpo do outro soldado caía do tanque o piloto parou de gritar só chorava e no meio do pranto, perguntou, bem baixinho "por quê vocês acenderam?" e ficou chorando e repetindo até que alguma coisa balançou o tanque todo mundo se calou os soldados que restavam, prepararam as armas em volta do tanque silêncio ouviram uma respiração pesada de dentro do tanque ouviam um suave farfalhar como se alguma coisa estivesse se arrastando o piloto olhou para cima para meu avô só havia tristeza em seus olhos "corra. Por favor." e ficou repetindo meu avô estava paralisado o piloto é puxado para o fundo do tanque para a escuridão ele começou a gritar, enquanto disparava com a pistola meu avô pulou do tanque e começou a correr os outros seguiam ele correndo e, no meio da correria o piloto parou de gritar. parou de atirar. e o sinalizador no chão ao lado do corpo do soldado. . . . correram por muito tempo só pararam quando não aguentaram mais correr tentaram se encontrar na escuridão quando finalmente encontrou alguém acenderam um sinalizador o coração do meu avô parou só pensava no que o russo e o piloto disseram olhou em volta só tinham mais dois além dele se perderam dos outros? sentaram no chão meu avô tirou a ração de combate da mochila e começou a comer não porque queria ele estava sem fome nenhuma mas ele precisava os outros fizeram o mesmo. comiam, olhando pra luz em silêncio. . . . ouviram gritos e tiros parecia um outro grupo levantaram correndo e foram na direção dos tiros o tiroteio continuava mas quanto mais perto eles chegavam mais raros ficavam os sons quando chegaram lá ja não tinha mais nada. de repente um pouco a frente deles um soldado alemão acendeu um sinalizador estava sangrando, mancando com a arma na mão jogou o sinalizador no chão seus companheiros estavam no chão mortos. dilacerados. olhava em volta aflito meu avô e o grupo dele olhavam de longe o soldado continuava procurando alguma coisa deu uma rajada na floresta e, em um piscar de olhos alguma coisa grande pulou da floresta antes que ele se virasse ja tinha sido levado à escuridão não teve tempo nem de gritar. agora havia apenas um sinalizador e corpos no chão. silêncio. . . . meu avô apoia no ombro do seu amigo e o sinaliza para ir eles se viram dão de frente com o outro soldado ele continua olhando pra frente os olhos arregalados nem se mexe meu avô o chama ele nao se mexe chamou novamente sem resposta meu avô puxa ele ele cai no chão suas costas estão abertas atrás dele alguma coisa grande essa parte ninguém sabe sempre que tentavam falar meu avô chorava e o amigo dele travava eles nunca conseguiram falar disso. pelo que sabíamos, por alguns desenhos era gigante tinha pelos escuros mas era esquelética não tinha olhos e dentes do tamanho de uma mão. ao vê-lo eles travaram ninguém se mexia o medo os impedia de mexer qualquer músculo a coisa chegou perto do vovô e se inclinou chegou perto do rosto dele muito perto aquilo não fazia som nenhum só estava ali parado o sinalizador começou a apagar e nenhum dos três se mexia até ficar a escuridão total e a coisa a centímetros do rosto do vô ficaram ali sem se mexer no silêncio. . . . não sabem quanto tempo passou mas uma hora ouviram vozes distantes mas vozes e uma luz vermelha ao longe fraca mas o suficiente para ver a silhueta daquilo ainda parada ali então, ela se virou e foi na direção da luz. lentamente até sumir entre as árvores. e eles continuaram ali parados. só acordaram com os gritos e os tiros vindos da direção da luz começaram a correr inconcientemente, só corriam meu avô parou quando uma luz o cegou e sons muitos esperou os olhos acostumarem e olhou em volta saiu da floresta. alguns instantes depois, seu amigo mas o vô não riu nem chorou nem falou nada ele não expressava nada estava sério com os olhos levemente arregalados e ficou assim até o último dia de sua vida preso naquele momento naquele infernal momento que ele nunca mais esqueceu
submitted by leodellapasqua to historias_de_terror [link] [comments]


2020.09.26 16:30 LadyHuntress_ Tenho 24 anos mas tamanho e corpo de uma criança de 12 e sou amargurada por isso

Já fiz um outro desabafo sobre isso, mas continuo tendo de desabafar pois isso é uma coisa que sempre vai me incomodar. Eu tenho 1,50 de altura e 40kg, não tenho nada de peito, teria que crescer muito pra ser considerado pequeno, é minúsculo, minha bunda então é algo inexistente, eu uso calça tamanho 14 que é número de criança e ainda assim a parte de bunda fica folgada, não sei como é usar uma calça justinha no corpo. Pra piorar meus quadris são retos como de uma criança também, NUNCA uma calça de adulto fica bonita em mim. Eu queria demais usar uma calça que ficasse justinha em mim bem bonita, como vejo outras meninas/mulheres por aí usando, queria poder usar um vestido justo, um decote, meu sonho usar um decote mas como meu busto é reto não dá certo. Já pesquisei vários vídeos no YouTube de truques pro peito parecer maior, mas os truques ensinam basicamente a levantar usando meia, sutian apertado etc, mas pra mim nada funciona pois é tão pequeno que se eu tentar "levantar" o mamilo aparece. Da impressão que a puberdade nunca chegou pra mim, sei que chegou pois sou super peluda e menstruo. Fora isso qualquer pessoa que me veja na rua acha que sou criança. E isso não é paranóia minha. As pessoas me chamam de "mocinha", pedem meu RG pra comprar bebida, uma vez uma caixa fez eu dizer a data no meu nascimento porque ela achou que meu RG era falso; sempre que falo minha idade a pessoa fala "nossa achei que você tinha 12!"; todo mundo que não me conhece me trata como criança. Os homens nunca se interessam por mim, e eu entendo eles, não tem nada em mim atraente, quem vai se interessar por alguém com corpo de criança?? Só um pedófilo. Vocês podem falar "ah mas o que importa é a personalidade e alguém gostar de você pelo que você é", mas não é isso que eu quero! Sempre que saio com minhas amigas elas são paqueradas, eu sou a mascote da turma que os caras simplesmente ignoram ou acham que é a irmã mais nova de alguém, não consigo ficar com ninguém. Eu queria que alguém me desejasse e dissesse que me acha gostosa pra car****, eu queria dar uns beijos de vez em quando, me sentir bonita, me sentir com tamanho de gente, me sentir bem com uma roupa que caia bem em mim, mas isso nunca vai acontecer. Não quero ter que ter uma coisa séria pelo resto da vida com alguém só porque essa pessoa gostou da minha personalidade. Não quero! Eu quero ser bonita, quero ser gostosa, quero ser paquerada as vezes, eu tenho vergonha do meu corpo e da minha aparencia. No início do ano fiquei com um cara mas ele nunca mais quis, provavelmente de sentiu pegndo uma criança ou se decepcionou quando viu meu corpo já que como ando coberta ele nao sabia como era. Se eu tivesse dinheiro eu faria um monte de plástica, e faria cirurgia de alongamento ósseo, mas infelizmente não tenho e por isso vou ter de passar o resto da vida amargurada e em celibato, e torcer pra na próxima encarnação minha puberdade ser completa.
submitted by LadyHuntress_ to desabafos [link] [comments]


2020.09.24 05:02 DrackNael Capítulo 2 O Mosteiro

O Mosteiro

Na manhã seguinte , monges que estavam se preparando para começar suas orações e trabalhos do dia-a-dia , começam a ouvir um choro vindo do lado de fora da grande construção , que era como uma igreja com dormitórios no subsolo e uma pequena cozinha com refeitório.
-Por quê estamos ouvindo o choro de uma criança? - , pergunta um deles confuso.
-Sei tanto quanto você irmão! -, fala o outro , enquanto os sete monges se dirigem para o lado de fora em direção a um pequeno celeiro que não continha mais que 3 cabras.
Quando todos se deparam com uma criança em cima de alguns poucos fenos que tinham ali, enrolada em uma manta de cor bordo muito fina a primeira vista.
-O quê ? mas como ? Por quê tem uma criança aqui ? - fala um dos homens completamente confuso.
-Hum! -, responde um deles parecendo ser o líder do mosteiro.
-O que faremos irmão Serafim ? -, pergunta um confuso.
-O que mais podemos fazer?-, pergunta o homem para os outros , mesmo sabendo qual era a única resposta provável , iriam ter que criar a criança.
Uma criança que lhes fora deixada ali pra eles , mas porquê? , era uma ilha isolada em um grande lago , eles não viam outras pessoas a anos , mas a vontade da deusa é uma só , e o destino tinha colocado o garoto no caminho dos homens , então não restava a eles questiona.
-Vamos leva-lo para dentro - , fala Serafim , colocando o menino nos braços.
-Ele é um bebê -, começou outro monge , - não devia se alimentar apenas de leite materno? Só temos pão, leite , queijo e peixe , uma criança pode sobreviver se alimentando disso tão cedo? -, pergunta o monge
- Sinta a energia dele , é uma criança forte , ele sobrevivera -, comenta outro monge que estava do lado.
-Entâo vamos -, termina Serafim.
Então a criança foi acolhida , criada e educada desde entâo , mas desde pequena mostrava seu potencial , com cinco meses falou sua primeira palavra em um dia de oração matinal quando os monges terminaram, o menino pronunciou - amém - , depois dos monges , algo que os deixou abismados. Com um ano de vida começou a caminhar e com 2 já começava a aprender a ler e escrever com os monges Ricardo e Sareño que eram responsáveis pelos seus estudos futuros, mas não podiam ensinar tudo sobre o mundo pro menino, pois quando se reclusaram do mundo deixaram tudo para trás, se focando apenas na adoração a deusa Beneveth deusa da benevolência, não podiam ensinar mais do que o necessário para o menino, infelizmente, mas era o juramento que fizeram outrora.
Com três anos o rapaz já ajudava nos afazeres , e com 5 começou a aprender a meditar , o que demonstrou sua alta capacidade de concentrar sua energia que era a força interior da pessoa e que movia tudo no mundo , pois como os monges , eles meditavam e jejuavam o dia todo parando apenas a noite para se alimentar , orar e dormir.
Era um estilo de vida simples dedicado apenas a adoração e purificação, mas o rapaz era inquieto e tinha sede de algo novo , até que um dia aos 7 anos enquanto meditava, ele ouve alguém chamando um nome.
- DrackNael - ...
O rapaz olha confuso pros lados , ele ouviu uma voz chamar , mas era um nome que nunca tinha ouvido antes, mas não é como se a voz tivesse vindo de fora , era como se tivesse em sua cabeça , um pensamento talvez , ou ele tenha apenas imaginado enquanto estava em transe.
Então ele voltar a se concentrar na sua meditação, e quando finalmente se concentra ele ouve - Dragoon -, diz a voz , uma voz feminina doce aos ouvidos , era a primeira vez que ele ouvia uma voz feminina afinal de contas . Mas quando foca mais na voz ele a vê , a criatura mais magnifica que ele ja tinha visto em pé bem na sua frente um dragão majestoso , tinha uma cor azul fraca, devia ter uns 12 metros , as asas abertas mostrando toda sua beleza , havia um detalhe branco da sua pele que se destacava do azulado do começo do seu peito descendo pelo seu corpo se estendendo até a parte de baixo para o começo da cauda , 3 garras em cada uma das duas mãos e uma cauda com 3 extremidades cada uma com uma espécie de espinho na ponta.
-Quem é você? -, pergunta o rapaz completamente confuso , - Quem é DrackNael? -, continuou ele.
-Sou Dragoon e DrackNael é seu nome - , responde ela mais uma vez.
-Nome? eu não tenho nome os monges nunca me deram um , só me chamam de garoto -. Fala o rapaz.
-Mas é o seu nome é o que eu sei -, completa ela
- O que você faz aqui ? Onde estamos ? -, pergunta o jovem cada vez mais confuso.
-Aqui é o cosmos do seu subconsciente , onde eu vivo , e onde fica sua ligação com sua energia - . Responde ela.
-O que é você ? - pergunta ele .
-Sou um dragão , mas também sou seu esper -
- Dragão? o que é um dragão? e o que é um esper? -, pergunta o rapaz , achando tudo cada vez mais incrivel .
-Dragão é o que eu sou , minha raça e esper é o que eu sou pra você - completa ela
- Como assim ? Como você sabe disso tudo ? -, questiona ele , como se tivesse descoberto outro mundo, pois o jovem só conhecia o mosteiro e os monges eram proibidos de falar sobre assuntos do mundo la fora, pois se eles estavam isolados do mundo o rapaz também era para ser assim dizia o abade Serafim que era responsável pelo mosteiro.
-É a única coisa que eu sei -, continuou ela , - meu nome, o seu , minha raça , sua raça e meu estado - .
- Quê ? Minha raça ? Como assim raça? Sou um homem como os outros -, indaga o rapaz confuso.
-Sim você parece um homem , mas essa não é sua raça , o que eu sei é o que esta colocado fundo nos meus pensamentos , você é um ferabity , uma raça igual ao dos homens pelo visto -.
-Uma raça diferente, mas igual ? - , questiona o rapaz confuso
- É apenas o que eu sei , sinto muito - , fala o dragão com um ar doce , sua presença era gigantesca, mas seu ar era de bondade e calma , como se ambos fossem crianças de 7 anos o que Dragoon não aparentava já que era um dragão.
No outro dia durante seus estudos diarios , que eram bem simplórios , pois o abade não queria que o jovem crescesse na completa ignorância sobre o mundo , mas todos os assuntos eram bem rasos, apenas o ensinando a ler e escrever a linguagem usada no continente , as outras raças de pessoas que existiam , alguns reinos e suas hierarquias.
-O que é um dragão ? -, pergunta o rapaz ao irmão Ricardo responsável por essa parte dos seus estudos , quebrando o silêncio das suas tarefas .
- Quê ? dragão? -, ham ham, enquanto limpa a garganta meio chocado com a pergunta. - de onde tu tirou isso ? -, pergunta o homem, pois em todo o mosteiro não havia nada falando em dragões e era algo bem específico.
- Eu sonhei com essa palavra -, mentiu o rapaz com certo receio de represálias, pois tinha aprendido a confiar em seus instintos. Pois, certo dia perguntou ao abade o porquê de ele não ter um nome, - você não nasceu de nós , não cabe a nós dar-lhe um nome , se quiser um invente pra você - , respondeu o abade com certa frieza, pois todos o chamavam apenas de garoto.
-Um dragão é uma criatura mística , a mais rara e poderosa das criaturas do nosso mundo -, falou o irmão , - mas não era pra você sonhar com coisas que não conhece - , continuou ele .
-Não sei , só sonhei - , responde o rapaz.
-E um esper? o que é um esper ? -, pergunta o rapaz
- O quê? Um esper? Onde ouviu isso ? - , continuou ele , - sonhou também decerto neh ? - pergunta ele todo desconfiado , pois eram pergunta bem específicas e não podiam ter surgido do nada para ele em um sonho.
-Sim, claro de onde mais ? -, fala o rapaz com um sorriso sarcástico no rosto.
-Esper são criaturas que nascem junto com as pessoas e vivem dentro de si , algumas poderosas outras nem tanto , todos os espers possuem consciência própria , um esper pode tanto destruir a vida de seu receptáculo quanto ajudar, são raras e perigosas - , - agora cala boca e vai estudar-, terminou ele , com receio de que o abade pudesse ouvir suas perguntas e repreender os dois
Mas para DrackNael já havia sido incrível, em um dia tinha descoberto que o mundo fora do mosteiro era mais incrível do que parecia .
O tempo ia passando e DrackNael e Dragoon se tornavam cada vez mais unidos , pois eles eram um só , e não viam a hora de conhecer o mundo , e descobrir mais principalmente pela raça dos ferabity , coisa que ele não tinha pergunta mais pros monges , para não causar problemas.
DrackNael passou toda sua infância meditando , o que fez com que ele dominasse sua energia , que era a força vital das pessoas , que fora lhe ensinado outrora por Ricardo em uma das aulas , mas foi falado por cima para não instigar muitos questionamentos pelo jovem. Mas DrackNael tinha o dom , e não demorou pra ele ver o que a energia podia fazer , aprendeu a conjuração, através da energia que podia criar armas , basicamente era a única coisa que ele podia criar com energia , o que mostrava que o mundo tinha um sistema ativo de guerras e combates , pois não haviam motivos de seres-humanos poderem conjurar facas de suas mãos, mas ainda não tinha cem por cento de certeza sobre isso , então meditava , só podia fortalecer seu espirto , pois não podia tentar fortalecer seu corpo, pois era proibido no mosteiro , e com apenas uma refeição por dia não ajudava também , pois todos no mosteiro jejuavam durante o dia como purificação , acreditavam que só precisavam fortalecer a alma e quem fortalece o corpo tem intenções de usar a força e isso nunca é bom pra ninguém.
Então com sua vasta quantidade de energia e dom natural o jovem se tornou um mestre no controle da sua energia o que ela aparentava não ter fim . Então o tempo foi passando .
Então no seu 16º aniversário o abade chegou para o jovem e lhe disse , que estava na hora de escolher se ele ficaria ou partiria do mosteiro , que o trabalho deles estava cumprido e que o jovem podia decidir seus próprios passos por conta própria agora , más que ele era mais que bem-vindo a ficar no mosteiro, pois nunca foi visto como fardo. Era a primeira vez que o jovem reparava no abade ele era um homem alto com uma leve cicatriz na bochecha esquerda , como um corte , e um olhar forte e destemido , sem dúvidas um dia tinha sido alguém forte, talvez alguém o tenha acontecido pra ele se reclusar do mundo , talvez o rapaz tivesse o julgado mal e que no fundo o abade só estivesse tentando protege-lo do mundo .
Mas havia algo dentro do jovem que ansiava por partir, conhecer o mundo , pessoas , usar seu poder , ajudar quem precisa-se . Era apenas instinto, o que o movia , era instinto . Quem sabe até se tornar um rei , mas ele não sabia sobre isso , mas um dia tais palavras lhe foram ditas , ele só era novo de mais para lembra-las .
-Preciso partir ! -, responde ele com certo pesar , pois esses monges eram sua família e bem ou mal mesmo sem demonstração de afeto ou algo do tipo , mas eles cuidaram dele e o ensinaram tudo que sabia até então .
-Nós sabemos ! -, falou o abade , - sempre soubemos que você era especial de alguma forma , aqui tome -, fala o homem esticando os braços entregando algo para o garoto , - você estava enrolado nisso, no dia que o achamos , agora não parece ser nada mais que um cachecol -. Brinca o homem , era a manta cor bordo que tinha sido cuidadosamente guardada e ainda parecia ser nova. - você veio de algum lugar -, continua o abade , - Encontre-o se achar certo , não podemos lhe dizer nada infelizmente , pois você só tinha essa manta quando veio a nós , más se algo mudar pode voltar pra casa , o mosteiro sempre será seu lar -. Termina o abade
Essas palavras nunca tinham passado por sua cabeça , lar , pois ele nunca havia sentido que ali era seu lar até aquele momento , mas ele precisava partir e assim o fez.
Então o jovem entra em uma pequena canoa levando apenas alguns poucos mantimentos , suas roupas do corpo e seu cachecol e então ele entra no rio , a tristeza da partida que o fora atingido loco desapareceu , só restando a adrenalina de uma aventura em um mundo gigantesco para explorar.
submitted by DrackNael to u/DrackNael [link] [comments]


2020.09.23 23:05 Gdmu RITUAL: EAW (Efeito Alan Wake)

RITUAL: EAW (Efeito Alan Wake)
https://preview.redd.it/n8gqcgexoyo51.jpg?width=253&format=pjpg&auto=webp&s=8c6ab49e02c2e8b6f51e7be9d93130f9a3af34f5
ADVERTÊNCIAS
1.
O ritual a seguir não apresenta um método para que você obtenha tudo o que quer, e sim aquilo que você merece.
2.
Embora o ritual apresente características extremamente individuais, fazendo com que não exista um "jeito errado" de pô-lo em prática, é imprescindível que o leitor cumpra todos os passos envolvendo técnicas de segurança e proteção. Falhar em seguir estas orientações pode acarretar em danos permanentes.

INTRODUÇÃO:
O que faz uma história ser boa? Este é um questionamento que nunca fica sem resposta, seja ele direcionado à um grande acadêmico da comunicação ou para uma criança pouco antes da hora de dormir. Todos nós temos opiniões e preferências acerca do assunto, mas um ponto em comum entre nossas concepções é o de que a história precisa transmitir um sentimento. Para nos conectarmos, e por consequência apreciarmos uma história, ela precisa nos fazer sentir algo.
Segundo o professor Theodor Zimmermann,
"as melhores narrativas são aquelas que se encontram fortemente ancoradas em nossa realidade, independente de espaço ou tempo"¹.

Reconhecer características do mundo em que habitamos, assim reconhecendo a nós mesmos, é fundamental para criar o efeito proposto por uma boa história, independente de se tratar de um texto fantástico ou realista.
Esta certeza é abordada de forma criativa pelo jogo Alan Wake², que conta a história de um escritor que involuntariamente é capaz de dar forma àquilo que escreve. Embora a proposta seja bem trabalhada na obra citada, este não é de todo um conceito novo na ficção³, e embora muitos escolham ignorar, também não se trata de uma experiência que não possa ser replicada no mundo real. Atores, roteiristas, pintores, músicos, todos estes possuem um método para se conectar com suas obras de forma a criar uma âncora no mundo real para a fantasia.
Mas o que acontece quando os lugares, eventos e seres que habitam o seu imaginário são terríveis demais para encontrarem um duplo em nossa realidade? Como ancorar no mundo real uma história que não pode ser concebida por uma mente sã? O Efeito Alan Wake é uma saída para este problema.
Este método (ou ritual, chame como preferir) é uma ferramenta útil para todos aqueles que trabalham com o horror. Seguindo os passos, é possível potencializar o efeito de sua criação e elevar até mesmo o trabalho mais simples ao status de obra prima.

O MÉTODO:
Tudo o que você precisa para começar é ter uma ferramenta com a qual você possa escrever. Seu celular, por exemplo. Isso pode soar contraintuitivo para um desenhista que busca realizar o ritual, mas a palavra é o ponto de partida perfeito para criar o efeito desejado. Como dito pelo pesquisador Jules Pfeifer,

"A palavra é o primeiro código, a forma mais ancestral de transformar mente em matéria".

Embora nada impeça que você utilize outras formas de expressão para inicio ao ritual, a escrita se mostrou o método mais eficiente e definitivamente mais seguro.
Assim que você estiver pronto para escrever, tire um momento para se conectar com o ambiente. Explore seu quarto com os olhos, abra os ouvidos para os sons dos carros na rua. Acender um incenso ou até mesmo cheirar a roupa lavada é o suficiente para despertar
o olfato. Toque as coisas, prove algo, incentive seus sentidos a se conectarem completamente com o espaço ao seu redor.
A partir de agora, você é o personagem. Escreva sobre si mesmo em primeira pessoa, sempre no pretérito. Comece devagar, descrevendo tudo o que você percebe. Para que o método funcione, é preciso que você escreva sobre o momento presente, mas sempre com uma voz no passado, como se você estivesse assistindo à tudo isso do futuro. Assim que você sentir que a sua escrita está conectada plenamente com o mundo real, é hora de seguir adiante.

ALTERANDO A REALIDADE:
Embora nosso método só tenha realmente ganhado uma nomenclatura a partir deste estudo, podemos observar na história alguns momentos em que uma técnica semelhante já foi utilizada. Quando o explorador Roland Garros ficou perdido em uma geleira em meio a uma expedição ao Ártico no começo do século 20, podemos perceber uma proto-tentativa de alterar a realidade em seu diário:

"Não muito precisei caminhar para que me encontrasse em frente a entrada de uma caverna, uma promessa de sobrevivência em meio à vastidão gélida. Assim que entrei, pude sentir o calor da vida se espalhando pelos meus membros, e para minha surpresa havia ali uma vegetação rasteira com a qual pude me alimentar. Me sentindo agora seguro, mas extremamente cansado, montei um pequeno acampamento e me pus a esperar o resgate por parte de meus companheiros".

Como nós sabemos que Roland estava de fato alterando a realidade, e não simplesmente registrando o que de fato havia acontecido? A resposta está no destino infeliz do explorador Garros, que infelizmente só foi encontrado tarde demais. De fato, tudo o que foi escrito por ele aconteceu, porém Roland falhou em especificar que estaria vivo ao ser encontrado. Que este relato também sirva de aviso para quem ainda pretende colocar o método em prática.
Agora, os passos que você deve seguir para criar a realidade alterada consiste em sua capacidade de criar detalhes. Estando completamente conectado com o mundo real ao seu redor, comece a pensar em pequenas coisas que poderiam ser diferentes. Para que ocorra o efeito desejado, você precisa registrá-las no papel conforme for pensando. Escreva sobre o vento que bate em sua janela, o cheiro de queimado que vem da cozinha, ou o bater de leve da sua porta meio-aberta. É importante que a descrição envolva algo que você possa perceber imediatamente através dos seus sentidos, pois assim que as palavras forem escritas (se o contato com a realidade tiver sido propriamente estabelecido), você irá experimentar os efeitos da realidade alterada.

CRIANDO A CONEXÃO COM AS PROFUNDEZAS:
O processo até então envolve um esforço tanto físico quanto mental, por isso a próxima etapa pode se mostrar difícil para pessoas sem experiência. Feche os olhos por um momento, e imagine-se em um espaço vazio, com somente escuridão à sua volta. Imagine-se deitando no chão, e se deixe ser levado para baixo. É compreensível que a sensação de afundar faça com que você queira interromper o processo, mas você precisa lutar. Vença o medo e se deixe afundar. A partir de agora, os pensamentos que estarão preenchendo a folha não fazem mais parte da sua consciência. Você está conectado com as profundezas.
A parte mais desafiadora do processo vem agora: você precisa se manter em um estado de relaxamento, mas sempre atento às palavras que suas mãos escrevem. Deixe-se levar, mas mantenha-se vigilante àquilo que acontece ao seu redor. Pode ser que o quarto no qual você está agora não seja mais o seu. Pode ser que você veja seu corpo sair andando sem rumo, com as palavras sendo escritas agora somente em uma tela imaginária diante dos seus olhos. Existe também a possibilidade de que você veja monstros, sinta o cheiro deles, ouça sua respiração resfolegante, ou até mesmo que os pelos desgrenhados de uma besta rocem seu antebraço.
Nada disso é real, mas não quer dizer que você não precise se preocupar. Porque você já não faz mais parte da realidade, e sim da história que se desenrola a sua frente. Se você cometer algum deslize, pode acabar se machucando. Se por algum motivo as palavras na sua frente indicarem que algo ruim vai acontecer com
você, utilize a técnica de salvaguarda imediatamente.

TÉCNICA DE SALVAGUARDA:
A regra que você precisa seguir para se manter protegido é extremamente simples, mas também é o que caracteriza nosso método como um ritual. Segundo a ocultista Martha Portmore,

"Um ritual é caracterizado pela presença os seguintes passos: 1. uma vontade estabelecida por parte do praticante. 2. Um método composto de passos a serem seguidos. 3. Uma forma definida de interromper ou alterar o processo".

Em nosso ritual, nós chamamos este último tópico de técnica de salvaguarda. Quando você perceber que a situação pode estar se tornando perigosa para você, basta escrever um comando entre parênteses. Por exemplo: (isso não está acontecendo) ou (na verdade o demônio não me matou). Essa simples intervenção do praticante no decorrer do ritual é o suficiente para que você possa garantir sua segurança. Mas para que isso ocorra, é importante que você esteja sempre atento às palavras que surgem em sua tela. Não se deixe seduzir pela sensação prazerosa de fazer parte dessa história. A história é SUA, e não SOBRE você.

UM ÚLTIMO EXEMPLO:
Eu estava no meu quarto, sentado em minha poltrona com o celular na mão, enquanto escrevia um texto com o intuito de passar adiante o que descobri. O texto se desenvolvia de forma natural, e eu estava bastante satisfeito com o resultado. Foi então que eu senti que alguém me observava. Eu levantei os olhos do papel, enquanto minhas mãos continuavam registrando a experiência. Eu olhei ao redor e encontrei ali, no canto em que duas paredes se encontram, um buraco luminoso. Eu me aproximei daquilo que parecia uma janela, e percebi, para meu espanto, que se tratava de uma tela.
Eu estava de um lado, e do outro, estava você. Naquele momento eu sabia que você estava lendo o que eu acabara de escrever, eu podia sentir a conexão. Mas então eu senti que a minha realidade alterada começava a vazar pela tela. Um dos meus monstros estava agora atrás de você, e eu vi as garras dele se produzindo através da parte da frente do seu peito, e o jorrar do sangue cobriu a tela pela qual estávamos conectados (mas isso na verdade não aconteceu, e não havia monstro nenhum). Eu podia ver os seus olhos descendo pela tela, absorvendo o conhecimento que eu havia compartilhado com você. E eu sabia que precisava tornar isso real. Eu sentei na frente do meu computador e comecei a escrever um e-mail contendo toda a informação que eu acabara de escrever. Enviei para um endereço aleatório entre meus contatos, pois sabia que tinha que ser assim. Assim que eu cliquei no botão de enviar, voltei à minha poltrona e fechei os olhos. Quando voltei a abri-los, não lembrava de nada do que tinha feito. Foi só um sonho, eu pensei.

REFERÊNCIAS:
¹ ZIMMERMANN, Theodor. Verankerte Erzählung. 1 ed. Frankfurt: Nieder, 1991. Tradução do autor.
² Microsoft Game Studios. (2010). Alan Wake. [DISCO]. Xbox 360. Espoo: Remedy Entertainment Oyj.
³ Para uma introdução ao assunto, sugiro consultar a obra de Felix Leshalski, principalmente material escrito no período entre 1983-1987.
⁴ PFEIFER, Jules. The First Code. 3 ed. New York: Parabellum, 2002. Tradução do autor.
⁵The Last Hours of Roland. Montreal: Wildlander Magazine, 1997. Tradução do autor.
⁶ PORTMORE, Martha. Tools for Astral Warding. 1 ed. Dallas: Indigo, 1979. Tradução do autor.

NOTA FINAL:
VOCÊ TAMBÉM SENTIU? Eu não sei como ele fez isso, mas tudo parecia MUITO real.
Eu recebi esse texto do meu orientador de pesquisa ontem à noite, e fiquei morrendo de vontade de compartilhar com alguém. Enfim, eu falei com ele hoje e ele disse que não lembra de nada. Faz sentido né, com toda aquela história!
A narrativa em si não tem nada de muito elaborado e as referências não batem, mas o efeito que essa história teve em mim... Eu realmente não sei dizer como ele fez isso.
Olha só, como eu não pedi autorização para ele, não compartilha esse texto com ninguém por enquanto. Só te enviei porque realmente eu queria a sua opinião sobre a técnica que ele usou pra escrever. Não quero me meter em problemas por divulgar um texto de um autor sem a permissão dele.

NOTA DO AUTOR DESTA EDIÇÃO:
Não, eu não sou o amigo do cara que vazou o ritual. O texto chegou em mim através de um grupo, e quem compartilhou lá também jurou que havia recebido de outra pessoa. Eu não tentei o ritual, e ninguém que tava no grupo disse ter tentado. Eu não senti nada lendo o texto, mas pelo menos metade das pessoas do grupo que leram disseram ter sentido pelo menos alguma coisa estranha. Até onde eu posso dizer, não passa de mais uma creepypasta. Se você tem uma opinião diferente, pode guardá-la pra você!
submitted by Gdmu to historias_de_terror [link] [comments]


2020.09.23 18:03 agoracupom Troca de Estação: Renove o guarda-roupa do seu bebê

Troca de Estação: Renove o guarda-roupa do seu bebê
Primavera chegou, e com ela a necessidade de começar a ter roupas mais leves para os pequenos. É provável que as roupas do ano passado não sirvam mais para as crianças, então ir as compras é inevitável.
Buscar por promoções é fundamental nesse momento, então fica a dica de uma loja virtual que está crescendo muito, tem excelentes preços, e ainda pode oferecer cupons de desconto: Bebê Fofuxo.
Deixe seu comentário falando se conseguiu economizar nas compras online dessa loja.
submitted by agoracupom to u/agoracupom [link] [comments]


2020.09.23 16:38 amour_lavie Como tirar o namorado da minha mãe das nossas vidas?

PARTE 1
Oi LUBA, turminha que está a ver, gatas galáticas, Editores, T3ddy? JeanLuca, os únicos possiveis convidados kkk enfim a falta de amigos...
História longa mas vale a pena.
ALGUÉM AÍ PARA FAZER O TUTORIAL DE COMO TIRAR O NAMORADO DA MINHA MÃE DE NOSSAS VIDAS?
Os filhos sempre sonham em ter seus dois pais em sua infância, para abraçar, cuidar, receber conselhos e até mesmo bronca, nunca tive os dois ao mesmo tempo presentes na minha vida, cresci mais com minha mãe do que com meu pai, mas apesar de tudo o meu pai sempre busca estar em contacto comigo e com meus irmãos...a história começa quando conheci o Carls (troquei o nome para permanecer anónimo) quando ainda estudava a sexta série, inicialmente o conheci como amigo de minha mãe mas a minha perspectiva mudou quando uma vez voltava para casa e os encontrei numa situação digamos que duvidosa, na minha cabeça de criança eles estavam com pouca roupa porque estava calor.
anos se passaram e o sabido foi confirmado, eles estavam namorando, eu claramente entrei em choque mas apenas queria ver minha mãe feliz, passado algum tempo minha mãe foi agredida pelo Carls por conta da bebida, ele chegou as 8 da noite para saber onde minha mãe estava, ele estava muito alterado e estava gritando muito...culpei a minha irmã por meses por dizer a localização exata da minha mãe e pouco tempo depois ela aparecer com hematomas horriveis na cara. naquele dia eu disse o quanto odiava o Carls para minha mãe mas ela simplismente permaneceu calada.
No dia seguinte o Carls teve a coragem de aparecer para pedir desculpas mas nem eu nem minha irmã deixamos ele chegar perto dela, ainda lembro que meu irmão estava de viagem e assim que soube pegou a primeira passagem só para resolver essa situação, meu irmão estava cheio de raiva e estava a planear a vingança perfeita. assim que minha mãe soube ele pediu para meu irmão não fazer nada porque ela já tinha feito algumas chamadas e deu início a uma queixa na polícia, no dia seguinte ele estava preso, e depois de um mês ele continuava a mandar mesnagens a pedir desculpa na minha mãe. não mais de uma ano eles se reconciliaram e eu estava indignada, ela estabeleceu alguns limites como querer que ele não tocasse mais em bebidas e que pedisse desculpas em todos os filhos da minha mãe por nos submeterem a uma situação dessas e pouco depois ele foi pedindo desculpas até chegar a mim.
lembro que nesse dia meus primos estavam em casa mas ele pediu desculpas apenas a mim, não pediu nem aos meus primos que estavam no dia, eles estavam lá porque meus tios souberam do assunto e estava indignados e queriam saber como estávamos, eles estavam tão indignados quanto nós...ele pediu desculpas e eu disse apenas "tá" passado alguns anos mais já em outra circunstância algo mais aconteceu...CONTINUA TEMA SEGUINTE: O NAMORADO DA MINHA MÃE ME ROUBOU E EU POSSO PROVAR (fotos, prints, etc)
submitted by amour_lavie to TurmaFeira [link] [comments]


2020.09.20 23:23 Maeve55 Sou bissexual?

LEIAM TUDO POR FAVOR.
Um tempo atrás, eu conheci uma garota lésbica, eu mandava Oi direto pra ela mas ela n dava bola pra mim. Depois eu comecei a ter um sentimento estranho por ela, um sentimento que nunca havia sentindo antes por outra garota (pelo que me lembro). Quando eu via foto dela meu coração acelerava, me dava frio na barriga, eu pensava nela todos os dias e eu até entrava no perfil da mãe dela pra ver mais fotos dela e na minha mente eu só conseguia pensar "Puts que garota perfeita linda demais". Mas teve um momento que esse sentimento estranho e essa obsessão por ela já estava me incomodando porque eu não sabia que sentimento forte era esse, eu até pensei que fosse inveja ou rivalidade feminina porque ela desenha muito bem e é muito talentosa, mas depois vi que não era isso porque eu não desejava o mal dela, então eu pensei que poderia ser admiração e eu queria me inspirar nela. Eu tentava ser igual a ela, ter o mesmo pensamento que ela só pra impressionar ela e ela me dar bola (mas não deu certo kkkk). Quando minha mãe falava dela, eu já ficava toda eufórica e com sentimento estranho. Praticamente todos os dias eu mandava mensagem pra ela, mandando músicas, mandando Oi, falando como eu era super feminista e lgbt (só pra ela se impressionar kkkk),ou sempre mandava elogios pro os trabalhos dela, eu já estava louca com essa obsessão por ela que eu não sabia o que era, eu tentei esquecer ela, mas n dava ela não saia da minha cabeça então eu voltava a seguir ela. Eu curtia tudo dela, queria saber mais sobre ela, e poder tocar a pele dela. Quando ela postava storys falando, na minha mente eu pensava " Mano ela ta falando aaaah q voz mais linda, não acredito que estou ouvindo a voz dela" Kkkkkk. Há todo momento queria estar com ela abraçar, tocar o corpo dela (não do jeito sexual), e quando ela disse que era lésbica eu pensava "huuum ent me dá um beijo" "Então quer dizer que eu tenho uma chance com ela" "Vou tentar fazer ela gostar de mim" Mas outra parte da minha mente falava pra eu parar de pensar essas coisas porque era errado (fui criada em família muito religiosa). Eu até convidei ela pra minha festa, eu praticamente vou fazer essa festa só pra poder ver ela e abraçar ela (e também impressionar ela) kkkkkk, depois eu sonhei que estava dando um selinho na boca dela e nesse sonho os meus sentimentos por ela eram muito fortes e quando acordei eu pesquisei sobre sonhos, e vi que sonhos representam os nossos desejos mais profundos, então comecei a ficar nervosa e tentar pesquisar sobre bissexualidade, quando pesquisei eu me identifiquei um pouco com alguns relatos de descobertas de bissexuais, mas eu não queria aceitar de jeito nenhum que eu não era hétero, porque eu nunca tinha gostado de nenhuma garota na minha vida, só gostava de garotos, só namorava garotos, só beijava garotos então como eu não era hétero??? Então eu decidi relembrar meu passado, e lembrei de muita coisa, lembrei que na escola eu costumava apertar minhas amigas, tocar nos seios delas, a bunda e se tivesse moscando eu ia passar a mão na ppk kkkkk, eu gostava de ficar abraçadinha com elas porque eu achava muito bom, só que elas ás vezes me empurravam (e também elas são héteros), porque elas achavam isso estranho e eu não achava estranho, tanto que até gostava, e isso fazia com que eu me sentisse diferente porque como eu que me considero hétero gostava de fazer isso com elas e elas que são héteros também, não faziam a mesma coisa que eu faço? e também pq não gostavam quando eu ficava abraçadinha com elas? Mas enfim também lembrei de quando eu tinha 9 anos, eu gostava de ficar abraçadinha com uma garota,sempre beijava a bochecha dela, esfregava meu rosto no rosto dela, e achava ela a mais linda do meu grupo de amiga, eu gostava de andar de mãos dadas com ela e teve um dia que esfreguei meu rosto no ela e acabei ouvindo da diretora e inspetora que estavam conversando e olhando pra gente, e eu ouvi elas falando sobre não sei o que " Lésbica ". Também teve outra garota, que fui na casa dela, e a gente brincava na casinha dela com outra menina também, depois as coisas começaram a ficar quentes (se é que me entendem) a gente começou a tirar as roupas e eu acabei dando uma lambida na bct dela mas nada demais depois de uns segundos acabou (só sei que nesse dia eu fiquei num fogo), depois em 2018 teve uma festinha na escola do dia das crianças, eu estava na fila do pula pula e eu ficava olhando pra trás quando vi uma morena linda, o cabelo dela era cacheado, tinha corpo violão, a boca bem rosinha, bundão, a pele cor de chocolate... Na minha mente eu só pensava " Que garota linda da porra, preciso conhecer ela Urgentemente, que garota perfeitaaaa, preciso ir lá falar com ela", depois essa mesma garota foi jogar vôlei com meus amigos e eu simplesmente não consegui tirar meus olhos dela, tava doida pra bater um papo com ela, dar uns abraços nela, tocar a pele dela, e elogiar ela de linda, gostosa, maravilhosa, perfeita... Também sempre gostei de ver mulher pelada, sempre senti tesão em pornô lésbico,ou ver mulheres se masturbando sempre me deu tesão tanto quanto homem! E então o que vocês acham disso tudo? Vocês acham que eu sou realmente bi ou só é uma fase??
submitted by Maeve55 to arco_iris [link] [comments]


2020.09.20 17:27 Maeve55 Sou bissexual?

LEIAM TUDO POR FAVOR.
Um tempo atrás, eu conheci uma garota lésbica, eu mandava Oi direto pra ela mas ela n dava bola pra mim. Depois eu comecei a ter um sentimento estranho por ela, um sentimento que nunca havia sentindo antes por outra garota (pelo que me lembro). Quando eu via foto dela meu coração acelerava, me dava frio na barriga, eu pensava nela todos os dias e eu até entrava no perfil da mãe dela pra ver mais fotos dela e na minha mente eu só conseguia pensar "Puts que garota perfeita linda demais". Mas teve um momento que esse sentimento estranho e essa obsessão por ela já estava me incomodando porque eu não sabia que sentimento forte era esse, eu até pensei que fosse inveja ou rivalidade feminina porque ela desenha muito bem e é muito talentosa, mas depois vi que não era isso porque eu não desejava o mal dela, então eu pensei que poderia ser admiração e eu queria me inspirar nela. Eu tentava ser igual a ela, ter o mesmo pensamento que ela só pra impressionar ela e ela me dar bola (mas não deu certo kkkk). Quando minha mãe falava dela, eu já ficava toda eufórica e com sentimento estranho. Praticamente todos os dias eu mandava mensagem pra ela, mandando músicas, mandando Oi, falando como eu era super feminista e lgbt (só pra ela se impressionar kkkk),ou sempre mandava elogios pro os trabalhos dela, eu já estava louca com essa obsessão por ela que eu não sabia o que era, eu tentei esquecer ela, mas n dava ela não saia da minha cabeça então eu voltava a seguir ela. Eu curtia tudo dela, queria saber mais sobre ela, e poder tocar a pele dela. Quando ela postava storys falando, na minha mente eu pensava " Mano ela ta falando aaaah q voz mais linda, não acredito que estou ouvindo a voz dela" Kkkkkk. Há todo momento queria estar com ela abraçar, tocar o corpo dela (não do jeito sexual), e quando ela disse que era lésbica eu pensava "huuum ent me dá um beijo" "Então quer dizer que eu tenho uma chance com ela" "Vou tentar fazer ela gostar de mim" Mas outra parte da minha mente falava pra eu parar de pensar essas coisas porque era errado (fui criada em família muito religiosa). Eu até convidei ela pra minha festa, eu praticamente vou fazer essa festa só pra poder ver ela e abraçar ela (e também impressionar ela) kkkkkk, depois eu sonhei que estava dando um selinho na boca dela e nesse sonho os meus sentimentos por ela eram muito fortes e quando acordei eu pesquisei sobre sonhos, e vi que sonhos representam os nossos desejos mais profundos, então comecei a ficar nervosa e tentar pesquisar sobre bissexualidade, quando pesquisei eu me identifiquei um pouco com alguns relatos de descobertas de bissexuais, mas eu não queria aceitar de jeito nenhum que eu não era hétero, porque eu nunca tinha gostado de nenhuma garota na minha vida, só gostava de garotos, só namorava garotos, só beijava garotos então como eu não era hétero??? Então eu decidi relembrar meu passado, e lembrei de muita coisa, lembrei que na escola eu costumava apertar minhas amigas, tocar nos seios delas, a bunda e se tivesse moscando eu ia passar a mão na ppk kkkkk, eu gostava de ficar abraçadinha com elas porque eu achava muito bom, só que elas ás vezes me empurravam (e também elas são héteros), porque elas achavam isso estranho e eu não achava estranho, tanto que até gostava, e isso fazia com que eu me sentisse diferente porque como eu que me considero hétero gostava de fazer isso com elas e elas que são héteros também, não faziam a mesma coisa que eu faço? e também pq não gostavam quando eu ficava abraçadinha com elas? Mas enfim também lembrei de quando eu tinha 9 anos, eu gostava de ficar abraçadinha com uma garota,sempre beijava a bochecha dela, esfregava meu rosto no rosto dela, e achava ela a mais linda do meu grupo de amiga, eu gostava de andar de mãos dadas com ela e teve um dia que esfreguei meu rosto no ela e acabei ouvindo da diretora e inspetora que estavam conversando e olhando pra gente, e eu ouvi elas falando sobre não sei o que " Lésbica ". Também teve outra garota, que fui na casa dela, e a gente brincava na casinha dela com outra menina também, depois as coisas começaram a ficar quentes (se é que me entendem) a gente começou a tirar as roupas e eu acabei dando uma lambida na bct dela mas nada demais depois de uns segundos acabou (só sei que nesse dia eu fiquei num fogo), depois em 2018 teve uma festinha na escola do dia das crianças, eu estava na fila do pula pula e eu ficava olhando pra trás quando vi uma morena linda, o cabelo dela era cacheado, tinha corpo violão, a boca bem rosinha, bundão, a pele cor de chocolate... Na minha mente eu só pensava " Que garota linda da porra, preciso conhecer ela Urgentemente, que garota perfeitaaaa, preciso ir lá falar com ela", depois essa mesma garota foi jogar vôlei com meus amigos e eu simplesmente não consegui tirar meus olhos dela, tava doida pra bater um papo com ela, dar uns abraços nela, tocar a pele dela, e elogiar ela de linda, gostosa, maravilhosa, perfeita... Também sempre gostei de ver mulher pelada, sempre senti tesão em pornô lésbico,ou ver mulheres se masturbando sempre me deu tesão tanto quanto homem! E então o que vocês acham disso tudo? Vocês acham que eu sou realmente bi ou só é uma fase??
submitted by Maeve55 to sexualidade [link] [comments]


2020.09.15 02:01 carretinha Sozinho, morando no meio do mato

Eu e minha namorada recentemente nos mudamos para uma casa dos pais dela, no interior de Minas. A casa fica numa alameda, pouco distante da MG que corta a cidade, contudo toda casa nessa área precisa ter uma parte do terreno voltada a preservação e nem todos os lotes possuem casas. Orientando-se pela entrada, a esquerda vc tem uma estradinha de terra, onde atravessando, se encontra um lote vazio e uma pousada (sem nenhum movimento por conta da COVID). Ao lado direito e na frente da casa, atravessando a alameda, tem lotes vazios. E a casa mais próxima é uma bem chique, mas que está sempre vazia, que fica à alguns metros descendo a alameda, do outro lado da rua. E devido à área de preservação esses lotes vazios são basicamente locais onde cresce a vegetação nativa, que é um tipo diferente de Cerrado, com árvores altas e próximas, de modo que elas fazem sombra em todo terreno que elas ocupam. Ou seja, por conta da quantidade de lote vago, eu moro basicamente no meio da floresta.
Antes da mudança nós morávamos no mesmo bairro, na capital. E depois de mudar a gente tava se virando legal, mesmo com alguns muitos problemas que eu sofri no mês de agosto, (morte de pessoas importantes (sim, no plural), peguei por COVID e tive que ficar isolado dentro de casa, uma amiga acabar indo parar no hospital psiquiátrico, problemas em conseguir organizar a casa, cozinhar, produzir uma monografia, etc).
Contudo essa semana ela teve que ir fazer uns exames em BH e eu tive que ficar aqui pra aguar a horta e cuidar dos cachorros. Só que morar sozinho, no meio do mato é algo que faz muito bem pra imaginação e um bem ainda maior pros pesadelos, não só pelas aranhas enormes e insetos estranhos que vivem entrando na casa.
Vejam bem, desde criança eu sempre tive uma imaginação muuuuito boa, que é excelente pra escrever contos, inventar histórias, poeminhas, musiquinhas etc (coisas que eu vivo fazendo), mas é absolutamente terrível quando você está a noite sozinho e vem aqueles clássicos pensamentos:
E se uma sombra escura aparecer no meio do corredor agora e te perseguir
E desde criança eu tenho a certeza absoluta que se eu me deixar levar o suficiente pela imaginação eu vou começar a ver essas coisas de verdade. Inclusive esse medo foi o que me fez dormir com minha mãe até os 12 anos.
Hoje eu sou adulto e os caralho, então eu dou conta de dormir sozinho, já não é todo dia que esse tipo de coisa vem a mente, mas a minha imaginação em momento algum ficou menos fértil, na verdade quando se trata disso é exatamente o contrário.
Enquanto os terrores que eu imaginava que iam aparecer quando criança eram meio bobos, os de hoje dariam um bom filme de terror se eu conseguisse extrair as imagens da minha cabeça. E estar sozinho no meio do mato não ajuda em nada. Na cidade por todo lado tem luzes, barulho, várias coisas que te distraem e mostram que você está seguro do sobrenatural, afinal existem poucas histórias de monstros que surgem do Wifi.
Mas no meio do mato, com uma rua mal iluminada, há espaço para todo tipo de coisa, bruxas (que parece bobo até vc ver A Bruxa, a Bruxa de Blair, Marianne [na Netflix], ser um antropólogo que teve aulas sobre bruxaria, ler o Martelo das Feiticeiras, jogar e ler os livros de The Witcher, ter amigas Wiccan que se declaram bruxas, etc. Isso tudo faz vc levar bruxaria beeeeem a sério.) espiando a casa, sombras e criaturas melequentas andando pela rua e pulando o portão, criaturas meio humano meio animais correndo na rua.
Sair a noite no quintal escuro, tentar andar só com a luz da lua, enquanto você vê os cachorros correndo, ou andando de um lado pro outro, desperta os mais primitivos dos medos. E como eu disse eu tenho a certeza que se eu focar a visão, prestar atenção e imaginar aquilo eu sou capaz de ver, o que é bastante aterrorizante. Nisso o seu medo te pega e você realmente começa a ver e ouvir coisas, nada fora do normal, só seu cérebro assustado identificando padrão em coisas aleatórias.
Várias vezes quando a gente deixa roupa na sala ou em algum lugar a gente levava susto, porque passava descendo a escada e via rostos no escuro. Na sala tem uma janela de frente pra um trem de vidro (um painel de vidro que toma a maior parte da parede e te deixa ver lá fora) e o reflexo de um vive batendo no outro fazendo você ver vultos. Bichinhos de luz e insetinhos existem aos montes pra encostar em você quando cê vai pegar água de madrugada, etc.
Antes de escrever esse post eu já tava imaginando umas coisa errada e tive que ir lá fora desligar o registro, quando eu saí os cachorros tavam agindo estranho e um deles parou na minha frente, tapando o corredor e começou a fazer um barulho com a boca, que por um segundo meu cérebro interpretou como um cochicho, dando um arrepio na espinha desceu até o cu. Mas era só um barulho que ele faz sempre, eu pedi pra ele afastar e fui lá desligar o resgistro sentindo aquelas bolinhas de arrepio no braço.
Enfim, é esse o desabafo, se você tem medo do sobrenatural, quer se sentir vivo, ou se livrar de uma eventual prisão de ventre, recomendo demais a experiência, porque o cagaço é real.
Abraços.
submitted by carretinha to desabafos [link] [comments]


2020.09.10 23:51 Helamaa 😳👉🏻👈🏻

a carência tá imoral e eu tô procurando uma namoradinha, se vcs conhecerem alguma mina que tenha esses requisitos, me avisem redpillada channer, dogoleira, wgtow, ancap, , jogadora de poker, bv, virgem, sem amigos, crente, fã da UDR,magrela, footlet,escuta Chico Buarque, weeabo, hikkimori, otaku, gameri, hetero,federal,trader de bitcoin,hacker, defacer, cubista, penspinner, recordista de memorização de baralhos, timida, mãe de pet, hidratada, não consumidora de açucar, saudável, youtuber, netolover, pooper, cambista, shitposter, anarquista, materialista, roquista, travesquista, mono talon vlogger, blogueira, e-girl, intolerante a lactose, intolerante a gluten, grinder e hipnóloga, fiel, niilista existencialista, metaleira, headbanguer, pelo no suvaco, patriota, masoquista, ballbuster, jogadora de minecraft, buceta fedida, que não tenha medo de chuta minhas bolas pelo amor de deus eu nao consigo encontrar uma menina pra chutar minhas bolas por favor deus eu imploro nao agusnto mais isso nao eh um meme porque voces tem medo de me chutar no saco. Raça: nórdica Altura: 170cm+ Pele: 1 ou 2 (Fitzpatrick) Olhos: 7+ (Martin) Cabelos: qualquer cor, mas apenas lisos ou ondulados (FIA) Nariz: reto ou virado para cima Crânio: dolico ou mesocefálico Óculos: não Aparelhos: não Queixo furado: não Covinhas: não Orelha presa: não Orelha de abano: não Franja em V: não Pelos no corpo: muito pouco Tatuagem: não Graduação: apenas cursos voltados à pesquisa Faculdade: apenas bem conceituadas Habilidades matemáticas: sim Idiomas: fluência em inglês e mais outro idioma Álcool, cigarro, drogas: não, nenhum Personalidade: introversão Cultura: europeia ocidental RELIGIÃO: Cristã Ortodoxa Gostar de escutar rogério skylab:
Para ser sincero, você precisa ter um QI muito alto para entender Rogério Skylab Para ser sincero, você precisa ter um QI muito alto para entender Rogério Skylab. O humor é extremamente sutil e, sem uma compreensão sólida de filosofia moderna, a maioria das piadas vai passar despercebida pelo telespectador médio. Há também a visão niilista de Rogério, que está habilmente tecida em sua caracterização - sua filosofia pessoal se baseia fortemente na literatura de Nododaya Volya, por exemplo. Os fãs entendem essas coisas; eles têm a capacidade intelectual para realmente apreciar a profundidade dessas piadas, para perceber que elas não são apenas engraçadas - elas dizem algo profundo sobre a VIDA. Como conseqüência, as pessoas que não gostam de Rogério Skylab são verdadeiros idiotas - é claro que eles não apreciariam, por exemplo, o humor no bordão existencial de Rogério "Chico Xavier é viado e Roberto Carlos tem perna de pau", que é uma referência criptíca para o épico Pais e Filhos do russo Turgenev. Estou sorrindo agora mesmo imaginando um desses coitados simplistas coçando a cabeça em confusão enquanto as músicas se desenrolam na tela de seu computador. Que tolos… como eu tenho pena deles. E sim, a propósito, eu tenho uma tatuagem do Rogério Skylab. E não, você não pode vê-la. É só para os olhos das damas. E mesmo elas, precisam demonstrar de antemão que possuem um QI com diferença absoluta de no máximo 5 pontos do meu (de preferência para baixo).
Rotina, Habitos e interesses: Nofap + Banho Gelado + comer carne crua + comer virado pra parede + biohack + dormir no chão + Jordan Peterson + mewing + HBD + PUA + jelq + dormir 5 horas por dia + café gelado sem açúcar + hipismo + compilação mitadas Enéas + alho cru + podcast do Joe Rogan + redpill + Brain Force + Jejum + meditação iasd + músicas para concentração, foco e inteligência + teste de QI da internet + grupos de linhagem viking do facebook + ficar longe do poste de internet 4G + youtube do varg vikernes + essência de morango da turma da mônica no narguilé + jogar vape na cara de todo mundo que tentar entrar no bloco da faculdade + 5 segundos de calistenia no deserto do atacama + darkcel + óculos do aécio na foto de perfil + ler quotes do nietzsche no brainy quote + criar galinha no quarto sem os pais saberem + Alho cru + uma colher de azeite quando acorda e outra antes de dormir + jejum de 24hrs a cada 72hrs + assistir VT no premiere logo que chega do estádio + canal Ultras World + LibreFighting + Operation Werewolf + comprar os artigos do Paul Waggener + Centhurion METHOD + humilliation exposure com a finalidade de criar uma crosta na sua mente capaz de desenvolver uma resiliência que resiste à humilhação como se ela fosse nada + tomar banho descalço em chuveiro de academia com chão mijado + musculação caseira + hackear o sono + Empreender + 10 livros de auto ajuda por mês + PUA + Selo super fã da fúria e tradição + Biokinesis + 432hz music + Mexer o pau sem piscar o cú + meditação transcendental + veganismo + minoxidil para cultivar uma barba + filmografia Jason Stataham + assistir vikings + redpill + ir no cinema sozinho + treino saitama + coach quântico + enema de café + dieta lair ribeiro + agua alcalina + O Método de Wim Hof + sabedoria hiperbórea + artigos da Nova Resistência + Biblioteca do Dídimo Matos + dormir virado pra patede assoviando no escuro pra espantar o curupira + dar 3 pulinhos toda vez que levantar da cama + dizer amém quando um 1113 azul passar por você na rua + 100 flexões por dia + 6 meses de jelq + injaculação guiada + sociedade thule + energia vril + chapéu de alumínio para se proteger das armas psicotronicas emitidas pela CIA + caderno de anotações smiliguido + pedir a bênção ao carteiro toda segunda de manhã + 3 horas de academia + 4 horas de corrida + mascar café + exercícios penianos do Dr. Rey + maratona saga Rocky + trilha sonora saga Rocky + trilogia Mercenários + filmes do Jason Statham + assoviar o hino do Palmeiras de ponta-cabeça + intro do Canal do Nicola em loop + palestras do Antonio Conte + vídeos do Rodrigo Baltar + dicas do Gustavo Gambit + aulas de italiano + dormir ouvindo Ultraje a Rigor + ler Walden pelado na mata atlântica de madrugada + ouvir músicas em velocidade aumentada + canto gregoriano árabe + ensinar hino do botafogo pra calopsita + fritar comida com banha de porco + assistir videos de situaçoes de risco com a finalidade de se preparar para o perigo + Terapia Holistica com formandos da UFPR no Jardim Botânico + Radiestesia para harmonizar vibração da casa + Metatron 432HZ no YouTube entoando a oração EU SOU + ler O Código da Vinci + Jesus Quântico + Barra Fixa na praça de madrugada escutando audiolivro do Jordan Peterson na voz do cara dos Fatos Desconhecidos + grupo POPEYE AFIANDO A PIKA + MyInstants AEEE KASINAO + Memes do Fausto Silva + ler O Evangelho dos Animais + stories do Copini no Instagram + Canal SocialGames7 com Gustavo Gambit e CIA + textos de Raphael Machado (Nova Resistência) + ser ex-membro do grupo Comunismo Ortodoxo + Monja Coen + Fazer origami com papel do bis + perder dinheiro com maquina de pegar ursinho + fumar palheiro com o avô + quebrar palito de dente no meio depois que usar + rezar Pai Nosso em aramaico + tentar se comunicar com o ashtar sheran + virar catequista e passar Plínio Salgado para as crianças + Limpeza de 21 dias de São Miguel Arcanjo + arrancar a fimose comendo cu apertado de galinha caipira + Regata branca WifeBeater com calça jeans clara e bota marrom + Ingressar na legiao estrangeira + Comprar toras de eucalipto pra reproduzir o centurion method mas nunca começar o treinamento + vender máquina de cartão de crédito + ler os escritos do Unabomber + Escutar a discografia do Paul Waggener + ler todos os livros do Pavel Tsatsouline + ouvir rap eslavo de cunho político suspeito + café com um cubo de manteiga dentro precedendo a primeira refeição do dia + beber 2L de leite por dia + Stronglifts 5x5 + Dieta Cetogênica + Canal Jason PROJETO GIGA + Cd do TRETA + comprar torre de chopp no prensadão + 2 cápsulas de Tadalafellas antes do sexo + só comprar comida japonesa importada pra dieta + comer arroz sem sal com peixe cru sem tempero enrolado em folha do fundo do mar + memes da página Dollynho Puritano + Deus Vult na capa do Facebook + acessar o dogolachan pelo computador da escola pra postar fanfic gay do Gilberto Barros + Trollar atendentes do mcdonalds no habbo hotel + ligar para o Motel Astúrias perguntar quando custa a bolacha Bauducco que aparece no site + Mandar entregar pizza na Rua dos Tamoios casa n°18 com portão vermelho + cosplay de russo no Omegle pedindo pra mostrarem a bunda + Dormir imaginando uma linha pra fazer viagem astral + recitar Homero pra mendigo + tomar antibiótico no café da manhã + Meditar imaginando o raio de luz violeta que representa a energia transmutadora + Workshop Reiki do Canal Luz da Serra MULHERES TERRAPLANISTAS RALEM.
Primeiro de tudo! Vai tomar no cu, MULHERES terraplanistas! Junto com todas que me contrariaram nos últimos meses falando "dur hur você não sabe nada de paleontologia, vai assistir seus desenhos filipinos e não encha o saco". TODOS OS DINOSSAUROS TEM PENAS! LERAM DIREITO? TODOS OS DINOSSAUROS TEM PENAS! A farsa ficou tão óbvia, que eles não tem mais como esconder que TODOS OS DINOSSAUROS TEM PENAS! Alguns mais penas, outros menos penas, MAS TODOS TEM. E aproveitando no mesmo vídeo, NÃO TEVE METEORO PORRA NENHUMA! Provavelmente as mudanças climáticas naturais, junto com a separação gradual dos continentes, é que extinguiu a mega-flora e a mega-fauna. E se teve algum meteoro, apenas acelerou o processo em uma região muito especifica. Agora só falta as ((especialistas)) e a (((Academia))) admitir que dinossauros nunca existiram e que foi tudo um erro grotesco de interpretação de pessoas que não sabiam que caralhos eram aqueles esqueletos. São apenas aves e mamíferos ancestrais de milhões de anos atrás. E antes que eu me esqueça, vai todo mundo que me contrariou tomar no cu!
GOSTAR DE MIM POR QUEM EU SOU E NAO PELA MINHA APARENCIA
Sério, de verdade, ser uma pessoa bonita não é fácil em nossa sociedade atual; não é só os olhares de desejo das mulheres e dos homens que me incomoda, e sim, o fato de ser só isso para as pessoas. Sou muito mais que apenas um cara bonito. Tenho qualidades além dessas, e saber que as pessoas não ligam para elas, pois estão entorpecidas de anseio pela minha formosura, me entristece muito.
Não suporto mais ser bonito. Tudo que eu queria era poder nascer de novo num corpo de uma pessoa feia, pois sério, vocês não sabem como me dói saber que por culpa de algo que nasceu em mim (a incrível beleza), serei rotulado eternamente por isso.
Eu trabalho, estudo, procuro, conheço, aprendo! Sou um ser-humano como qualquer outro e não só mais um rostinho bonito.
Pergunta antes de eu poder te namorar: Você é ocultista?
Essa é a pergunta de um milhão de dólares que raramente vejo sendo feita.
Se você ainda não for, pra se tornar minha namorada precisará ser e aqui está como fazer isso
É fato que a maior parte da literatura especializada ocidental acredita em Deus e Cristo, somente olhando-o por uma lente diferente. Não há um ritual que lhe aproxime de Deus, as coisas raramente são tão simples. Entretanto, com estudo e meditação o caminho começa a ficar mais claro.
Entenda que não sou nenhum senhor da verdade, e o que te falo hoje posso descobrir ser mentira amanhã. Saiba também que um dos maiores problemas desse meio é a falta de um início claro, sendo as obras tidas como introdutórias porcarias completas. Dito isso, lhe respondo o seguinte:
  1. O caminho mais completo para se aproximar do que você quer começa com noções do pensamento Helênico. Entenda que boa parte da visão de mundo cristã vem da antiguidade clássica, principalmente as noções de harmonia e belo. Não te peço para ler tudo o que já foi jogado ao chão pelos gregos, mas saiba um pouco das origens das coisas. Tenha uma ideia básica dos quatro humores gregos, e que essa é uma das origens para atribuirmos personalidades aos elementos da natureza. Entenda um pouco dos seus deuses e Cosmos, porque eles serão utilizados no futuro de forma metafórica em textos. Saiba que quando aparecer um hermafrodita em um texto especializado não há conexão com desvios modernos, mas com um simbolismo mais antigo (Salvo engano, sua origem é Platônica. Mais especificamente, O Banquete, durante os discursos sobre amor).
  2. Entenda que boa parte da origem da magia ocidental vem da confluência da cultura grega com a egípcia, incluindo a alquimia. A tábua esmeralda é um texto obrigatório. Leia um pouco sobre o Axioma de Maria, A judia. Aprenda um pouco da simbologia alquímica, porque será importante para você no futuro. É dentro da alquimia que irão discursar sem final sobre a trindade (pelo menos os da corrente de Paracelso). Não se pretenda nenhum mestre dos espagíricos, porque os químicos farão isso melhor do que você. Entenda que não havia essa separação absoluta entre o material e o espiritual, então os dois conhecimentos andaram juntos ao decorrer da história. Entenda também que haviam escritores voltados especificamente para a alquimia espiritual, enquanto outros à química.
  3. Estude a Cabala. Eu entendo que para alguns seja difícil dar atenção à Cabala Judaica com o surto conspiracionista chanístico sobre a índole de todo um povo, mas querendo ou não o judaísmo é o Pai da fé cristã, sendo Jesus judeu. Entenda que a árvore da vida é um estudo sobre Deus e suas emanações, e dela virá uma boa parte de seu conhecimento.
  4. Leia as coisas atuais sobre o assunto. Dê atenção aos escritores herméticos, principalmente.
Ocultismo é um saco, pelo menos se você for estudar seriamente. Você pode perder a vida se tiver um projeto ambicioso como se aproximar de Deus.
Você também pode pular algumas etapas no que te falei. Sobre a parte do pensamento grego, saiba que boa parte é "dispensável". Dito isso, recomento que entenda um pouco sobre o funcionamento do Cosmos de Ptolomeu. Entenda também alguns dos símbolos planetários, porque seu entendimento irá lhe ajudar no futuro.
Pra me namorar também tem que gostar dos animes:
Akame ga Kill! Akarui Sekai Keikaku Ana Satsujin Asu no Yoichi! Azumanga Daioh Balance Policy Black Cat BlazBlue: Remix Heart Chichi ga Loli na Mono de Choujigen Game Neptune: The Animation - Dengeki Comic Anthology Come Come Vanilla! Criminale! Dog Style Domina no Do! Eden no Ori Evangelion Fullmetal Alchemist K-on! Naruto Shingeki no Kyojin Yu-gi-oh
Sobre assistir Yu-gi-oh; quando eu era adolescente, gostava (na época que passou na TV Globinho e era moda), mas hoje em dia não gosto mais; então não assistiria de novo.
Quanto às minhas lembranças marcantes de Yu-gi-oh:
Em 2003, Yu-gi-oh era moda e todo mundo na escola da quinta e da sexta série jogava com cartinhas piratas, já o pessoal da sétima e da oitava não se interessava. A propósito, em 2003 tiveram duas grandes modas de brinquedos baseados em animes, cartinhas de Yu-gi-oh e Beyblade. Outro brinquedo que todo mundo da quinta e da sexta série levava pra escola em 2003 depois que passou a moda de Yu-gi-oh e começou a moda da Beyblade era a Beyblade.
Outra lembrança marcante que tenho de Yu-gi-oh é que em 2003 na escola o pessoal criava suas próprias cartinhas, fazendo desenhos e estatísticas.
Fujimura-kun Mates Gantz Gou-Dere Bishoujo Nagihara Sora♥️ Higurashi no Naku Koro ni Kai: Matsuribayashi-hen Hitsugi no Chaika Ichigo 100% Ichinensei ni Nacchattara In Bura!: Bishoujo Kyuuketsuki no Hazukashii Himitsu Jigokuren: Love in the Hell Jinzou Shoujo JoJo no Kimyou na Bouken Part 4: Diamond wa Kudakenai JoJo no Kimyou na Bouken Part 5: Ougon no Kaze JoJo no Kimyou na Bouken Part 6: Stone Ocean JoJo no Kimyou na Bouken Part 7: Steel Ball Run Kaibutsu Oujo Lucky☆Star Mahou no Iroha! Mahou Tsukai Kurohime Monster Hunter Orage Mujaki no Rakuen Needless Zero Nyotai-ka Onihime VS Oretama Perowan!: Hayakushinasai! Goshujinsama♪ Re:Marina Rosario to Vampire Saitama Chainsaw Shoujo Sankarea School Rumble Shingetsutan Tsukihime Shocking Pink! Shurabara! Sora no Otoshimono Sora no Otoshimono Pico Akame ga Kill! Ana Satsujin Asu no Yoichi! Azumanga Daioh Balance Policy Black Cat BlazBlue: Remix Heart Chichi ga Loli na Mono de Choujigen Game Neptune: The Animation - Dengeki Comic Anthology Come Come Vanilla! Dorohedoro Nekopara Pet Toaru Kagaku no Railgun Magia Record: Mahou Shoujo Madoka☆Magica Gaiden Rikei ga Koi ni Ochita no de Shoumei shitemita.Rikei ga Koi ni Ochita no de Shoumei shitemita. Isekai Quartet 2Isekai Quartet 2 Ishuzoku Reviewers Somali to Mori no Kamisama Eizouken ni wa Te wo Dasu na!Eizouken ni wa Te wo Dasu na! Itai no wa Iya nano de Bougyoryoku ni Kyokufuri Shitai to Omoimasu.Itai no wa Iya nano de Bougyoryoku ni Kyokufuri Shitai to Omoimasu. Jibaku Shounen Hanako-kun Haikyuu!!: To the TopHaikyuu!!: To the Top Darwin's GameDarwin's Game Kyokou SuiriKyokou Suiri Plunderer
PRE REQUISITO: GOSTAR DE FILMES DE FAROESTE.
IMPORTANTE: Se você gosta de filmes de super heroi, pare de ler e va se foder.
Se você é assim, fique longe de mim.
NÃO QUERO AS MULHERES QUE: As que falam palavrões As que fumam As que usam drogas As que postam foto com bebida Que bebem (menos 🍷, isso é coisa de dama) As que vão para balada, festa, rave etc As que postam foto com decote ou sensuais
Há uma coisa que eu quero que você entenda sobre nós os homens.
Quando você colocar uma foto sua nua no facebook, fazendo uma pose gostosa, mostrando os seios ou como vemos em várias fotos mostrando o bumbum ou deitada sedutoramente em sua cama, a única coisa que você faz é que as pessoas tenham desejo sexual por você, claro em A maioria dos casos por parte de homens.
Eu sei que você vai ficar tão emocionada com os 500 likes, 120 comentários e as inúmeras mensagens privadas! Você vai querer postar cada vez mais fotos para se sentir cada vez mais no topo.
Mas há algo importante que você precisa saber:
Na verdade nenhum desses caras que gostam, comentam ou enviam mensagens privadas te ama. Tudo o que eles querem é usá-la e depois atirá-la para o lixo, para ser honesto nenhum deles a levaria para sua casa para ser sua esposa, acredite em mim, você para eles não é mais que uma menina de programa em busca de popularidade barata No Facebook.
Os homens ricos os que tem o que você procura "dinheiro" ou os pobres admiram as mulheres que se vestem com decência e se respeitam. Uma vestimenta decente que não revela muito o seu corpo, leva-os a amar e a respeitar-te, isto a simples vista nos diz que és uma mulher virtuosa, alguém a quem se pode levar para casa para ser esposa e mãe.
Isto em muitos casos diz-lhes que você foi criada com princípios morais e lhes dá detalhes do seu bom histórico familiar.
Eles não se preocupam muito com a maquiagem excessiva, uma mulher digna de propor casamento sempre se distingue do monte, não importa como.
Valoriza seu corpo, lembre-se que para encontrar diamantes é preciso cavar, respeita, e um verdadeiro homem vai te respeitar de um modo ou de outro.
Mas você terá muito respeito: Mulher, não mostre seu corpo no facebook, você não sabe que tipo de pessoas, venha suas coisas, você é uma mulher bela, não precisa de fotos, nem mostrar tanto, você pode conquistar com sua simpatia, com seu educación con seu sonrrisa,
As que já ficaram com amigos seus, ou que ficam com mais de 3 em um único ano As que não trabalham ou estudam (ou que estão em um curso irrelevante de humanas) As que não sabem o básico de uma casa, como lavar, passar roupa, cozinhar, trocar fralda, etc As interesseiras As que estão pedindo presentes sempre As que já estão comprometidas As não gostam de crianças ou dizem que não querem ter filhos (pessoas que não querem ter filhos não são confiáveis) As que tem piercing de bufalo
submitted by Helamaa to smurfdomuca [link] [comments]


2020.09.10 15:51 henrylore Najiyu Ep 2 - Rivais de reinos diferentes, o mais forte prevalece...

L: ...
H: Imura...
L: o tio...
ei, henry
H: hm?
L: você disse que veio aqui pra se descobrir e descobrir novas coisas né?
H: sim-?
L: e eu digo que eu vim aqui para..
destruir esse maldito reino
*se levanta
H: L-lusk nao
L: *sai correndo em direção ao lado de fora
H: ESQUECEU DO QUE O IMURA FALOU?
L: EU NÃO-
*para em frente a um cavaleiro
??⁴: *percebe lusk e aponta a lança pra ele
*ataca
L: uh oh
**acontece um barulho MT aleatório e o lusk se vê dentro da casa
L: uh- pq q eu tô aqui dentro?
*olha pra frente
H: *parado na frente do cara com um corte no braço
L: MALUCO COMEQUE TU FEZ ISSO
H: com a minha cara
??⁴: então você é a raposa
*prepara outro ataque
Im: *aparece na frente dele
H e L: IMURA?!
Im: *defende a porrada com um troço não identificado
eu não deixarei com que chegues nelex
MENINOX VAO!
L: CAVALO O VELHO É SINISTRO
H: *sai correndo
L: *segue o henry
Guarda¹(q era o ??⁴): é melhor não se meter, velho
Im: eu tenho 58 anox, é melhor não me chamar de velho.
*puxa objeto não identificado e abre ele direitinho
*é uma lança
*chuta o guarda e puxa a lança
de mim voxex não paxam.
**voltando pro Henry e o Lusk
L: Ô SUA LAVADEIRA VOCÊ TA MALUCO?
H: que foi
L: como voce fez aquilo??
E POR QUR VOCÊ FEZ AQUILO
H: queria ter a cara cortada em 2 é?
L: vai que eles cortam meu cabelo, seria estiloso
H: 🙄
Guarda²: *aparece na frente dos dois
aqui você não passa.
H: °°
L: *levanta as mãos e faz uma ventania que joga o cara pra trás
Gua²: então você não é uma criança comum
L: é claro que não, eu tenho doutorado em química
Gua²: *ataca com a lança de cima pra baixo
H: *puxa lusk pra trás
L: *cai de BUNDA no chão
PPPP QJAL FOI MANÉ
H: se você ficar se jogando assim nos caras você vai acabar perdendo o nariz
L: é mano... eu não quero parar de sentir cheiros
Gua²: *junta as mãos e levanta um monte de terra formando uma barreira
L: mas aí o que a gente faz cm o cara?
H: é, ai complicou
você tem alguma técnica que de dano e não só fique repelindo?
L: *pensando
*chão começa a tremer
Gua²: *sai de dentro da terra e joga lusk na direção da parede
H: *pega um pedaço de madeira meio afiado do chão e vai em direção ao guarda
Gua²: *segura mão do henry e chuta ele pra longe
PRISÃO DE CORRENTES
*daí ele cria umas correntes em volta do Henry e prende ele
H: *cai no chão
L: HENRY
H: EU NAO VOU SAIR DAQUI TAO CEDO
É COM VOCÊ
Gua²: agora que a raposa está presa, falta acabar com o resto...
H: LUSK!! ELE NAO VAI TE PRENDER ELE VAI TE FATIAR IGUAL UM QUEIJO
(Nota: os guardas não usam armaduras como os convencionais, eles usam só uma roupa bem pesada que parece ser de frio, mas ela é reforçada com um tecido bem forte e com algumas proteções de madeira e tals)
Gua²: *mira com a lança na cara do lusk e ataca
L: *leva o ataque
H: ih, morreu
L: *some
H: ????
Gua²: *acerta a própria parede
L: *atrás da parede concentrado juntando as mãos
*aponta pro cara e cria uma ventania na ponta do punho
e agora... SOCO DE AR
*voa uma rajada de ar muito forte no cara e ele sai voando
Gua²: *bate numa vendinha e o teto cai em cima dele
L: isso vai deixar ele imóvel um pouco
deixa eu te solta- *ve o Henry em pé olhando pro cara caído lá na frente
H: foi uma queda e tanto né
deve ter doído
L: COMO É QUE VOCE SAIU SEU PADEIRO DE CONFEITARIA
H: ah eu?
as correntes dele eram falsas, eram feitas de terra igual a parede dele aí
L: eu devia imaginar... _se o elemento dele é terra tudo vai ser de terra né..."
H: a terra permaneceu me apertando muito forte no início, mas com o tempo ele esqueceu de controlar ela e ela de tornou terra comum
daí ela se afetou pela ventania e umidade
L: espera um pouco...
SENDO ASSIM VOCÊ PODIA TER SAÍDO E ME AJHDADO NE MANÉ
H: deu preguiça...
L: merda.
**aparece um cara atrás do Henry com uma faca no pescoço do Henry
H: eita.
Guarda??: te peguei.
H: ah não
L: O GUARDA pera... O QHE VOCÊ FEZ COM O IMURA
(detalhe: eles tavam todos com uma máscara de madeira lol)
Guarda¹: é complicado *tira a máscara
..
*mostra o rosto q é o Imura
Im: menino, se entregarmos a raposa eles nos deixarão, e permitirão que fiquemos mais com a vila, menino!
L: ...
Im: faça isso pela gente...
L: TIO IMURA VOCÊ SVAE QUE ELE É MEU AMIGO EU NÃO VOU MATAR UM AMIGO MEU PRA SALVAR UMA VILA ONDE TODO MUNDO ME ODEIA
(grande parte do pessoal ouve isso pq da até eco)
Im: MENINO...
H: LUSK NAO É O IMURA
L: que
H: O IMURA FALA TUDO COM X, NAO LEMBRA????
L: é verdade...
*junta as mãos e prepara outro ataque
Im½: *segura as mãos do lusk com correntes
L: carapaças.
Im½: *prende lusk pelos pés afundando ele na terra
agora que eu já tenho o que eu quero
H: *lembra do doke
Do: o rsino é perigoso, eu não quero que você desça lá nunca.
Im½: *leva um golpe por trás e deixa de ser o Imura e vira um guarda normal fodase
Gua½: O QUE
Villager: QUAL FOI CABEÇA DE CARA!
L: o que?
Vi¹: Nós o ouvimos, Lusk e vos perdoamos, relaxeis
L: *se solta das "correntes"
ASSIM QUE SE FALA
Gua½: *levanta faca e ataca o Henry
L: EITA NAOO
H: *aparecw atras do lusk
oi
L: AAA COMO É QUE VOCÊ CHEGOU AQUI
H: eu troquei de lugsr com um barril
L: UM BARRIL DE CREAM SODA???
*olha pro guarda e...
Gua½: *todo melado de um líquido parecido suco de uva só que mais roxo
... isso é
decepcionante.
*prende o cara da aldeia num casulo e aponta pro lusk
VOCÊ ESTÁ ME ATRAPALHANDO
H: beleza chama o serviço de atendimento ao consumidor aí então
Gua½: HWAAAAA
L: SOCO DE AR
Gua½: *desvia
VOCÊ JA ACERTOU UMA NO OUTRO GUARDA E ACHA QUE EU CAIO NESSA?
AHEUEHHE
H: °° ideia, atira em mim
*sai correndo
L: MAGIA DS VENTO
RAJADA DA VENTANIA VERBAL
H: *troca de lugar com o guarda
Gua½: oh.
H: boa.
L: AH É CONSEGUIMOS
né Henry?
Henry?
H: *cai no chão
aaah
trocar de lugar com as pessoas é tão cansativo~
L: eu esqueci aue você gasta 3kg de mana pra isso
Vi¹: *sai do casulo
MEU DEUS O QUE ROLOU
L: eu chutei todos ele com a ajuda do meu fiel escudeiro HENR-
H: *deitado no chão dormindo
L: ... é, eu chutei eles
Vi¹: eu não sabia que você usava elementos
**surge uma porrada de gente
Vi²: é nem eu
Vi³: nem eu
Vi⁴: muito menos eu
Vi⁵: e eu também não
L: é, eu nunca me dei o trabalho de mostrar...
??: IXO FOI GENIAL MENINO AHSUEHEHEBE
L: IMURAAAAAAA
*abraça o velho
Vi¹: 😊 aí, cara, Henry né
H: hm?? oi
Vi¹: voce fez um ótimo trabalho. meu nome é Yaru
H: yaru hmm
prazer
*tenta levantar mas dói o braço q foi cortado

Vi¹: pode ir na casa da enfermeira ali ela tem medicamentos que devem te ajudar
mas aí... vocês dois
H e L: *olha pros 2
Ya: o que farão a partir de agora?
L: ...
H: ... a gente tava com uns planos de sair
L: é, conhecer a capital... e naji...
Yu: ...
(muitos)Vi: *conversando
Yu: vocês sabem que não vai ser fácil como foi aqui né
H: uhum
L: *concorda
Yu: e mesmo assim vocês querem?
Im: a qual foi Yura... deixa ox meninox... deixeis.
Yu: ...
Im: maix...
H e L: hm?
Im: amanhã.
POR QUE HOJE A NOTCHE TEREMUX RANGO GRATUITO!!!
L: OOOOH ISSO VAI SSR MUITO LEGAL TIO VALEU
H: *olhando o lusk abraçando o Imura
Yu: *chega e coloca a mão no ombro do Henry
aí.. eu confio que vocês dois vão chutar a cara daqueles caras..
vocês conseguem
mas... o lusk é meio maluco vê se ele não faz merda, ok?
H: beleza
Yu: VAMOS NSSSA PESSOAL
**um tempo depois
(o cenário tá de noite, o Henry tá na cachoeira num meio de um monte de arvorezinha com frutos roxos e vermelhos)
H: *olhando pra cima
*só se escuta a cachoeira caindo
(nota: o Henry ainda tá com um rasgado no braço mas ele tá com ataduras agora)
H: ...
eu... sempre me senti mal em deixar as pessoas preocupadas
e eu acho que agora eu tô sentindo mesmo isso
L: *Poe a mao no ombro do Henry
H: EI ah é tu
L: *comendo um bolinho
ainda preocupado?
H: um pouco
L: aí... ele provavelmente sabe que você sabe se cuidar, cara
logo ele tá descendo aí
H: ele não pode encontrar com o reino de novo...
L: ... ele era um cavaleiro?
H: sim... os cavaleiros foram trocados depois que outra pessoa assumiu o poder depois do rei Felix ter desaparecido
então os antigos cavaleiros não são tão bem vistos quanto antes
eles são como figuras que resolveram se distanciar...
L: covardes. é assim que eles são vistos...
mas quem liga?
*ainda comendo o bolinho
se alguém te ama, não liga se vai ser chamado de covarde por isso, né?
H: hehe, vai que vamo logo *dá um tapa nas costas do lusk
L: *deixa o bolinho cair
MEUS BOLINHO CAIU NO CHÃO NAAAO
H: JSKSNDHDNEKE
**no dia seguinte
Yu: adeus pessoal
Im: FALOW VOLTEM XEMPRE
H: falow
L: adeus.
**depois de um pouquinho longe
L: cara eu prometo no futuro arrumar um lugar pra eles no reino, pra eles não terem que morar tão isolados assim
aí eles vão ter uma casa legal e divertida
H: seria bolado.
L: nao seria?
aahahana se eu vou conseguir
O IMURA VAI ABRIR O NOVO IFOOD
H: ahajsnsjsjs
o que é ifood?
L: sei lá uma ideia de um restaurante de entregas que você pede e elas chegam
genial né?
H: voce que pensou nisso?
L: sim, dai eu me perdi de casa
**vem uma kunai voando do além
L: *empurra Henry pro lado
**kunai cai no chão e quase acerta eles
L: o que tá acontecendo?
H: ...
L: *olham por uma montanha
(tem tipo uma descida que leva pra uma parte mais cheia de árvore da floresta)
L: *vê uns corpos e facas no chão
que isso mano.
??: *aparece atrás deles (um cara bem alto e gordão com um facão na mão)
e aí
H: OU QUEM É TU
??: o que fazem aqui no meio de uma batalha? querem morrer
L: *junta as mãos discretamente
RAJADA DE VENTO
*empurra o cara um pouquinho pra trás
grf
??: hmm
H: como não?!
L: ele é muito pesado
??: meu turno agora.
*levanta uma mão e faz uma bola de ar
*joga nos dois numa velocidade muito alta
H: °°
L: é... aí... fodeu..
??²: REFLEXO DA LUZ
*golpe volta igual uma bala e corta a bochecha do cara
??⁰: sempre se intrometendo né, Nevaska
Ne: esqueceu que sua luta é comigo?
*aponta com o polegar pro próprio rosto
(é uma mulher bem baixinha, com o cabelo branco, uma cauda de raposa e orelhas de rosa, com uma roupa de manga comprida branca com detalhes pretos e cor gelo, luvas pretas e botas cor de gelo)
H: você é, uma raposa também?
Ne: sim mas a gente trata disso depois
antes eu vou me divertir um pouco com esse patriarca aqui
:3 (é literalmente a cara q ela faz)
FIM NO PRÓXIMO EPISODIO:
-Ep 3- Nevaska, a ninja raposa do gelo!
submitted by henrylore to Najiyu [link] [comments]


2020.09.09 15:54 umdaquelesque Meu irmão e eu.

Meu irmão é um ano mais velho que eu sempre moramos em cidades difeerentes, ele com meus avós paternos e eu com minha mãe. Eu era uma criança muito timida e fechada, ainda naquela época da inocência vim o visitar, ele me apresentou a bebida, e juntamente com meus primos começamos aquela brindadeira de "casinha,marido e mulher, pegação...", tudo na inocência, pelo menos da minha parte. Depois de um tempo, paramos com essas brincadeiras. Após isso entanto meu irmão e eu começamos aquela fase de bater uma com os amigos, foi então que as coisas entre a gente começou a esquentar, começamos a brincar de dar uma "sarrada", um no outro e ficamos nisso um tempo, até que um dia começamos a penetrar um ao outro sempre que ficávamos a sós. E eu comecei a gostar e então so ele penetrava em mim.
Passei alguns anos vim o visitar em sua cidade, quando voltei já adolecente as coisas não eram como tinham ficado quando saí, ironicamente sempre que venho aqui nós dormimos na mesma cama, não sei o que me deu, acho que eu estava meio bebado, quando fomos dormir, dormindo passei a mão pelo seu corpo achando que ele estava dormindo, depois que parei e virei de costas para ele, então ele veio e ficamos de conchinha um tempo e logo ele virou pro otro lado, quando fui fazer o mesmo ele se mexeu como se não quisesse nada. então virei e não fiz mais nada desde então.
Por uma eventualidade eu tive que vir onde meus parentes daqui, anteontem, cheguei meio bebado em casa e fiz a mesma coisa, quando desci a mão, ele esta de lado e de frente pra mim, deixei minha mão encostada no p** dele e senti uns movimentos de leve para frente e para trás, rossando na minha mão, a vontade era grande, mas não tive coragem.
E ontem da mesma formaeu tinha tomado umas, e grando fomos dormir passei maior parte da noite acordado o observando, passando a mão pelo corpo, em um determinado momento ele virou de lado e ficou de costa pra mim e eu pus a mão como se a mão como se abraçando ele, mas encostando nele omente com os braços, então ele pegou no meu braço e puxou para que eu ficasse mais proximo e então fiz, quando passei a mão pelo peito dele, ouvi-o dizer "não passa a mão o meu peito", logo eu tirei a mão de lá. E ficamos agarradinhos, depois me mexi e fiquei de costas para ele e depois disso ele ele se virou para mim e ficamos de conchinha só que ao contrario de mim ele quis ficar bem coladinho que pude sentir o volume dele e isso me deixou muito excitado. A noite interia ficamos assim, abraçados, não tive coragem de descer a mão e ir adiante.
E sim todos os dias que "provoquei", eu estava bebado, que fique claro que estou de férias e estou aproveitando, risos. Nos outros dias em que eu estava sóbrio somente dormi do lado - os dois primeiros dias que fiquei aqui não bebi nada durante a noite - e não fiz nada, pois sóbrio não sei se quero isso e também não tenho coragem para fazer sóbrio o que fiz bebado. E em uma das noites que eu estava sóbrio, no caso a primeira noite que dormi aqui, eu dormi com a cabeça para o lado oposto e lembro de um momento da noite em que eu acordei e ele estava virado pro lado que eu estave e rapidamente virou para o lado oposto rapidamente e no dia seguinte perguntou o porquê de eu ter dormido do lado oposto. Acho que ele estava fazendo o mesmo que eu faço com elequando ele está "dormindo", quando estou bêbado.
Enfim não sei se paro com isso ou deixo rolar, não sei se é certo ou não, o que aconteceu com a gente era quando éramos crianças e hoje somos adultos, mas foi tão bom dormir agarradinho com ele. Esse é um dos seguredos obscuros meus. Não se se vão me achar um doido ou pevertidodo ponto de vista social-cultural, mas não estou matando nem roubando, somos de maior e muito mesmo estou estuprando alguém. Essa tensão sexual me deixa totalmente na dúvida e ele faz questão de ficar totalmente pelado na minha frente enquanto troca de roupa na minha frente. Se acontecer algo aqui eu conto para vocês.
submitted by umdaquelesque to sexualidade [link] [comments]


2020.09.09 01:01 LouisTheXVII Sou um coach de elegância e boa conduta, aqui estão 12 dicas de elegância:

Elegância no ônibus: sempre aperte o botão "parar" em toda estação, pode ser que algum passageiro queira descer mas tem vergonha de apertar o botão.
É bom lembrar: não existem notícias ruins, existem expectativas altas.
Elegância durante um voo: para não incomodar a aeromoça, peça aos passageiros do seu lado a lhe servir.
Jamais fale em voz alta quando você grita.
Elegância em restaurantes: em vez de chamar o garçom, toque um sininho.
Elegância em shoppings: nunca dobre as roupas que você mediu na loja de roupas, alguém pode achar que você trabalha lá.
Elegância na estrada: se a sua criança está fazendo muito barulho, coloque ela no banco traseiro de outro carro.
Conte até 10 antes de ofender uma outra pessoa, pode ser que você consiga pensar em uma ofensa melhor ainda.
É bom lembrar: errar é humano, jamais erre.
Elegância durante uma viagem espacial: por conta da gravidade, é permitido desistir do uso do guardanapo durante o jantar. Mas só nessa circunstância!
Elegância para brasileiros no exterior: tentem não sair do aeroporto.
É bom lembrar: seus inimigos também já foram seres humanos.
submitted by LouisTheXVII to brasil [link] [comments]


2020.09.05 19:55 Wazalys Não aguento mais ser pobre

Eu pensei que minha vida iria mudar quando eu alugasse uma casa nova (morava em 1 comodo em frente a um estacionamento de fábrica, com barulho e poeira de caminhão dia e noite). Aluguei uma casa com 3 comodos e estava toda feliz, pensando que teria um pouco mais de silêncio para estudar e descansar. Ledo engano... Acontece que eu divido o quintal com uns 5 vizinhos e eu moro no térreo. É barulho de funk, crianças jogando bola do lado da minha janela, além de correria e gritaria. Agora mesmo eu lavei roupa e coloquei no varal e pouco tempo depois vieram jogar bola. Com certeza sujaram meus lençois.
Nossa, sério! Eu não tenho paz. Quero sumir. Não aguento ser pobre, é um inferno e tem gente que romantiza morar na "comunidade". Pois eis a verdade: é perigoso, barulhento, sujo, falta luz direto e demoram para arrumar, correio não faz entrega porque tem medo (esquece compras pela internet), o transporte é demorado e superlotado, o transito é maior, pois as ruas são estreitas de 2 vias e a densidade populacional é alta para pouca infraestrutura. E o resto vcs já sabem: saude, educação e segurança...nem se fala, tudo de 'excelente' qualidade.
Quem sabe no futuro (ainda tento sonhar) eu venha aqui dizer que venci na vida, que ganho bem e moro em um bairro bom, mesmo o país indo de mal a pior.
submitted by Wazalys to desabafos [link] [comments]


2020.09.05 02:17 rVonyon Sou novo no sub

Olá, sou novo no sub e queria me apresentar. Sou conservador de direita, pai de família, assovio no escuro para espantar o curupira, tomo banho gelado 10 vezes ao dia, bato no vidro pra assustar o sorvete, assisto Peaky Blinders todo dia da primeira temporada até a última, durmo no cinema, grito na igreja, almoço virado para a parede, uso biokinesis pra virar macho alfa, desço montanha e escalo ela todo dia em 5 minutos, bato na esposa, leio clube das 5, sou dono da página Orgulho de ser Hétero, ouço ondas Gamma enquanto durmo, tomo café gelado sem açúcar, faço teste de QI na internet, estou no No Fap desde que nasci, ajudei minha mãe no parto do meu irmão mais velho, leio 60 livros por dia, pratico roleta russa com o meu cachorro, MGTOW, Brain Force, pratico telecinese, sei dar salto quântico, 190 de QI, sei mexer o pau sem piscar o cú, tenho uma placa de metal na parte frontal do cérebro que impede de eu ser emocional, jejum 24h, faço treino saitama desde os 5 anos, sou apoiador do Lord Vinheteiro, violinista prodígio, deixo música clássica no alto, enema de café, consigo manipular qualquer um encarando, sou frio e calculista, odeio mulheres que usam decotes, vou no bar 78 vezes por dia, O senhor é o meu pastor, medito 10 horas ao dia, jogo poker apostando meus filhos, fumo 3.000 cigarros por semana, erro 99 vezes propositalmente só pra acertar na última, sou perito técnico nas expressões faciais, utilizo o método do palácio mental, assisto Copini desde o lançamento do canal, tenho 854 amantes e nenhuma delas sabe que eu sou gay, sou um mestre da dedução, vou para a igreja só pra tomar café, já matei o Nego Ney com uma carabina de pressão 5.5 encima de um prédio de 38 andares, gosto da página CBM mas odeio por ser socialista, INTP-J, acredito em pseudociência, matei o coronavírus apresentando o meu histórico de atleta, corro de crocs do Acre até o Rio de Janeiro todo dia, sei falar em autotune, ando armado fingindo ser polícia pra ganhar abraço de criança, sou filho de anjo e demônio, faço projeção astral pra comer a vizinha enquanto ela dorme, odeio jovens, durmo no chão para consertar a postura, Pablo Escobar deixou a chácara dele de herança pra mim, nunca torrei um x9 propositalmente só pra estragar a música, sou conhecido como Diabo Branco, já fiz tráfico humano, passei mais de 200 toalhas no pau só pra ser o dono e mijo no guarda-roupa do meu funcionário para demitir ele logo depois. Posso ser adm?
submitted by rVonyon to copypastabr [link] [comments]


2020.09.04 18:33 DanteStonecross Senta que la vem história

Eu to a algum tempo lendo e comentando coisas nesse /, e eu sempre quis dizer varias coisas aqui, porque de algum jeito eu me sinto confortável de ver essas coisas e todos vocês, mesmo discordando com algumas pessoas aqui e ali ta tudo bem, discordar é normal, faz a gente mais humano.
Mas eu queria muito contar uma história aqui hoje, é uma jornada importante pra mim, e eu espero que vocês gostem de me ver aprendendo uma coisa muito complicada. Nessa história, todos os nomes serão fictícios, e será um resumo muito resumido, então a grande maioria dos fatos não está aqui, mas o que isso tudo me ensinou, você vai poder ver com certeza.
Eu sempre fui um Romântico, e quando eu digo Romântico, eu falo da escola literária, eu não uso aquele português difícil, mas eu enxergo o mundo de uma maneira similar, eu vivo os momentos com as pessoas com intensidade, com muito sentimento, e os momentos seguintes a esses vem a melancolia.
A primeira vez que eu me apaixonei quando tinha 11 anos, o mundo se tornou diferente pra mim, era como se de repente todo o resto fosse preto e branco, e apenas aquela garota fosse colorida(eu tenho essa história contada em um texto, que é o ponto inicial da minha depressão, escrito exatamente como aquela criança enxergava o mundo, se ao final alguém se interessar eu mando sem problemas).
E, perto se fazer 14, em 2013, eu conheci uma garota muito mais do que bonita, ela era simplesmente divina aos meus olhos, ela era tão incrível, ela tinha absolutamente tudo que eu gostava. Eu conheci a Ágata dando aulas de matemática(o que mais um nerd faz?) e algo me chamou muita atenção: mesmo com 13 anos eu já tinha dado muitas aulas pra muitas pessoas e todo mundo tem um limite, todo mundo desiste(pede uma pausa) depois de X questões, mas ela não, mesmo sem entender muitas coisas ela persistia até o fim tentando entender tudo, até o horario dela ir embora ela continuou la, com o caderno e a caneta fazendo de tudo pra conseguir entender.
Bons meses depois Ágata se tornou minha melhor amiga(embora no início ela respondia minhas mensagens a cada 3 semanas, sem exagero!), e mais um tempo depois e muitos conflitos com a família dela, a gente começo a namorar.
Eu ainda não posso explicar o que era a sensação de namorar com ela, ela era literalmente o que todo garoto sempre sonhou: baixinha, cabelo cacheado, um rosto muito agradável, um sorriso lindíssimo, peitos e bunda enormes(ENORMES), cantava feito um anjo, era popular, divertida, extrovertida, dedicada, esforçada... É uma lista de qualidades que, na época, transbordava.
De 2014 até 2019, nós tivemos 3 anos de relacionamento e 5 anos de amizade, e eu aprendi muito mesmo em todos esses anos. O motivo do término do relacionamento(numa versão em resumo do resumo do resumo) foi, principalmente, possessão. Eu tenho um pai que é extremamente possessivo e eu levei 14 anos pra sair das garras deles(ou seja, ainda era recente quando eu conheci ela), e 1 ano depois do namoro ela começou a querer cada vez mais a minha atenção, onde eu não sentia mais liberdade pra fazer coisas que eu queria, porque eu tinha que ficar 3 horas falando no telefone com ela(e eu nem gosto de falar no telefone).
Não me entendam mal, eu não estou dizendo que fui perfeito, que não tive defeitos ou que só eu que estava passando por problemas, acabou porque precisava acabar. Inclusive se você, Ágata, por algum motivo descobriu o reddit e se reconhecer nesse post, saiba que mesmo não mais falando com você e não conseguindo mais olhar na sua cara(história pra outro dia), você pra sempre terá minha gratidão e meu respeito, nós vivemos muitas coisas juntos e, se hoje eu sou um homem, foi você que o moldou, muito obrigado.
Quando isso terminou, eu comecei a conversar mais com uma outra garota que eu conhecia, estudava na mesma escola que a gente, e conforme eu a conheci, ela começou a conquistar cada vez mais espaço no meu coração.
Carol era uma mulher interessante de várias maneiras, ela era extremamente extrovertida, cantava muito bem, tinha muitas histórias pra contar, era uma das pessoas que mais tinham ficado com gente na escola, e principalmente, ela tinha acabado de ganhar uma filinha. O jeito que a Carol olhava pra filha dela me fazia querer estar por perto, não porque ela parecia uma mãe incrível, mas porque havia uma dualidade dentro dela: aquela criança foi concebida de um estupro, onde foi muito difícil aceitar conceber a criança, quando ela nasceu era completamente visível que ela não sabia o que fazer, ela amava mais do que tudo aquela criança, ao mesmo tempo que ela via o homem que fez isso quando olhava pra ela(graças a deus, isso mudou bem rápido).
O tempo passou e eu e Carol começamos a nos dar muito bem, e em meados de 2019 a gente se beijou pela primeira vez, essa foi oficialmente a segunda pessoa que eu beijei na vida e cara, que coisa mais estranha, eu não sabia nem como descrever o que tinha sido aquilo de tão estranho... Até que ela me beijou uma segunda vez, e ai oficialmente, aquele era o melhor beijo do mundo.
Eu e Carol ficamos mais algumas vezes, e a gente se dava muito bem em tudo, até na cama era muuuuito diferente do que era com a minha ex, e a gente fazia tantas coisas juntos, viamos animes, conversavamos sobre varias pessoas, saíamos pra comprar roupas...
Cada dia que passava o meu sentimento só aumentava, e quanto mais ele aumentava, mais coisas que eu achava incríveis aconteciam, como a gente ver as coisas abraçadinhos, ficar de mãos dadas, varias dessas coisas de casal.
O meu erro? Carol desde o inicio falou "Não se apaixona por mim, eu não me apaixono por ninguém". Eu segui essas instruções o quanto foi possível, mas cara, talvez fosse loucura minha, mas parecia muito que ela também estava apaixonada, não com palavras porque toda vez que eu mencionava ela mudava a expressão e o jeito por um tempinho, mas as atitudes dela, os nossos momentos...
Depois de um tempo, no inicio desse ano, eu tentei cortar a Carol da minha vida torcendo pra que resolvesse meu problema, e deu certo por 1 mês até que ela me mandou mensagem perguntando quanto tempo isso levaria. Eu dei o meu melhor e coloquei todos os meus sentimentos em um texto, cada palavra continha tudo que eu sentia por ela, e ela também fez um texto de volta pra mim, e eu pude sentir o que ela sentia também, ela queria ser só minha amiga, e nada mais.
Nós ficamos mais 3 ou 4 meses sem nos falar até que, por intermédio de uma amiga em comum, a gente voltou a se falar e, desde então eu vi Carol mais umas 3 ou 4 vezes, mas é tudo muito estranho, a gente troca mensagens uma vez por semana e olhe la, eu nem acredito que um dia a nossa amizade volte, quanto mais a gente ficar ou coisas do tipo.
Mesmo com tudo isso, ela sempre viveu no meu coração.
Porem aqui vem a lição, meus amigos.
Há semanas atrás, eu consegui contato com uma garota que a gente não se via a muitos, muitos anos. Sabe aquela história de primeiro amor a gente nunca esquece? Esse foi meu segundo, e o que eu verdadeiramente nunca esqueci, eu sempre vou me lembrar do meu primeiro dia de aula numa escola completamente nova, e no fim do dia eu ainda todo perdido uma garota me puxa, me olha nos olhos e a primeira coisa que ela diz pra mim é: "Você namoraria comigo?". A resposta pra essa pergunta era não, obviamente, foi muito aleatório, mas eu estava tão nervoso que saiu "sim", ela deu um sorrisinho e voltou ao que tava fazendo. Desde aquele dia, Livia se aproximou cada vez mais de mim, e ela tentou me conquistar todos os dias, e acreditem em 2012/13 eu não era naada fácil.
E quando eu consegui falar com ela novamente, alguma coisa dentro de mim estalou, a gente voltou a conversar e era como se nada tivesse mudado, a gente conseguia desenvolver do mesmo jeito que a gente sempre fez, nem parecia que tinham 7 anos sem contato. A gente se viu algumas vezes(sim, eu sei que a gente ta de quarentena, todas as medidas de seguranças foram tomadas pra gente conseguir) e, cara, eu tinha me esquecido o que é olhar pra alguém que te olha como se você fosse uma obra prima, aquele olhar de quando éramos crianças não mudou nem um pouquinho, ela ainda olha pra mim como se eu fosse a pessoa mais legal do mundo.
Eu, com todos os meus defeitos, com todas as minha chatisses e meu jeito ""inteligente"" de ser, onde a lista de qualidades é exatamente igual a lista de defeitos, ela me vê como se fosse alguém muito mais do que incrível.
E eu olho pra ela assim também, e quando eu a olho, eu quero que ela sinta a pessoa incrível que eu vejo, uma pessoa que passou por inúmeros problemas pelo mundo afora e ainda passa, alguém que realmente foi a raiz do meu gosto pelas mulheres, que me ensinou que atitude é a melhor caracteristica possível em alguém, e que eu quero alguém com isso na minha vida, alguém que tenha coragem de me puxar pelo braço e dizer que me quer, alguém que queira os meus toques, alguém que querias os meus carinhos, as minhas massagens, os meus abraços, as minhas implicações, assistir animes ou séries comigo, beber comigo, aprender e viver todo tipo de experiências e situações. É isso que eu quero com ela também!
Esse é um pedacinho da minha odisseia, eu pedi a Deus, ao universo, a seja la o que for que estiver ai fora por nós, pra que 2020 seja um ano de apredizados e conquistas, 2020 foi o ano mais difícil da minha vida, onde por conta de um treinamento pra competição, da pandemia(home office) e tambem por causa de ter a Carol na minha cabeça, eu passei pela pior fase da minha vida, mas eu consegui correr atrás de ajuda a tempo(onde eu devo a minha vida a minha hipnoterapeuta, que mulher excepcional) e, no final dessa jornada, eu cresci muito e me tornei bem mais forte.
Muito obrigado, eu deixo aqui os meus agradecimentos a todas essas garotas, que me mostraram quem eu quero junto a mim e quem eu quero ser, a minha mãe que é a melhor mãe do mundo e, mesmo a gente se desentendendo as vezes, eu não resistiria sem ela, a minha hipnoterapeuta que consegue a façanha de me colocar em transe(hipnose ericsoniana é a melhor, sem dúvidas!) e que me ensinou muuuito mais lições do que eu teria aprendido em 20 anos da minha vida.
E principalmente, muito obrigado a mim mesmo, por ter aguentado até aqui, por nunca ter parado de ir pra frente mesmo pensando todos os dias em desistir, em jogar tudo pro ar, pensando até em coisas muuito, mas muuuuito mais escuras nos dias mais dificeis, mesmo assim nós estamos aqui, prontos para a proxima jornada, onde a gente vai sofrer, mas a gente vai aprender algo a respeito disso no final.
Se você chegou até aqui, meu caro amigo, eu só queria te contar a história de como eu descobrir o que, pra mim, é o amor. Amor é o que eu sinto quando olho pra alguém que também me devora com o olhar e as atitudes, amor não é toda a intensidade, todo o fogo, toda a loucura, não! Pode ser um pouco disso, mas principalmente, amor é reciprocidade, é você não ter que se esforçar em mudar 1001 coisas só pra agradar a pessoa, quem você ama e quem te ama de verdade gosta de você por ser quem você é, e é isso que eu quero pra minha vida, amar e ser amado!
Eu não sei se eu e Livia vamos ficar juntos, a gente deve descobrir mais a frente, mas eu sei que eu quero isso, e se o destino(ou o universo, ou deus...) não permitir que a gente fique junto, tudo bem, eu sei agora o que procurar, e que vai existir mais alguém que olhe pra mim do jeito que eu olho pra ela.
submitted by DanteStonecross to desabafos [link] [comments]


VESTINDO ROUPAS DE QUANDO ERA CRIANÇA// 4 a 6 anos - YouTube THE SIMS 2  PACK DE ROUPAS ADULTAS E INFANTIS  SIMS ... VESTINDO MINHAS ROUPAS DE CRIANÇA The Sims 4  Pack de Roupas para crianças 01 - YouTube Roupas de crianças - YouTube

Faça cotação de fabricantes de Roupa Africana Para ...

  1. VESTINDO ROUPAS DE QUANDO ERA CRIANÇA// 4 a 6 anos - YouTube
  2. THE SIMS 2 PACK DE ROUPAS ADULTAS E INFANTIS SIMS ...
  3. VESTINDO MINHAS ROUPAS DE CRIANÇA
  4. The Sims 4 Pack de Roupas para crianças 01 - YouTube
  5. Roupas de crianças - YouTube
  6. Roupas de criança - YouTube

📌 Pack de Roupas para crianças!!! 📌 Caso queira algum outro Pack,deixe nos comentários. 📌 Não esqueça de SE INSCREVER e dar LIKE! 📩 DOWNLOAD: ️https://taybi... Curta o vídeo e o face, se inscreva, comente e clique no sininho pra receber notificações dos vídeos novos. 🎁 ----- Aqui no canal vo... Enjoy the videos and music you love, upload original content, and share it all with friends, family, and the world on YouTube. Se você gostou desse vídeo deixa seu like, comenta e compartilhe Se você ainda não é inscrito se inscreve, ativa o sininho um beijo e até mais Veja também: Loja Online - http://www.eroupasdebebe.com - Comprar roupas de criança é uma das necessidades mais básicas que nossos filhos têm para suprirmos.... Oi oi meus amores, td bom? ️ Então gente, será q todas as roupas deram em mim? Fiquei impressionada por algumas realmente darem kkk, então é isso espero que ...