O que você quer de namoro

Por exemplo, sonhar com término de namoro nem sempre envolve o relacionamento em si. Esse tipo de sonho pode indicar o estado de espírito que você está vivendo no momento. Para compreender o que o seu sonho quer dizer, tende se recordar de todos os detalhes envolvidos, como o ambiente ou os objetos que estavam no cenário. Vamos a algumas dicas de como virar o jogo e fazer com que ela fique completamente apaixonada por você e diga logo “sim” ao seu pedido de namoro: Você quer namorar e ela não? Saiba o que fazer! 1 – Preste atenção nela. A mina é bonita, gostosa e simpática pra caramba. A mulher ideal pra você transar, bater papo e ainda inserir em ... Por isso é que o namoro, a parceria sentimental, o relacionamento, são feitos de sacrifícios e muitas vezes é preciso que você sacrifique algo que queira fazer em prol da felicidade no amor. As vezes a mulher tem que sentar na frente da tv para ver o futebol só para agradar o marido, mesmo que ela deteste futebol, pois isto é um ... Cada um de nós tem mais ou menos formatado o que significa um namoro, como ele começa e as bases “óbvias” em que ele deve se desenrolar. Gostamos de imaginar que a pessoa por quem nos afeiçoamos pensa o namoro como nós pensamos. As relações, de um modo geral, vem carregadas de regras. E na … Quando você realmente ama alguém, e acontece um término de namoro, as suas reações após o fim serão sempre iguais. A diferença é que, com o passar do tempo, e de novas experiências adquiridas, você consegue sair mais rápido do fundo do poço. Pedido de namoro à distância: o que dizer. Eu sei que nem sempre é fácil viver nesta distância, mas o jeito como você me entende, as nossas conversas intermináveis, o jeito que faço você sorrir não me deixam dúvidas. Eu quero estar com você e a distância não importa. Nosso amor é forte e vence qualquer obstáculo.

Pegação Brasil -- /r/br4r

2015.08.24 07:20 abrazilianinreddit Pegação Brasil -- /r/br4r

Quer uma companhia para a noite, para a semana ou para a vida toda? Talvez você encontre no reddit! Talvez não! Mas não custa tentar. E estamos aqui para isso. Seja uma pegação leve, um encontro casual, um amigo com benefícios, namoro, casamento, ou apenas uma amizade, este é o subreddit para brasileiros que querem uma companhia.
[link]


2020.09.28 12:13 ltarifa Relacionamento com alguém depressivo

Gente, nunca fiz isso antes. É minha primeira vez usando o Reddit, mas eu realmente preciso conversar sobre algo que ninguém próximo a mim poderá me ajudar. Eu namoro uma menina pela qual sou muito apaixonado e que tem depressão. Estou longe dela a 7 meses já por conta da quarentena. No começo do isolamento conversávamos muito, toda hora, ela me ligava e gastavamos horas conversando. Ela nunca teve problema em dizer que me ama e demonstrar afeto. Mas, recentemente, ela tem se tornado fria comigo. Monosilabica. Demonstra muito pouco ou quase nada do afeto que não tinha problema em demonstrar antes.
Quando pergunto se ele cansou de nós ela me diz que não. Quando pergunto se ela quer terminar ela diz que não. Diz que só não está num bom momento pra conversar. Eu pesquisei muito sobre depressão e li muitos relatos. Mas só conheço ela que sofre disso e no momento ela não está muito disposta a me esclarecer sobre essas coisas, o que eu respeito por entender que é difícil.
Mas acontece que, emburra eu não tenha depressão, não sou alguém muito seguro de mim. E ver ela online o dia todo no wpp sem falar comigo me machuca de um jeito que não sei controlar.
Vocês já estiveram num relacionamento no qual houvesse depressão? Foi difícil pra vocês também? Vocês passaram por esse tipo de coisa? Já tem várias noites que eu estou tendo problemas pra dormir por conta disso. Rolo por horas, ansioso, na cama, pensando merda antes de dormir. Só gostaria de conversar mesmo. Obrigado!
submitted by ltarifa to desabafos [link] [comments]


2020.09.20 19:40 adesouzas Não sei se quero continuar meu relacionamento

Fala galera, tenho 25 anos, queria fazer um desabafo e ao mesmo tempo pedir a opinião vocês: como disse no título, namoro a 2 anos e meio, e de um ano pra cá a coisa esfriou bastante, minha namorada entrou em algum nível de depressão,e entendo isso nunca fui de pressionar, nem nada, entretanto as coisas (sexo, afetividade, carinho) esfriaram muito, além de que estamos numa situação de que qlqr coisa acontece só quando ela quer, e eu sempre devo estar disposto a tudo, ou ela fica triste e etc. E pra piorar a situação, de alguns meses pra cá, por.algum motivo, ela tem me tratado com sarcasmo, ironia, talvez pra se sentir mais segura de si, por estar mais fechada, mas não me lembro da última vez que ouvi, de verdade, algo bom da parte dela a meu respeito, espontaneamente. E se levo na brincadeira e tento replicar as brincadeiras com ela, eu estou errado e sou machista, chato. Recentemente eu tenho sido mais fechado, por conta dessas situações não consigo mais fazer as brincadeiras, nem manter um assunto com ela por muito tempo.
Gosto dela, mas não sei se do mesmo jeito mais.
O que vocês fariam?
submitted by adesouzas to desabafos [link] [comments]


2020.09.16 07:05 AlySts é mais um desabafo sobre suicídio.

Bom, eu nunca tive uma vida difícil, minha família sempre foi bem fds cmg, eu sempre fui acostumado, entendi o lado deles, eu aprendi a ser sozinho, mas a questão é que eu me encontro em uma situação bem merda, como eu sempre fui sozinho, eu não confio em ninguém, eu ja namorei sério em todos eles eu fui traído porque eu sou inseguro com pessoas, tanto em amizade quanto em namoro, eu não confio em ninguém até hoje, porque quer você queira ou não, pessoas são egoístas, eu sou egoísta, mas cheguei em um ponto onde eu tentei cometer suicidio 1 vez, terminei 1 semana inteira intoxicado passando mal e botando tudo que eu engoli pra fora. Comprei uma corda, tenho ela no meu quarto amarrada numa espécie de barra que eu tenho aqui em casa pra colocar toalhas molhadas. Se eu não confio em ninguém, porque diabos eu to desabafando pra justamente ver o que outras pessoas tem a dizer disso?? É quase que um pedido de socorro, eu ja fiz tratamento sim com psicóloga e psiquiatra, foi exatamente com esses remédios que eu tentei, mas eu realmente não vejo mais um porque continuar vivendo. Eu tenho muito mais coisa na minha bagagem, isso é mais um resumo, porque tem muita coisa que contribuiu pra essa minha aversão por pessoas, estupro, bullying, traições, abandono de familiares, amigos, namoradas... e por aí vai, pra mim, viver é basicamente levantar pra tomar tapa na cara, chegar a noite e se contorcer pra não se enforcar de uma vez e acaba com essa droga de uma vez
submitted by AlySts to desabafos [link] [comments]


2020.09.14 13:44 JustCallMeLyraM8 GT DA BROTHERAGEM

GT DA BROTHERAGEM
/cc/
>eu tenho um amigo bem próximo
>amigo não
>ele é tipo um irmão
>amo aquele filho da puta
>vamos chamar ele de Maicão
>nos conhecemos no jardim da infância
>dividíamos o todynho e o biscoito passatempo no recreio
>bolachaéocaraio.mp3
>estudamos na mesma turma até a quinta série quando os pais dele se mudaram pra longe da escola
>ele continuava morando na mesma cidade, mas tava numa escola diferente
>ainda assim nos víamos todos os fins de semana
>nossas famílias se tornaram amigas também
>tudo era um mar de rosas até o final de 2004
>ano 2005
>entra uma aluna nova na minha turma
>o nome dela era Thais
>lembro como se fosse ontem do momento em que ela entrou na sala
>tudo parecia ter ficado em câmera lenta
>o sol batia nela
>o ventilador soprou seus cabelos
>ela marchava como uma égua manga larga do trote formoso
>paudureci naquele exato momento
>o foda é que eu tava em pé naquela hora e a primeira aula era de educação física
>short.gif
>todo mundo da sala começa a rir de mim e a gritar
>me chamaram de pau retrátil porque foi só a menina aparecer que ele subiu
>morri de vergonha naquela hora
>sentei na cadeira e pus a mochila no meu colo
>eu só queria sumir
>até a professora riu
>mas a Thais não
>ela sentou atrás de mim e disse pra eu não ligar pra eles e que eu ficava lindo com vergonha
>caraio vei não pude acreditar
>eu era tão tímido que pedi pra ir no banheiro na mesma hora e fiquei trancado lá até a hora do recreio
>quando o recreio chegou eu pus o dedo na goela na frente da sala dos professores
>acho que vomitei até meu intestino naquela hora
>comecei a dizer que tava passando mal
>os professores me liberaram da escola e fui pra casa mais cedo
>chego em casa e passo a tarde toda tendo fantasias masturbatórias com a Thais
>eu era tão beta quanto aqueles peixes de briga
>quando a noite chega eu corro pra casa do Maicão
>conto tudo pra ele feliz da vida
>Maicão fica feliz por mim
>brodagem.rar
>segue o jogo
>durante o resto do ano eu iria me aproximar cada vez mais da Thais e me afastar cada vez do Maicão
>ele dizia que ela tava me afastando dele mas eu discordava
>dizia que era coisa da cabeça dele
>o tempo passa
>a Thais é promovida à pitanguinha e a distância entre mim e meu brother ia aumentando cada vez mais
>um dia briguei feio com o Maicão quando ele disse que ela tava cmg só por conta do meu dinheiro
>eu não era rico, mas da escola eu era o mais bem de vida
>meu pai era o único que não tava preso e não trabalhava com drogas
>minha mãe não trabalhava na zona
>zoas ela trabalhava sim
>ela agenciava a tua mãe, aquela puta boqueteira
>zoas de novo, minha mãe era artista plástica
>um dia eu acabo falando pra Thais que o Maicão tava se sentindo escanteado
>ela começa a me dizer que era inveja do nosso relacionamento e que ele só queria nos separar
>acabo dando ouvidos a ela e brigando feio com ele
>putaquepariuqueburrice
>nunca devia ter dado ouvidos à ela
>foco no gt
>paro de falar com o Maicão e cada vez mais me entrego pra a Thais
>toda semana era cinema
>lanche na Mc Donald’s
>roupa na Marisa
>minha mesada começou a ser exclusivamente dela
>um belo dia recebo uma mensagem do Maicão dizendo que a Thais tava me traindo
>respondi mandando ele tomar no cu
>ja faziam uns 5 meses que eu não falava com ele e do nothing ele vinha com um papo desses
>ele disse que eu devia ficar atento aos sinais
>não dou a foda pro que ele diz e continuo o namoro
>na semana seguinte vejo ela com uma marca roxa no pescoço
>ela diz que tinha caído da escada
>eu disse que acreditei mas fiquei desconfiado
>nada me tirava da cabeça oq o Maicão tinha me dito
>procuro ele e conto oq aconteceu
>diferente de mim ele não era um filho da puta
>Maicão me ove e depois me conta tudo que sabia
>a Thais tinha vindo da escola em que ele estudava
>ela era conhecida como viúva negra na escola
>ela se prendia à um macho e sugava tudo dele até ele não ter mais nada
>sim, ela tmb sugava o pau
>não, ela não tinha sugado o meu ainda
>Maicão continua a história dizendo que tinha visto ela saindo da casa de um carinha que morava no mesmo bairro dele
>até aí não vi nada demais
>mas ele me disse que ela tinha dado um beijo na boca do cara na saída e quando virou de costas o cara deu um tapa na bunda dela
>ÉOQ?!
>aquela vadia não tinha nem sequer me deixado pegar na bunda dela ainda
>dizia que era só depois do casamento
>eu era beta betoso full +15
>ela me levava pra igreja todo domingo
>acreditava nela sem questionar
>caio no choro e o Maicão me consolou
>disse que eu não tava sendo um bom amigo mas que ele nunca deixou de me ter como irmão
>bolamos desmascarar ela juntos
>ela ia pra casa dele toda sexta de noite
>realizo que era a hora que a mãe dela saía de casa pra ir pro culto de oração da igreja
>caraio_como_sou_burro.jpeg
>chifre.rar
>no dia seguinte falo com a Thais como se nada tivesse acontecido
>ela diz que me ama
>digo que amo ela tmb
>caraio, eu queria matar ela ali naquela hora
>mas amava aquela desgraçada
>feelsbad.png
>sexta feira
>19h
>tava com o Maicão escondido na rua da casa dela
>avistamos a mãe dela saindo de casa
>corremos pra mãe e contamos a história
>mãe não acredita, mas topa ir com agnt até a casa do talarico
>19:30h
>Thais sai de casa com um short enfiado no cu
>pqp pra quê enfiar tanto ssaporra?
>tava tão fundo que ela devia ta sentindo do gosto dele
>seguimos ela de longe
>a vadia entra na casa do moleque
>nessa hora a mãe dela já queria matar ela, mas eu fiz ela esperar
>entrei dando um chutão na porta da frente
>queria pegar ela com a boca na botija
>e consegui
>infelizmente a botija em questão era a rola do cara
>ela tava engolindo o pau daquele moleque com uma facilidade absurda
>nem sua mãe consegue engolir minha piroca tão fácil
>foco no gt
>Thais leva um susto tão grande na hora que morde o pau do cara
>num ato reflexo por conta da dor o cara da um murro na cara de Thais
>ela cai no chão
>a mãe dela comeca a bater nela com uma havaianas e depois começa a arrastar ela pelos cabelos pra fora de casa
>a Thais é arrastada pela rua até chegar em casa
>racho o bico com a cena como mil hienas comemorando a morte do Mufasa
>peço perdão pro Maicão pela cagada que fiz
>Maicão diz que fui um idiota, mas que era o irmão dele e que nada iria nos separar
>dois dias depois Thais chega na escola toda roxa
>tinha apanhado tanto que o conselho tutelar tirou a guarda dela da mãe
>ela chega perto e diz que quer falar CMG
>ignoro
>ela me puxa pelo braço, olha no meu olho e diz:
>como vc descobriu?
>digo que o Maicão me contou tudo
>ela diz que vai pra um orfanato hoje. Só foi na escola buscar sua transferência.
>Kkkkkjkkjjjk
>ela diz que eu posso rir agora, mas quem ri por último ri melhor. Disse também que nunca iria esquecer aquilo e que o Maicão iria pagar por ser x9
>puxo meu braço, dou as costas e vou embora
>ano 2016
>terminei a escola e faço faculdade
>Maicão faz o mesmo curso que eu e estudamos na mesma turma novamente
>full brothers +15
>desde o episódio com a Thais nunca mais tínhamos brigado
>trabalhávamos, tínhamos nossa independência
>tudo ia bem até recebermos o convite para uma festa que rolaria naquela noite
>eu e o Maicão dividiamos o apartamento agora
>o convite veio por baixo da porta dentro de um envelope
>open_bar.jpeg
>o envelope vinha com 2 pulseiras
>as pulseiras davam acesso à área vip da festa onde rolaria os alcoolismo
>ficamos relutante por um momento até abrirmos a carta
>a carta tava endereçada à mim e ao Maicão
>era uma letra de mulher
>não tinha muita informação só dizia que não deviamos perder a festa por nada e que lá tudo seria explicado
>não tinhamos nada à fazer então topamos
>22h
>party.time.jpeg
>logo de cara fomos recebidos por duas loiras peitudas que estavam de camisa branca
>ambas estavam dançando na entrada da festa enquanto se molhavam com uma mangueira
>séélococuzão.rar
>a festa tinha uma proporção de 4 depósitos para cada homem
>a cada dois homens, um era gay
>era tipo o plenário da câmara dos deputados só que ao contrário
>quando entramos no salão principal todo mundo virou pra a gente
>tipo aquela cena do universidade monstro
>as depósitos cochichavam entre elas
>pensamos que tinha algo errado conosco mas a vdd é que éramos os caras mais lindos dali
>na vdd nem éramos isso tudo, mas tínhamos rola e éramos heterossexuais
>feelsalpha.png
>fomos andando até a área vip
>a decoração da festa era cheia de fotos de uma depósito
>era uma ruiva 10/10
>a festa devia ser dela
>tive a impressão que ja tinha visto ela em algum lugar
>áreavip.gif
>a área vip era lotada de bebidas
>não tinha uma depósito abaixo de 8/10
>no buffet tinha camarão e lagosta
>mano do céu era a festa mais foda que eu ja tinha ido
>quando olho pro lado ta o Maicão atracado com uma mina
>dois minutos depois a mina larga ele e agarra outra mina
>ÉOQ?!
>aquilo tava parecendo um bacanal grego
>uma coisa no entanto me incomodava
>quem teria nos convidado?
>avisto a anfitriã da festa, aquela ruiva 10/10
>ela se aproxima de mim lentamente
>mano do céu, paudureci na hora
>só conseguia imaginar eu enfiando o pau tão fundo nela que quando eu terminasse ia ta na camada do pré-sal
>a calça aperta e ela percebe que estou preparado para o abate
>fico sem graça e tento disfarçar
>ela vem por trás de mim, ri e diz que eu fico lindo com vergonha
>gelei na hora
>caraio, era a Thais - pensei
>pergunto se ela era a Thais
>ela ri e me chama de idiota.
>diz que seu nome é Raquel
>caraio, ela nao tinha nada a ver com a Thais
>errei feio, errei rude
>pensei que tivesse estragado minha chance
>raciocinando com a destreza de um crackudo na fissura e digo:
>é porque thaislinda com essa roupa
>ela ri, eu rio, segue o jogo
>nessas horas eu nem sabia mais que existia um Maicão
>só pensava em mergulhar naquelas tetas magníficas
>na boa, se ela fosse minha mãe eu mamaria até hj
>quando olho pro lado o Maicão tava agarrado com duas ao mesmo tempo
>bodyshot.gif
>caraio o Maicão tava levando uma surra de peito na cara enquanto bebia e eu no 0x0
>me aproximo da ruiva já na maldade
>ela chega do meu lado
>põe a mão no meu ombro e fala na minha orelha direita:
>quem é esse teu amigo?
>poooooooooooorra.mp3
>o moleque ja tinha catado duas e agora ia catar a ruiva
>tive vontade de mandar ela se fuder, mas ele era meu brother, não podia prejudicar ele
>nenhuma depósito ficaria entre nós
>não deu nem 10 minutos do momento que disse o nome dele pra ela e ela ja tava agarrada nele
>a ruiva chupava a língua dele como se fosse o último picolé do verão
>avisto uma depósito 9/10 dançando sozinha
>penso em me aproximar, mas antes que eu chegue a ruiva puxa ela e põe na roda com o Maicão
>ja não entendia mais nada
>eu sempre pegava as depósitos +/10 do que ele e agora ele tava numa orgia de bocas e eu sem nada
>começo a beber
>realizo que ta na hora de baixar as expectativas
>avisto uma ananzinha 5/5 escorada no balcão
>me aproximo dela e pergunto se o pai dela era padeiro
>ela pergunta se era pq ela era um sonho
>eu digo que era pq eu queria comer a rosca dela
>sério que anã rabuda do carai
>a anã me dá um tapão e sai de perto
>vsf que festa merda do carai
>comecei a beber descontroladamente pra compensar a frustração
>dou em cima da garçonete
>a garçonete era uma trans
>ela me esnoba e vai embora
>vômito.rar
>caraio nem a mulher com rola me quis
>decido que hoje não é meu dia e que ta na hora de voltar pra casa
>procuro o Maicão pra ir embora cmg
>vejo ele entrando no carro com duas 1,5 depósitos
>pensei que ele tivesse indo pra um motel ou algo do tipo
>ele tava de mãos dadas com a ruiva e com a anã 5/5
>a ruiva olha pra mim, da uma risada e depois um xauzinho
>caraio que raiva daquela ruiva
>me esnobou e agora vai dar pro meu brother
>faço sinal pro Maicão que vou embora
>ele grita “Oklahoma”
>era nosso sinal secreto
>significava que ele ia realizar o ato de socação intra uterina e que eu não deveria incomoda-lo
>entendo o recado, dou meia volta e volto pra casa
>chegando em casa
>tudo girava por conta do álcool
>brinco um pouco com o o Visconde de Sabugosa até ele cuspir
>durmo
>no dia seguinte acordo com dor de cabeça, deitado no sofá
>percebo que tinham 537272717 chamadas não atendidas no meu celular
>todas do Maicão
>imagino todas as desgraças do mundo
>comeco a ligar de volta mas ele nao atende
>recebo uma ligação de um número desconhecido no meu celular
>é uma mulher
>ela ria descontroladamente
>disse que estava na festa o tempo todo me observando
>pergunta se a noite foi boa e se eu peguei alguém
>mando ela tomar no cu e digo que peguei a mãe dela
>ela racha o bico e diz que é impossível pq a mãe dela foi a primeira a pagar oq devia
>gelei na hora
>reconheci a voz
>era a Thais
>ela começa a contar seu plano do mal
>diz que foi parar num orfanato depois daquele episódio
>que apanhou muito da família onde foi parar mas a família era podre de rica
>a família produzia festas tipo o tomorrowland
>viajaram pra fora do país e levaram ela junto
>disse que por muito tempo quis se vingar mas a família não dava a foda
>dois meses atrás a família tinha morrido num acidente de carro e ela ficou como única herdeira
>ela pôs como meta de vida concluir a vingança que passou anos arquitetando
>disse que a festa foi planejada por ela
>que todas as depósitos da área vip foram contratadas por ela baseadas no meu tipo de mulher
>pergunta como me senti não pegando ngm e vendo o meu “amiguinho” catando todas
>respondo que a vingança dela era uma merda e que tava feliz pelo meu brother
>ela racha o bico e diz que a vingança dela não era me deixar sem pegar ngm
>ela queria se vingar dele por ele ter dedurado ela
>pergunto qual vingança há em encher a rola dele de depósito
>você verá - ela me disse
>desligo o espertofone e percebo que chegou uma mensagem do Maicão no oqueapp
>faz uma semana que o Maicão toma mais coquetel que o Amaury Jr.
pica relatada da mensagem
https://preview.redd.it/9o5g9y8ep3n51.jpg?width=1080&format=pjpg&auto=webp&s=3dbefd7c59d10e7b40b9168ddac79176762f8591
submitted by JustCallMeLyraM8 to gtsdezbarradez [link] [comments]


2020.09.07 08:06 arrux1 Eu estou exagerando ou sendo c*zona? Pessoa morando com a família sem consentimento de todos

A minha vida quase toda morei com meus irmãos e minha mãe na casa dela (onde estou atualmente). Porém, em 2016 mudei-me para o Rio de Janeiro por conta da faculdade e fiquei voltando a minha cidade natal apenas nas férias. Com a pandemia consegui homeoffice do estágio e EAD e regressei a casa da minha mãe em março pois achei que seria uma boa ideia ficar mais próximo da minha família nesse momento (risos) e estou temporariamente aqui até agora...
Meu irmão mais velho arranjou uma namorada (eles namoram + ou - a 2 anos) que é sócia de trabalho dele. No inicio do relacionamento ela aparecia de vez em quando aqui em casa, e quanto mais a produção do trabalho deles aumentava mais a frequência dela por aqui tb aumentava. Eu nunca tive problemas com a presença dela antes, até pq passava a maior parte do meu tempo no Rio. Porém, no terceiro mês que regressei a casa da minha mãe, em meados de junho, comecei a achar estranho o fato que ela ficava 24/7 aqui em casa, comia, dormia, ia pro trabalho, voltava e ficava direto por aqui.. porém relevei por questão da pandemia... era compreensível. Meu irmão do meio começou a ficar um pouco incomodado com isso tb pq jamais em nossas vidas trouxemos parceiros para passar tanto tempo nessa casa (até pq no passado, nossa mãe nunca permitiu) e segundo ele, essa situação já estava acontecendo bem antes da pandemia (meu irmão do meio também tem namorada atualmente e ela só apareceu por aqui nesse período algumas poucas vezes). Para além dessa situação, eu não me sinto muito confortável quando pessoas que não são do convívio diário passam muito tempo no lugar onde moro interruptamente, sinto que é uma invasão de privacidade (isso acontece também no meu apartamento do Rio com visitas que ficam mt tempo as vezes, mas converso com minha house mates e sempre resolvemos as situações numa boa - moramos a 4 anos juntas).
O tempo foi passando, eles começaram a comprar uma cama nova, microondas... até que minha mãe hoje confessou pra mim que achava que a menina tinha entregado o apartamento dela e estava morando aqui em casa (ela faz univ fora e n tem família aqui). A questão é: quando eu ouvi isso, eu fiquei muito puta!
Cara eu achei um absurdo a situação. Como é que uma pessoa se muda pra casa que eu morei minha vida quase toda e não conversa com ninguém? Tipo, eu entendo que estamos numa pandemia, ok, mas a menina se mudou sem previsão nenhuma de volta e não falou nada sobre isso. Como é que alguém vai comendo pelas beiradas e do nada PUFF se muda pra sua casa? Eu achei bizarro pra crl sendo que nem noivos eles são nem nada, é um namoro de 2 fucking anos.
Eu me senti desrespeitada pois não fui consultada e dividi isso com minha mãe. Falei que não gostei da forma que as coisas foram feitas, como é que se mudam pra uma casa com uma família morando e não consultam os moradores? Ela me respondeu que achava que eles iam casar em breve pq "a menina queria muito" e como mãe, queria dar o apoio nesse momento.
A menina não conversou nada com minha mãe que ia se mudar pra lá e aparentemente ela não ta ligando muito pra isso... Porém minha mãe ficou chateada pq eu fiquei afetada. Mas eu não acho que estou errada... enfim, de qualquer forma já estou vendo passagens para regressar ao Rio no próximo mês pois meu trabalho vai voltar presencial em breve, mas está me preocupando o fato dessa situação se alargar por muito tempo... tenho medo de ter que voltar pra essa casa por questões financeiras no futuro (vou fazer de tudo para que não) e ter que conviver com mais uma pessoa que não escolhi (como se não já bastasse a relação conturbada com meus familiares). Eu jamais me mudaria pra casa dos pais de um namorado sem conversar com a família dele antes nem traria pra morar comigo assim sem mais nem menos. Enfim, vocês acham que eu estou exagerando? É legítima minha indignação?
Nota: Meu irmão mais velho já teve relacionamentos muito mais duradouros no passado de 5, 6 e 8 anos e isso NUNCA rolou antes, nunca tive esse problema com nenhuma delas. Nem com namorados meus ou namoradas do meu irmão do meio.
Nota2: Aparentemente essa menina quer muito casar com ele e eles se dão bem, mas não sei se meu irmão quer...
Nota3: Todos os moradores da casa são adultos maiores de idade.
submitted by arrux1 to desabafos [link] [comments]


2020.09.04 18:33 DanteStonecross Senta que la vem história

Eu to a algum tempo lendo e comentando coisas nesse /, e eu sempre quis dizer varias coisas aqui, porque de algum jeito eu me sinto confortável de ver essas coisas e todos vocês, mesmo discordando com algumas pessoas aqui e ali ta tudo bem, discordar é normal, faz a gente mais humano.
Mas eu queria muito contar uma história aqui hoje, é uma jornada importante pra mim, e eu espero que vocês gostem de me ver aprendendo uma coisa muito complicada. Nessa história, todos os nomes serão fictícios, e será um resumo muito resumido, então a grande maioria dos fatos não está aqui, mas o que isso tudo me ensinou, você vai poder ver com certeza.
Eu sempre fui um Romântico, e quando eu digo Romântico, eu falo da escola literária, eu não uso aquele português difícil, mas eu enxergo o mundo de uma maneira similar, eu vivo os momentos com as pessoas com intensidade, com muito sentimento, e os momentos seguintes a esses vem a melancolia.
A primeira vez que eu me apaixonei quando tinha 11 anos, o mundo se tornou diferente pra mim, era como se de repente todo o resto fosse preto e branco, e apenas aquela garota fosse colorida(eu tenho essa história contada em um texto, que é o ponto inicial da minha depressão, escrito exatamente como aquela criança enxergava o mundo, se ao final alguém se interessar eu mando sem problemas).
E, perto se fazer 14, em 2013, eu conheci uma garota muito mais do que bonita, ela era simplesmente divina aos meus olhos, ela era tão incrível, ela tinha absolutamente tudo que eu gostava. Eu conheci a Ágata dando aulas de matemática(o que mais um nerd faz?) e algo me chamou muita atenção: mesmo com 13 anos eu já tinha dado muitas aulas pra muitas pessoas e todo mundo tem um limite, todo mundo desiste(pede uma pausa) depois de X questões, mas ela não, mesmo sem entender muitas coisas ela persistia até o fim tentando entender tudo, até o horario dela ir embora ela continuou la, com o caderno e a caneta fazendo de tudo pra conseguir entender.
Bons meses depois Ágata se tornou minha melhor amiga(embora no início ela respondia minhas mensagens a cada 3 semanas, sem exagero!), e mais um tempo depois e muitos conflitos com a família dela, a gente começo a namorar.
Eu ainda não posso explicar o que era a sensação de namorar com ela, ela era literalmente o que todo garoto sempre sonhou: baixinha, cabelo cacheado, um rosto muito agradável, um sorriso lindíssimo, peitos e bunda enormes(ENORMES), cantava feito um anjo, era popular, divertida, extrovertida, dedicada, esforçada... É uma lista de qualidades que, na época, transbordava.
De 2014 até 2019, nós tivemos 3 anos de relacionamento e 5 anos de amizade, e eu aprendi muito mesmo em todos esses anos. O motivo do término do relacionamento(numa versão em resumo do resumo do resumo) foi, principalmente, possessão. Eu tenho um pai que é extremamente possessivo e eu levei 14 anos pra sair das garras deles(ou seja, ainda era recente quando eu conheci ela), e 1 ano depois do namoro ela começou a querer cada vez mais a minha atenção, onde eu não sentia mais liberdade pra fazer coisas que eu queria, porque eu tinha que ficar 3 horas falando no telefone com ela(e eu nem gosto de falar no telefone).
Não me entendam mal, eu não estou dizendo que fui perfeito, que não tive defeitos ou que só eu que estava passando por problemas, acabou porque precisava acabar. Inclusive se você, Ágata, por algum motivo descobriu o reddit e se reconhecer nesse post, saiba que mesmo não mais falando com você e não conseguindo mais olhar na sua cara(história pra outro dia), você pra sempre terá minha gratidão e meu respeito, nós vivemos muitas coisas juntos e, se hoje eu sou um homem, foi você que o moldou, muito obrigado.
Quando isso terminou, eu comecei a conversar mais com uma outra garota que eu conhecia, estudava na mesma escola que a gente, e conforme eu a conheci, ela começou a conquistar cada vez mais espaço no meu coração.
Carol era uma mulher interessante de várias maneiras, ela era extremamente extrovertida, cantava muito bem, tinha muitas histórias pra contar, era uma das pessoas que mais tinham ficado com gente na escola, e principalmente, ela tinha acabado de ganhar uma filinha. O jeito que a Carol olhava pra filha dela me fazia querer estar por perto, não porque ela parecia uma mãe incrível, mas porque havia uma dualidade dentro dela: aquela criança foi concebida de um estupro, onde foi muito difícil aceitar conceber a criança, quando ela nasceu era completamente visível que ela não sabia o que fazer, ela amava mais do que tudo aquela criança, ao mesmo tempo que ela via o homem que fez isso quando olhava pra ela(graças a deus, isso mudou bem rápido).
O tempo passou e eu e Carol começamos a nos dar muito bem, e em meados de 2019 a gente se beijou pela primeira vez, essa foi oficialmente a segunda pessoa que eu beijei na vida e cara, que coisa mais estranha, eu não sabia nem como descrever o que tinha sido aquilo de tão estranho... Até que ela me beijou uma segunda vez, e ai oficialmente, aquele era o melhor beijo do mundo.
Eu e Carol ficamos mais algumas vezes, e a gente se dava muito bem em tudo, até na cama era muuuuito diferente do que era com a minha ex, e a gente fazia tantas coisas juntos, viamos animes, conversavamos sobre varias pessoas, saíamos pra comprar roupas...
Cada dia que passava o meu sentimento só aumentava, e quanto mais ele aumentava, mais coisas que eu achava incríveis aconteciam, como a gente ver as coisas abraçadinhos, ficar de mãos dadas, varias dessas coisas de casal.
O meu erro? Carol desde o inicio falou "Não se apaixona por mim, eu não me apaixono por ninguém". Eu segui essas instruções o quanto foi possível, mas cara, talvez fosse loucura minha, mas parecia muito que ela também estava apaixonada, não com palavras porque toda vez que eu mencionava ela mudava a expressão e o jeito por um tempinho, mas as atitudes dela, os nossos momentos...
Depois de um tempo, no inicio desse ano, eu tentei cortar a Carol da minha vida torcendo pra que resolvesse meu problema, e deu certo por 1 mês até que ela me mandou mensagem perguntando quanto tempo isso levaria. Eu dei o meu melhor e coloquei todos os meus sentimentos em um texto, cada palavra continha tudo que eu sentia por ela, e ela também fez um texto de volta pra mim, e eu pude sentir o que ela sentia também, ela queria ser só minha amiga, e nada mais.
Nós ficamos mais 3 ou 4 meses sem nos falar até que, por intermédio de uma amiga em comum, a gente voltou a se falar e, desde então eu vi Carol mais umas 3 ou 4 vezes, mas é tudo muito estranho, a gente troca mensagens uma vez por semana e olhe la, eu nem acredito que um dia a nossa amizade volte, quanto mais a gente ficar ou coisas do tipo.
Mesmo com tudo isso, ela sempre viveu no meu coração.
Porem aqui vem a lição, meus amigos.
Há semanas atrás, eu consegui contato com uma garota que a gente não se via a muitos, muitos anos. Sabe aquela história de primeiro amor a gente nunca esquece? Esse foi meu segundo, e o que eu verdadeiramente nunca esqueci, eu sempre vou me lembrar do meu primeiro dia de aula numa escola completamente nova, e no fim do dia eu ainda todo perdido uma garota me puxa, me olha nos olhos e a primeira coisa que ela diz pra mim é: "Você namoraria comigo?". A resposta pra essa pergunta era não, obviamente, foi muito aleatório, mas eu estava tão nervoso que saiu "sim", ela deu um sorrisinho e voltou ao que tava fazendo. Desde aquele dia, Livia se aproximou cada vez mais de mim, e ela tentou me conquistar todos os dias, e acreditem em 2012/13 eu não era naada fácil.
E quando eu consegui falar com ela novamente, alguma coisa dentro de mim estalou, a gente voltou a conversar e era como se nada tivesse mudado, a gente conseguia desenvolver do mesmo jeito que a gente sempre fez, nem parecia que tinham 7 anos sem contato. A gente se viu algumas vezes(sim, eu sei que a gente ta de quarentena, todas as medidas de seguranças foram tomadas pra gente conseguir) e, cara, eu tinha me esquecido o que é olhar pra alguém que te olha como se você fosse uma obra prima, aquele olhar de quando éramos crianças não mudou nem um pouquinho, ela ainda olha pra mim como se eu fosse a pessoa mais legal do mundo.
Eu, com todos os meus defeitos, com todas as minha chatisses e meu jeito ""inteligente"" de ser, onde a lista de qualidades é exatamente igual a lista de defeitos, ela me vê como se fosse alguém muito mais do que incrível.
E eu olho pra ela assim também, e quando eu a olho, eu quero que ela sinta a pessoa incrível que eu vejo, uma pessoa que passou por inúmeros problemas pelo mundo afora e ainda passa, alguém que realmente foi a raiz do meu gosto pelas mulheres, que me ensinou que atitude é a melhor caracteristica possível em alguém, e que eu quero alguém com isso na minha vida, alguém que tenha coragem de me puxar pelo braço e dizer que me quer, alguém que queira os meus toques, alguém que querias os meus carinhos, as minhas massagens, os meus abraços, as minhas implicações, assistir animes ou séries comigo, beber comigo, aprender e viver todo tipo de experiências e situações. É isso que eu quero com ela também!
Esse é um pedacinho da minha odisseia, eu pedi a Deus, ao universo, a seja la o que for que estiver ai fora por nós, pra que 2020 seja um ano de apredizados e conquistas, 2020 foi o ano mais difícil da minha vida, onde por conta de um treinamento pra competição, da pandemia(home office) e tambem por causa de ter a Carol na minha cabeça, eu passei pela pior fase da minha vida, mas eu consegui correr atrás de ajuda a tempo(onde eu devo a minha vida a minha hipnoterapeuta, que mulher excepcional) e, no final dessa jornada, eu cresci muito e me tornei bem mais forte.
Muito obrigado, eu deixo aqui os meus agradecimentos a todas essas garotas, que me mostraram quem eu quero junto a mim e quem eu quero ser, a minha mãe que é a melhor mãe do mundo e, mesmo a gente se desentendendo as vezes, eu não resistiria sem ela, a minha hipnoterapeuta que consegue a façanha de me colocar em transe(hipnose ericsoniana é a melhor, sem dúvidas!) e que me ensinou muuuito mais lições do que eu teria aprendido em 20 anos da minha vida.
E principalmente, muito obrigado a mim mesmo, por ter aguentado até aqui, por nunca ter parado de ir pra frente mesmo pensando todos os dias em desistir, em jogar tudo pro ar, pensando até em coisas muuito, mas muuuuito mais escuras nos dias mais dificeis, mesmo assim nós estamos aqui, prontos para a proxima jornada, onde a gente vai sofrer, mas a gente vai aprender algo a respeito disso no final.
Se você chegou até aqui, meu caro amigo, eu só queria te contar a história de como eu descobrir o que, pra mim, é o amor. Amor é o que eu sinto quando olho pra alguém que também me devora com o olhar e as atitudes, amor não é toda a intensidade, todo o fogo, toda a loucura, não! Pode ser um pouco disso, mas principalmente, amor é reciprocidade, é você não ter que se esforçar em mudar 1001 coisas só pra agradar a pessoa, quem você ama e quem te ama de verdade gosta de você por ser quem você é, e é isso que eu quero pra minha vida, amar e ser amado!
Eu não sei se eu e Livia vamos ficar juntos, a gente deve descobrir mais a frente, mas eu sei que eu quero isso, e se o destino(ou o universo, ou deus...) não permitir que a gente fique junto, tudo bem, eu sei agora o que procurar, e que vai existir mais alguém que olhe pra mim do jeito que eu olho pra ela.
submitted by DanteStonecross to desabafos [link] [comments]


2020.09.02 18:10 gusuniverse Pessoas com ansiedade ou Síndrome do Pânico: qual foi o primeiro sintoma que sentiam?

E aí gente, tudo bem? Semana passada, eu passei mal, tipo como se estivesse com a pressão baixa. Como era impossível eu me deslocar imediatamente ao hospital (eu estava só em casa), fiquei apavorado achando que era um problema súbito. Tirando o coração acelerado e o nervosismo, só senti isso mesmo. Aferi a pressão arterial e estava 14/10.
Como no começo do ano eu fiz uma série de check ups cardiológicos devido a uma suspeita de hipertensão, voltei ao médico supondo haver alguma ligação entre o meus sintomas. Resultado: o cardiologista me encaminhou para um psiquiatra supondo ser Ansiedade ou Síndrome do Pânico. Disse que eu estava bem do coração, sem nenhuma doença e que, por ser jovem (tenho 24 anos), era desnecessário eu “viver” no cardiologista.
Entretanto, eu fiquei confuso porque não me lembro de ter sofrido nenhum trauma ou abuso na minha vida. Quer dizer, desde criança eu sempre fui meio hipocondríaco. As manias típicas TOC assombraram a minha adolescência inteira (mas nunca cheguei a um diagnóstico médico sobre, só os meus sintomas que eram muito parecidos). Até hoje esses pensamentos intrusos me afetam, porém numa escala muito menor do que era na juventude. Todavia, pelo que eu vejo na internet e redes sociais, há sempre um “gatilho” pra despertar as crises de ansiedade, certo? Como problemas na família e namoro, desemprego, baixa autoestima, insegurança com a aparência e sexualidade e essa própria pandemia do coronavírus. Mas nada disso é o meu caso.
O que vocês acham? Eu devo me consultar com um psiquiatra ou a causa seria mais “orgânica”, devendo procurar outro cardiologista? Agradeço desde já!
submitted by gusuniverse to desabafo [link] [comments]


2020.09.01 22:52 kinoko_okonik Eu sou babaca por não tolerar o comportamento da minha mãe?

(É uma história meio longa) Eu realmente preciso de uma ajuda com isso, vou dar um contexto: eu sou garota, tenho 17 anos, minha mãe me teve muito nova, então quando eu tinha 3 anos, ela conheceu um rapaz brasileiro cuja família morava no EUA e foi embora pra lá, de lá pra cá ela nunca mais voltou, mas conversa diariamente comigo. Eu moro com os meus avós, que eu chamo de pai e mãe, mesmo nossa relação não sendo muito boa a gente convive.
Ok, voltando à história, eu namoro à 9 meses com um garoto maravilhoso, ele me faz muito bem. Minha mãe não gosta dele, mas nunca falou nada sobre, como ele mora perto eu vou na casa dele direto, minha avó gosta bastante dele. Minha mãe fez questão de me ligar, como a gente tava ocupado jogando e dando beijinho eu recusei e mandei uma mensagem de "mãe, eu tô ocupada, depois a gente se fala ok?" Ela não gosta dele, sendo que ela nem conhece ele, e usou disso pra fazer um comentário racista sobre meu namorado (Meu namorado é negro) e reafirmar que ele não gosta dele por coisas que eu disse no passado (Ano passado eu e ele éramos amigos mas nossa amizade tava passando por uma fase ruim já que a gente se gostava mas era muito complicado ficar junto, então eu disse que ele andava muito triste e quieto), ela disse que "ele não dá valor na vida que deus deu pra ele". E eu fui bem clara e falei
Eu: Ainda bem que quem vem aqui sou eu e não você.
Mãe: Opa, olha o jeito que você fala comigo, eu não tô te maltratando.
Eu: Nem eu, mas essa foi uma opinião que eu não pedi, uma piada que eu não gostei (sobre a piada racista que ela fez)
Mãe: Você precisa aprender à rir das coisas, ter senso de humor. Você precisa de pessoas positivas na sua vida.
Eu: Ele é uma pessoa boa, e é mais positivo do que você tá sendo pra mim, ele me faz bem feliz e eu não vou parar de vir aqui porque você quer.
Isso resultou em uma grande discussão que no final eu falei "Desculpa se eu te ofendi". Ela mandou uma mensagem falando que não queria mais falar comigo, ok, passaram 4 dias e eu não chamei ela, não falei com ela sobre nada. Acho que ela esperava que eu fosse chorando pedir desculpa por não aceitar a piada maldosa dela, eu só aceitei o "não quero mais falar com você" e não chamei ela.
Hoje ela ligou para a minha vó, falou mal de mim, do meu namorado, ameaçou parar de ajudar minha vó à pagar as contas. Então eu fui falar com ela, eu comecei à fazer psicóloga faz poucos dias, então eu resolvi torar esse peso das costas pra não precisar encher o saco da minha psicóloga com briga assim e me abri pra minha mãe.
Disse que ela não me conhece direito, que eu quero ser amiga dela, a gente podia resolver tudo isso, pedi desculpa se eu ofendi ele, pedi pra ela me ouvir e disse o quanto meu namorado me faz bem.
Ela me mandou aseguintes mensagens: "Você tá sendo dramática, eu não fiz nada demais e você começa à gritar e ser assim" "Eu não tô podendo com esse tipo de relacionamento, isso é tóxico" "Você tem idade o suficiente pra saber o que é certo e o que é errado"
(Lembrando que eu não gritei com ela afinal em todo esse tempo a gente só trocou mensagens no Whatsapp.)
Eu disse: Ok, se você tá me fazendo mal e eu tô te fazendo mal, eu não vou mais voltar na conversa, desculpa. Eu só queria que você fosse minha mãe e minha amiga.
Ela mandou um áudio de 3 minutos falando pra eu me pôr no meu lugar, eu não sou a dona do mundo, eu nao sou a "fodona". Eu disse que eu nunca disse isso, ela tava pondo palavras na minha boca, ela respondeu falando que eu coloquei nela erros que ela não cometeu e ela é a única que me apoia.
Segue a conversa:
Eu: Eu desculpa, você que tá na defensiva.
Mãe: Claro que eu entrei na defensiva, vocês só me atacam, uma hora a pessoa precisa se defender, não sou saco de pancadas.
Eu: Ninguém tá te atacando, eu falei como eu me sinto, foi pra isso que você me colocou numa psicóloga. Eu não gritei com você, eu não briguei com você, só tô tentando conversar.
Mãe: Coloquei pra ver se você para de ser egoísta, te ensinar à ser mais humana.
Eu: Ela não é professora, ela tá lá pra conversar.
Mãe: Você viu qual o seu erro? Não importa quem esteja errada, eu não vou discutir com ela e cobrar dela uma opinião que não é minha. Se você tem uma opinião, guarde pra si.
Eu: Digo o mesmo, guarda a sua opinião sobre o meu namorado.
Mãe: Não é opinião, é conselho.
Eu: Mas eu não pedi!
Mãe: Você sabe que eu faço brincadeira.
Eu: Eu sei, mas eu não gostei, simples, o limite do humor é quando magoa alguém. (E isso magoou meu namorado, ele ficou extremamente incomodado)
À partir daí ela quis me dar sermão, falou que não vai pedir desculpa, falou pra eu só chamar ela quando eu souber conversar e eu cansei de ser lógica e disse "Ok, eu vou te bloquear, eu cansei de tentar falar com você em paz, você não entende mesmo."
Ela me ligou URRANDO de raiva, disse que eu era uma desgraçada ingrata, eu tava de castigo, não ia fazer mais nada pra mim, se soubesse que eu sai de casa vai tirar tudo que eu tenho, vai cancelar a psicóloga.
Eu quero saber, eu fiz errado em algum momento? Eu não vou deixar ela magoar a pessoa que mais me faz bem nessa vida de forma alguma. Alguém tem algum conselho?
Update: ela me mandou mensagem falando que me mandou dinheiro pra comprar coisas, eu falei "não quero, manda pra (minha vó) pagar conta", eu tô tão brava com ela tentando me comprar que não cabe em mim a raiva.
submitted by kinoko_okonik to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.31 03:54 LilyoLirio Sinto que é hora de terminar, não sei mais o que fazer

Preciso muito da opinião de voces, pois quem é próximo não quer opinar:
Namoro um cara mais velho, a quase 9 anos
Depois de uns 4/5 anos de namoro, comecei a falar sobre morarmos juntos e planejar o casamento. A resposta dele era uma só: não tinha condições, pois precisava ganhar mais para isso, precisava de uma “promoção” no trabalho
Pois bem. Incentivei ele a correr atrás da promoção, estudar, se dedicar. Passamos finais de semana trancados na minha casa, pois só lá ele conseguia estudar. Deixamos de sair para ele economizar. Depois de 2 anos, a “promoção” veio
Achei que tudo mudaria. Mas adivinhem? Nada mudou. Continuou “sem dinheiro”, até para coisas mais simples como sair para jantarmos e dividir a conta. Diz que não consegue alugar uma casa comigo ou economizar para o casamento. Chamei ele para morar com a minha família, para ver se ele se animava com a região. Ficou aqui um ano e pouco, nunca pagou UMA conta, de vez em quando fazia umas compras no mercado. E só
Fizemos uma viagem ano passado e pediu para passar TUDO no meu cartão, passagem, hotel, restaurante, banquei sozinha uma viagem que deveria ser dividida. E Não me pagou até agora.
Já ofereci ajuda para organizar as finanças, ele não me ouve. Não sabe me explicar onde vai parar tanto dinheiro, minha desconfiança é que ele banca a casa dos pais, mas não me conta pois já discutimos sobre isso. Passamos muito tempo juntos, me dá a senha do celular e tal, por isso não acho que seja traição
Eu estou esgotada. Gosto dele mas não consigo mais viver nessa incerteza. Para piorar, quero mudar de trabalho e agora que preciso não estou recebendo o mesmo apoio que dei
Sinto que já é hora de terminar, mas sempre fico na esperança das coisas melhorarem e medo de me arrepender
O que vocês acham? Agradeço muito a opinião de vocês que leram 🙏🏻
submitted by LilyoLirio to desabafos [link] [comments]


2020.08.26 19:14 talinda_ Ansiedade por alguém

Olá pessoal
Tudo bem com vocês?
Conheci um rapaz no trabalho, no qual estou há dois anos e nunca tinha notado ele, pois trabalhamos horários diferentes, porém, esse ano fizemos um trabalho juntos e então seguimos um ao outro no Instagram e depois de de então conversamos, passamos dias após dias conversando, até bater aquele desejo de ficar um com o outro. A questão é que eu moro com meu namorado e ele foi casado mais se separou e agora estava ficando com uma menina no qual iria pedir em breve em namoro. Marcamos de ficar, porém chegou o covid e fique com medo de ir. Até então demoramos e não rolou, só que o meu desejo por ele ainda é muito forte a curiosidade, eu nunca fiquei com outra pessoa a não ser meu namorado, estou falando em termo de sexo. Por isso a tão sonhada curiosidade. Algumas vezes nos falamos no Instagram, mas eu sinto que ele fala por educação e fico ansiosa em ver a mensagem dele, já falamos de todos os assuntos possíveis, essa semana ele falou comigo algo do trabalho e no meio da conversa ele quis saber se eu ainda estava afim de trai, eu disse que ainda sentia desejos e curiosidades, ele disse para eu não seguir com isso pq eu não iria mais parar, mas depois falou sobre sexo que iríamos fazer, eu não sei qual é a dele, eu sinto um puto desejo por ele e isso está me matando aos poucos, pois eu penso muito nele, penso em todas as coisas que ele disse que ia fazer comigo e eu me sinto estranha com isso e ainda pq eu sei que eu não terei coragem de ir a fundo com isso e ele muito menos, pois a única impressão que eu tenho é que ele quer o tão sonhado sexo e fora. Desculpas, mas hoje estou com uma crise de ansiedade horrível, pois iremos fazer um trabalho novamente juntos e como estamos de home office ele se ofereceu para ir lá em casa já que estou sozinha esse tempo, e o que está me matando é exatamente isso, como será a vida dele até a minha casa? Dois amigos orientou que ele não vinhesse na minha casa, poderia ser na dele, mas ele disse que não precisava de ir na dele que ele vinha na minha. Acho que a namorada dele está lá.
Pessoal, o que eu faço? Se ele vim aqui eu tenho medo de não resistir e ficarmos e depois ele falar no trabalho ou eu me apaixonar e querer outras vezes e ele da um fora pq a forma de como ele fala o sexo é bom, mas tbm ele se acha demais e isso me irrita algumas vezes. Devo excluir ele do Instagram? Whatsapp?
Eu sou trouxa demais.
submitted by talinda_ to desabafos [link] [comments]


2020.08.24 15:02 LeastFudge9 Se querem uma dica, procurem saber o que buscam em relacionamentos antes de sofrerem por não estarem em um (ou de efetivamente entrarem em um)

Vejo muitos posts de "nunca namorei" por aqui, entendo cada um de vocês e digo que me vejo um pouco nesses posts também. Talvez meu post ajude. Isso aqui vai ser longo.
Sou homem, hétero e tenho quase 25 anos. Até os 22, nunca tinha namorado, nem transado, e entre essa idade e meu primeiro beijo (aos 11 anos de idade), eu havia beijado quatro garotas, uma delas talvez eu não devesse contar, pois foi uma amiga de minha mãe bem mais velha que praticamente me forçou a fazer isso quando eu tinha 14 anos. Mas ok, contemos quatro garotas dos 11 aos 22 anos. Isso me deixava triste nos mesmos moldes que vejo aqui em muitos posts.
No dia do meu aniversário de 22 anos, uma conhecida 16 anos mais velha avançou nas investidas por WhatsApp e me enviou nudes. A partir de então, foi tudo muito rápido, tive minha primeira vez com ela e foi fantástico. Ela estava em um processo de divórcio iniciado havia menos de um mês e tinha um filho de oito anos. Daí começa meu inferno.
Ela era uma mulher muito inteligente, bonita e, para me convencer a iniciar um namoro, praticou o famoso "love bomb", eu me sentia o cara mais foda do mundo, ela inflava minha autoestima de uma forma que ninguém jamais havia feito. Iniciamos um relacionamento sério e entrei no fogo cruzado de uma guerra que envolvia minha então namorada, o filho único dela de oito anos de idade e um ex marido extremamente agressivo e descontrolado.
Cheguei a receber ameaça por WhatsApp do tal ex, o filho dela levava recadinhos velados do pai pra mim, me ligava quando estava com os coleguinhas e me xingava das piores coisas e dos piores nomes possíveis (palavras que uma criança da idade dele não devia saber). Tudo isso enquanto frequentemente o garoto chegava da casa do pai quebrando a casa e gritando, eu acho que isso de esperar o inferno toda vez que ele ia pra casa do pai provavelmente foi o que me fez desenvolver um grau de ansiedade. E como já deve ter sido possível perceber, rapidamente eu ficava mais na casa da minha então namorada que na minha própria casa, por livre espontânea pressão.
Como se não bastasse, minha então namorada era extremamente controladora. Com o tempo, eu não podia mais conversar com outras mulheres, ela gritava comigo e quebrava a casa quando estava - nas palavras dela - "surtada". Pra ajudar a ilustrar, lembro-me que uma vez bocejei enquanto estávamos em um restaurante (EU organizei a ida, foi meu presente de dia dos namorados) e ela começou a brigar, perguntando se eu não queria estar ali (e então passei a ter receio de bocejar perto dela - e eu bocejava bastante, porque trabalhava e fazia faculdade).
Houve também uma situação em que recebi uma proposta profissional que significaria passar quatro meses em outro país. Ela surtou, passei uma noite em claro com ela gritando, quebrando a casa, tentando me expulsar de lá (como eu iria embora com a mulher naquela situação?). Enfim, foi um inferno, nem gosto de lembrar. Acabou que eu neguei a proposta profissional, ao mesmo tempo em que ela saiu falando para meus amigos (que viraram amigos dela também) sobre como ela, apesar de triste com a distância, achava uma oportunidade e um projeto muito importantes. E também encontrou meios de me manipular ao ponto de eu ficar na dúvida sobre por que eu tinha negado a proposta. Recentemente, depois de mais de um ano de terminados, ela disse pra uma prima minha sobre essa história e confessou que "fez de tudo que foi possível" para que eu não fosse. Me senti um idiota.
O cúmulo, na verdade, foi quando minha família alugou um sítio para comemorar o aniversário da minha irmã mais nova, a festa consistia em as pessoas mais chegadas ficarem um fim de semana inteiro neste sítio. Nessa época, minha ex já tinha desenvolvido uma posse sobre mim que incluía ter uma espécie de ciúme do tempo que eu dedicava à minha família (que já era quase zero). Justamente por isso, percebi que minha ex estava resistente a ir para este sítio, optei por fingir que não tinha percebido. No dia de ir pro sítio, como eu já suspeitava, ela estava em surto e passou a manhã inteira deitada. O filho dela estava ansioso pra ir, pois tinha piscina e outras crianças, então resolvi que iríamos eu e ele, disse isso pra minha ex e falei pra ela me ligar assim que quisesse ir, que eu a buscaria. O sítio ficava a uma hora de carro.
Vou resumir o que aconteceu, embora para passar o meu terror eu devesse contar detalhadamente. Basicamente, para fazer-me sentir-me culpado por ter ido sem ela, ela resolveu colocar fogo em umas toalhas (muitas!) no chão do banheiro, a ideia - isso tudo eu só concluí passados meses - era criar uma cena de horroincêndio pra quando eu chegasse. O que ela não calculou é que o álcool evapora rápido, então ela queimou o rosto, parte do cabelo, o pescoço, parte dos seios e da barriga. Ela me ligou em pânico e eu corri de carro tarde da noite em uma estrada deserta. Daí em diante nossos dias foram de hospitais (eu fiquei nos hospitais o tempo todo) e cirurgias plásticas. Ela não ficou com nenhuma sequela física. Depois que a ajudei com as queimaduras (em casa, eu fazia os curativos) e cicatrizes temporárias, terminamos (e no dia seguinte ao término ela bateu o carro e, pela forma como foi, parece ter sido proposital). Mas, enfim, consegui sair desse relacionamento abusivo depois de quase dois anos. Esse textão que escrevi é só uma porcentagem do que passei.
Menos de um mês após esse término, retomei contato com uma amiga (e paixonite platônica) de adolescência, acabou que ficamos e veio outro "love bomb". Caí nessa de novo pra depois de dois meses ela me tratar feito lixo, me dar respostas mal educadas, me ignorar e perder a paciência por coisas banais. Essa noite tive um pesadelo com o desdém dessa última ex (faz nove meses que terminamos) e acordei mal, por isso vim aqui desabafar. Felizmente, esse outro relacionamento não durou mais que quatro meses.
Hoje, olhando pra trás, percebo que caí nessas porque tenho uma carência advinda de um abandono afetivo na infância/adolescência, fruto de situações com meus pais. Ou seja, eu estive buscando suprir com relacionamentos uma carência paternal/maternal, então virei alvo fácil para pessoas complicadas ("love bomb" e visões idealizadas e fantasiosas de relacionamentos me fisgaram fácil). Eu estou bem atualmente e bastante feliz com vários projetos pessoais e profissionais, talvez esteja na melhor fase da minha vida nestes termos. No entanto, estou quebrado para relacionamentos e sei que precisarei de terapia para superar a resistência que adquiri com os traumas que relatei. A conclusão é: procure conhecer a si próprio e reflita bastante sobre porque não estar em relacionamentos lhe afeta, pois você pode estar tentando tapar um buraco que na verdade lhe fará ser presa fácil. Esteja em um relacionamento por ter descoberto alguém que te leve para frente, não somente por estar. Inclusive, não faz sentido estar em um relacionamento apenas porque você quer estar em um relacionamento. Não sei se estou sendo claro.
É isso, obrigado.
submitted by LeastFudge9 to desabafos [link] [comments]


2020.08.24 05:33 marcel22bala Posso a me tornar um incel

Texto grande a vista ...
Há algumas semanas , caiu a minha ficha do porque eu não ter muitas amigas e acho que isso deve pelo fato de que toda vez que eu tinha o intuito de conversar com uma garota era porque tinha segundas intenções ( namoro , sexo ) , isso me deixou devastado até porque umas das boas amizades que cultivo muito , proveio destes interesses...
Eu me desenvolvi num ambiente muito masculino , era todo dia bricando com os meus primos , os garotos da rua e na escola tbm . No meu circulo social não havia uma garota , eu não as a via como alguém que você fazia amizade mas sim alguém para namorar . Eu não achava que era possivel garotos da minha idade conversar com uma garota apenas pra ser amigos , era tudo uma questão de algo a mais .
Isso seguiu até o meu EM , onde graças ao universo eu pude sair da minha bolha de only male friends para garotas também . Mas ai foi tudo muito estranho " como essa garota ta conversando comigo e não quer nada comigo ?? "Ou deu atenção pra mim " sera que ela quer algo comigo ? " . Ao longo do tempo essas perguntas foram recorrentes . E nas elucidações que eu tive ainda no EM é que o motivo de eu ter vergonha pra conversar com garotas é que eu queria algo a mais ( quando eu tento transparecer algo que não sinto de vdd uma hora acaba saindo pela culatra ) , quando eu era legal , gentil com elas - com as garotas que eu tava interessado - era sempre pra ter algo em troca ( namoro ...) .
Acho engraçado , você deve ter pensado agora " vish é daqueles altos proclamados "niceguys". Sim , reconheço que fui um , mas não aqueles que vc vê no niceguys , mas aquele que reconhecia que estava sendo legal pra ter algo em troca ( n , eu não xingava mulher na net apesar de que participava de grupos de shitpost , que esse tipo de coisa era recorrente ) , mas no fundo , bem lá no fundo eu sabia que era simplesmente uma fucking OBRIGAÇÃO ser gentil , educado com as pessoas em geral !
Anteontem e ontem vi dois videos da ContraPoints que falava sobre homens e incel e caralho me senti mal pra porra de achar que eu posso chegar no nivel de um incel fudido . Isso me deixou desesperado
Namoral só queria poder tefazer amizades com garotas sem que essa nóia de segundas intenções aparecesse . Uns pode achar normal mas quando a luz da segunda intenção acende pra toda garota que tu comprimenta , conversa acho que isso é algo anormal . Atualmente estou tentando mudar ...
Obrigado , se leram até aqui ! Tenha um bom ( quando estiverem lendo isso aq )
submitted by marcel22bala to desabafos [link] [comments]


2020.08.13 22:06 Natali-Gessoli O PEDIDO

Oi Luba, Gatas, Editores, Papelões e turma q esta a ver. Essa história se passa no 4⁰ ou 5⁰ ano e envolve eu e minha amiga (que pediu para nn falar o nome caso alguém da sala veja)Narls.
Naquela época tínhamos o costume de levar dois bichinhos de pelucia, aqueles agarradinhos, pra escola, um burro chamado Bruno(meu) e uma coelha chamada Jujuba(da Narls). Certo dia estávamos na aula de educação física, enquanto o professor explicava a ativade estávamos brincando com os bichinhos. Os bichinhos gostavam um do outro, mas nada sério. Então o Bruno tomou uma iniciativa e decidiu pedir a Jujuba em namoro. Tudo estava dando certo, até que chegou a hora do pedido. No momento que o eu, como o Bruno falei:"Você quer namorar comigo?" A sala inteira calou, foi o maior silêncio e todo mundo nos encarando, até o professor. Não sabendo como agir minha amiga Narls teve a reação correta de se esconder de tanta vergonha e fingir q nn existia. Mas eu no meio do pânico fiz o seguinte, fiquei em pé e comecei a gritar:"FOI O BRUNO E A JUJUBA, NÃO FUI EU!!! EU JURO, NÃO FOI A GENTEEE, FOI OS BICHINHO", enquanto Narls morria de vergonha e estava tendo um ataque de riso. Passamos o resto do dia morrendo de vergonha. Depois desse dia eu e a Narls começamos a ser seguidas pela escola por um grupo de menina pois achavam que eramos lésbicas e estávamos namorando.
Essa foi a minha história, espero que gostem. Ps:Hoje em dia Bruno e Jujuba estão casados e com 3 filhos.
submitted by Natali-Gessoli to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.10 02:01 gifsz eu acho que arruinei tudo

bom, vou começar meu desabafo sem enrolação:
em setembro do ano passado conheci um menino (vou chamar de daniel). a gente se conheceu através do meu melhor amigo, que também é melhor amigo desse daniel. logo que fomos apresentados a gente começou a ficar sério, não era um namoro mas também era algo só entre eu e ele.
infelizmente em dezembro a gente acabou, as coisas não estavam dando muito certo, porém o nosso término não foi muito amigável. não é como se tivesse briga nem nada, porém ambos temos muito carinho pelo outro, a ponto de deixarmos várias coisas não serem ditas para não nos magoarmos.
depois que terminamos a gente até saia pq tínhamos o mesmo grupo de amigos, mas não nos falávamos. enfim, paramos de sair e 7 meses depois é o aniversário do meu melhor amigo (q tmb é melhor amigo do daniel).
dias antes do niver do meu mlr amigo, eu decidi me encontrar com o daniel para as coisas não ficarem estranhas entre nós no aniversário do nosso amigo.
eu, daniel e mais dois amigos começamos a sair e estava tudo bem para mim, porém na festa de aniversário eu tive duas crises de ansiedade por causa do daniel.
(para ficar tudo esclarecido, dps de eu e daniel terminarmos, ele começou a ficar com uma “amiga” minha, que só o fazia de trouxa. e por eu ser a ex dele tinha que aguentar muita coisa. mas ele acordou e terminou com ela).
enfim, para vocês entenderem como daniel é: uma pessoa que tem um coração puro, não sente ódio ou raiva de ninguém além dele mesmo. e ele se culpa muito.
por isso ele acabou se preocupando demais comigo no aniversario mas meu amigo nos impediu de conversarmos pq eu não estava num estado tão legal.
agora está a treta: hoje eu, daniel e dois amigos fomos para a praia (era a despedida de um desses amigos).
detalhe que por tudo oq estava acontecendo e pelas minhas constantes crises de ansiedade eu ia pedir para nós nos afastarmos.
acontece que estava muito frio e eu peguei emprestado o moletom do daniel, que no bolso estava a chave de casa minha e dele junto com o celular dele.
sim, a gente perdeu o celular dele. eu não sei como isso aconteceu, pq ninguém se lembra com quem estava o celular da última vez que o vimos. não sabemos se daniel o pegou, se alguém deixou no chão, se eu deixei cair, enfim.
daniel não me culpou em nenhum momento. não gritou comigo, não me xingou ou esperneou. não. ele ainda começou a me acalmar e tentar me fazer rir.
ele não é uma pessoa que tem muito dinheiro para bancar outro celular, e ele tem muitos problemas com a mãe (semana passada ele quebrou a bicicleta então imagina).
eu fiz merda. a culpa pode não ter sido minha, mas pode ter sido. eu estava com o moletom dele. eu não quero que ele enfrente a barra sozinho com a mãe, até pq ele é q nem eu, fudido mentalmente. mas quando eu tento ir conversar com ela, o daniel não deixa e me impede.
agora ela quer mandar ele para outro estado e eu não sei o que fazer.
(eu sinto um amor enorme pelo daniel, como nunca senti antes por alguém e não queria perdê-lo, mas eu to começando a pensar que eu sou uma desgraça na vida dele, e ele ainda me trata como uma princesa. as vezes da raiva dele).
submitted by gifsz to desabafos [link] [comments]


2020.08.06 06:08 denesfernando Sou Babaca Por Querer Que O Namorado Da Minha Amiga Não Passe Mais A Quarentena Aqui E Volte Pra Casa Dele?

Olá Luba, editores, gatas e Turma. Essa história que vou compartilhar aqui é recente, ainda estou tratando em terapia, mas ela começa um pouquinho lá atrás.
Um ""pouco"" de background para situar a todos de onde tudo isso começou.
Em 2013 comecei namorar um cara que vou chamar de Karen, por ele ser muito, mas muito CUSÃO (inclusive, ele se parece muito com você Luba e por vocês serem tão idênticos, eu passei um bom tempo sem assistir o canal, pois não conseguia te ver sem lembrar dele). Mas, enfim, em 2015 ele e o grupo da faculdade dele decidiram morar todos juntos em uma casa perto da faculdade, pois estava exaustivo para todos trabalharem em pontos distintos da cidade (São Paulo, para se alguém quiser se situar).
Então, em janeiro de 2016, eles se mudaram e eu ia para lá aos fins de semana, até que acabei me mudando para a casa em Junho do mesmo ano, no dia do meu aniversário.
Pois bem, foi uma fase horrível da minha vida por causa do meu ex, terminamos em maio de 2017 e tive que sair da casa. Esse meu ex era um abusador, um aproveitador, a pior pessoa que eu poderia ter conhecido na minha vida. Os abusos psicológicos que ele cometeu comigo, afetaram totalmente minha confiança e em como eu viria a me relacionar com outros caras, fora as crises de ansiedade que eu arrasto até hoje.
Mas então, eu fiquei amigo dos amigos dele da faculdade e em especial da Karls que virou minha melhor amiga.
Em 2017 eles terminaram a faculdade e em 2018 o contrato da casa venceu e eles finalmente poderiam se mudar, áquela altura ninguém suportava mais olhar pra cara do Karen.
Então, foi nesse momento, que a Karls e o Akarls me chamaram para vir morar com eles numa nova casa. Sem o Karen. E hoje nós três vivemos como uma família feliz com os nossos pets.
2019
Eu conheci um cara, eu vou chamar ele de Lars.
Lars e eu começamos a trocar mensagens, se conhecer, nos aproximarmos. Até então, antes dele, todos os outros caras que eu acabei ficando, não davam certo, (tem muito gay problemático nessa cidade). Mas Lars foi diferente, conforme nos conhecíamos, ele ia transpondo todas as muralhas que eu usava como defesa, pois meu maior medo seria voltar para um relacionamento abusivo, tóxico e doentio.
Com o Lars eu fui bem devagar, realmente queria conhecer ele, pra ver se o que eu estava sentindo era o certo e se ele não iria me fazer mal.
Nesse tempo conhecendo ele, eu desabafava com Karls todas as minhas inseguranças, pois ela tinha vivido todo o meu drama com o meu ex, ela sabia dos meus medos, receios, inseguranças em me relacionar com alguém e ela me dava todo o apoio, pra poder voltar a acreditar e saber que nem todo mundo é igual o Karen, que na verdade eu dei azar com o Karen, mas que não seria assim de novo.
Depois de tantos embates sobre minhas agruras eu acabei me desarmando e me permiti começar algo com o Lars.
Um mês e meio depois, finalmente decidi trazer ele em casa, para conhecer meus amigos e 😏.
Então, foi nesse fim de semana de novembro de 2019 que coisas aconteceram.
Depois de ficarmos, acabei aceitando os meus sentimentos por ele, pensei que depois de tanto tempo solteiro, passando por aventuras fracassadas com pessoas que não se encaixavam, onde a química só proporcionava uma reação inicial. Ali estava talvez o momento de poder compartilhar momentos com alguém.
Mas aquele início de sonho desmoronou muito rápido. No domingo quando ele estava pra sair para trabalhar, Lars me contou que iria para o Beto Carrero com um amigo. Fui pego de surpresa, pois ele não havia mencionado nada nas nossas conversas durante a semana.
Na época, Lars trabalhava como bartender numa cafeteria e reclamava de trabalhar muito, não ter finais de semana livres e só folgar nas segundas-feiras.
Como não tínhamos oficializado nada, nossa primeira vez foi na noite anterior e o fato de estar disposto a querer começar a construir uma relação tinha sido algo que eu havia arrazoado no meu coração, achei absurdo demais eu questionar porque ele não tinha me falado nada antes.
Tudo bem, ele iria no Beto Carrero com um amigo, logo após sair da cafeteria. Pegaria o ônibus na estação do Tietê no domingo a noite, passaria o dia no parque, já que a folga seria na segunda, e na segunda a noite ele voltaria e iria trabalhar na terça-feira de manhã. Eu, pelo menos, imaginei que seria assim.
Na segunda-feira, eu fui trabalhar normal, vi as fotos dele no Beto Carrero, os stories no Instagram aparentemente nada de estranho, mas a primeira coisa que me chamou a atenção foi o fato dele não ter postado um único story com o amigo, mas até aí, se eu encucasse com isso, seria uma atitude tóxica e eu não queria isso. Numa relação deve existir confiança.
Nós não nos falamos o dia inteiro, pois eu não iria ficar o importunando num passeio como aquele, que ele aproveitasse o máximo possível. Foi quando às 18:00 eu resolvi mandar uma mensagem para ele, já que eu estava saindo do trabalho.
A mensagem era mandando um "oi" e desejando que ele tivesse se divertido bastante e fizesse uma viagem tranquila de volta.
Foi quando ele me respondeu que não voltaria aquela noite, que ele iria para Balneário Camboriú com o amigo passear de barco. Eu fiquei completamente sem reação, foi um choque. Ele só reclamava de como o trabalho explorava ele, não era flexível e do nada, de uma viagem totalmente espontânea que aconteceu aleatoriamente pra aproveitar um dia de folga num bate e volta, surgiu uma folga no dia seguinte.
Eu não tive como não ser arrastado de volta para os tempos do Karen, onde eu fui trouxa por anos, onde ele matava aula pra transar na escada da faculdade, dizia que ficava até mais tarde no serviço pra não pegar trânsito, mas na verdade ia para dates furtivos de apps de pegação (inclusive tenho uma história ótima com relação a isso da época do Karen), enfim, meu cérebro e meu coração ligaram o sinal vermelho, as sirenes começaram a zunir no meu ouvido, a última coisa que eu queria era ser enganado como fui na minha última relação.
Voltando, Lars não falou mais nada depois disso, fui pra casa naquele dia. Na terça-feira de manhã, outro sinal de alerta, não tinha nenhuma mensagem no celular. Isso poderia ser irrelevante, se a gente não tivesse passado o último mês e meio, trocando várias mensagens e memes da hora que acordava até a hora de dormir. Me senti mal, a conversa tinha morrido da noite para o dia, fiquei angustiado, pois eu estava começando a gostar dele e aquilo mudou da noite para o dia.
Terça-feira se foi, ele em Balneário Camboriú, fotos e stories no Instagram se seguiram e nada desse amigo misterioso.
Finalmente, a noite ele estava voltando e mandou uma mensagem dizendo que estava exausto, mas estava voltando. Nesse momento, minha mente já tinha formulado mil e uma histórias, mas resolvi ser prudente, apesar da angustia que estava sentindo.
Foi difícil dormir aquela noite, na manhã seguinte, ele mandou uma mensagem dizendo que havia chegado, estava exausto, mas estava indo trabalhar.
Nossa conversa, já não era a mesma, algo tinha mudado, as palavras ou a ausência delas são um termômetro para o coração, escrever para outra pessoa é um ato de conexão e o nosso elo havia se rompido.
Foi quando resolvi confrontá-lo.
Segue abaixo a conversa no whatsapp:
[28/11 11:56] Denes: Desculpa, Lars.
[28/11 11:56] Denes: Eu não sei de fato o que aconteceu
[28/11 11:56] Lars: Pelo o que ?
[28/11 11:56] Denes: mas desde terça que eu sinto que nossa conversa morreu
[28/11 11:56] Lars: :(
[28/11 11:56] Lars: Eu que peço desculpas
[28/11 11:57] Denes: se vc puder me dar uma luz
[28/11 11:57] Lars: Questão de conversa tbm não sei ... :(
[28/11 11:58] Lars: Não quero ser cuzao contigo
[28/11 11:58] Denes: me diz o que tá acontecendo
[28/11 11:59] Lars: Gosto olhando no olho
[28/11 11:59] Lars: Gosto de vc
[28/11 11:59] Denes: talvez não haja olho no olho se eu não entender o que está acontecendo
[28/11 12:00] Denes: eu tb descobri que estou gostando de vc
[28/11 12:00] Denes: descobri de uma maneira bem ruim
[28/11 12:00] Denes: só quero que vc me diga
[28/11 12:00] Denes: sem medo
[28/11 12:02] Lars: Eu recebi uma ligação de alguém antes de viajar que me deixou balanceado
[28/11 12:02] Denes: prossiga
[28/11 12:02] Lars: Não gosto da ideia por aqui
[28/11 12:03] Lars: Mas tá bom ...
[28/11 12:03] Denes: por favor, agora que começou, não pare
[28/11 12:03] Lars: Pouco antes de conhecer vc eu tinha acabado um relacionamento ...
[28/11 12:03] Denes: hum
[28/11 12:04] Lars: E tipo ainda algo que me deixa balançado e tal ...
[28/11 12:05] Denes: entendi
[28/11 12:05] Denes: ah...
[28/11 12:05] Lars: E tipo não quero mentir pra vc
[28/11 12:05] Lars: Nem ser um cuzao contigo me entende
[28/11 12:05] Lars: Quero ser sincero sempre
[28/11 12:05] Lars: Não só com vc mas comigo mesmo
[28/11 12:06] Denes: então, o livro de Harry Potter que está com vc, foi um presente de um amigo meu que faleceu esse ano, será que posso pegar com vc na catraca amanhã da Santos Imigrantes
[28/11 12:06] Lars: Sim ... Claro ... Mas queria conversar mais com vc pessoalmente
[28/11 12:06] Lars: Se não se importar
[28/11 12:07] Lars: Tenho um presente pra vc
[28/11 12:07] Denes: eu vou me importar
[28/11 12:07] Denes: por favor, sem presentes
[28/11 12:07] Lars: Tudo bem :(
[28/11 12:09] Denes: amanhã as 8:30 te encontro na Catraca
[28/11 12:09] Lars: :( eu lhe entendo sabe ... Mas confesso que gosto de vc e queria que vc permanecesse na minha vida independente de qualquer coisa
[28/11 12:09] Denes: não será possível
[28/11 12:09] Lars: Tudo bem eu entendo vc ... :(
[28/11 12:09] Lars: Me desculpa
[28/11 12:10] Denes: te encontro amanhã na catraca sem falta
[28/11 12:21] Lars: Hj vc sai que horas do trabalho?
[28/11 12:24] Denes: Desculpa, Lars. Mas eu só pretendo te encontrar para pegar o meu livro. Não, temos nada para conversar. Você não me deve satisfações, justificativas ou esclarecimentos. Apenas o meu respeito. Mas, mesmo assim. Esse ponto final precisa ser colocado.
[28/11 12:25] Lars: Tudo bem eu entendo e respeito vc ... Falei de hj pq posso te entregar hj o livro
[28/11 12:25] Lars: Ele está comigo aqui no trabalho
[28/11 12:26] Denes: Eu saio às 18:00
[28/11 12:26] Lars: Posso te entregar hj o mesmo horário ... Na estação melhor pra vc
[28/11 12:27] Denes: Que horas na Santos Imigrantes vc vai passar por lá?
[28/11 12:27] Lars: Umas 19h a 19:30
[28/11 12:28] Lars: Mas espero a sua hora
[28/11 12:28] Denes: Okay, as 19:00 estarei lá
[28/11 12:28] Denes: Se chegar antes estarei sentado em algum dos bancos da plataforma
[28/11 12:29] Lars: Tá bom
[28/11 12:29] Lars: Sei o que vc vai falar ... Mas desculpas :(
Quando ele falou dessa ligação do ex e ficou balançado, eu senti uma enxurrada de sentimentos negativos, o tsunami de chorume que eram as mentiras do Karen voltando a tona. Todas as desculpas esfarrapadas, parecia que eu estava vivendo tudo outra vez.
Eu estava cego, na gana de não querer cometer os mesmos erros do passado, acabei sendo seco, duro e intolerante, condenando um pelos erros de outro.
Eu já tinha sentenciado dentro de mim que aquela viagem foi algo que ele tinha programado com o ex e que tinha ido com ele e que eles tinham se acertado e que ele queria me manter como step se nada desse certo. Enfim…
Nesse mesmo dia, fui buscar o meu livro (um fato curioso, esse livro que foi presente de um amigo que veio a falecer em 2019, foi um presente pra me lembrar o quanto eu sou uma pessoa corajosa, era a edição de 20 anos da Pedra Filosofal nas cores da Grifinória e dentro ele escreveu a famosa frase da Luna "As coisas que perdemos sempre acabam voltando para nós. Mas nem sempre na forma em que pensamos." https://imgur.com/a/ebJFd2U
Ironicamente, quando paro pra olhar isso em particular, penso na grande ironia de tudo.
Eu cheguei antes na estação, fiquei esperando, sentado num banco na plataforma, vendo vários trens passando, várias pessoas descendo na estação vindo depois de mais um dia de trabalho. A minha ansiedade estava a mil, eu queria chorar, estava angustiado com tudo aquilo, pior, sem entender como "tinha cometido" o mesmo erro outra vez.
Ele chegou uns 15 minutos depois, estava com o livro na mão, eu peguei o livro e então ele me estendeu os braços pedindo um abraço, fiz com ele o que eu devia ter feito com o Karen, olhei para ele com a minha pior cara de desgosto e nojo e falei "Adeus", virei as costas e deixei ele lá.
Hoje, não me orgulho do que eu fiz, sinto vergonha quando penso, mas para que vocês entendam aquele gesto, mesmo ele não sabendo, era algo traumatizante, no término com o Karen, quando coloquei minhas malas e meus livros no táxi, ele chegou até mim e na maior cara de pau, na sua maior interpretação pra burguês ver, ele me pediu um abraço e o trouxa aqui cedeu esse abraço, então ele sussurrou no meu ouvido "Sou eternamente grato por tudo o que a gente viveu e você vai sempre poder contar comigo para o que você precisar" e quando eu precisei o que eu ouvi? "Não tenho obrigação nenhuma de te ajudar."
Quando eu saí da estação, bloqueei o Lars em todas as redes sociais, Facebook, Instagram, Whatsapp e até o número dele pra ele não me mandar SMS ou ligar. Não queria nunca mais ouvir falar dele pelo resto da minha vida.
Alguns dias se passaram e a Karls me contou que Lars havia mandado mensagem para ela no Instagram dizendo que estava preocupado comigo, queria falar comigo e eu irredutível falei que nunca mais queria saber nada a respeito dele.
Então ali eu tinha colocado uma pedra em cima desse assunto, vida que segue.
Dezembro de 2019
Karls é uma garota muito linda, mas em todos esses anos de amizade ela só se envolvia com os piores caras do Tinder, uma fase da vida dela que fazemos piada, mas que se você olhar atentamente, era bem triste.
Ela tinha o sonho de conhecer um cara bacana, compartilhar momentos, viver toda aquela fantasia de namoro, dormir abraçada, assistir anime, cantar músicas da Disney e cozinhar todos os pratos possíveis de todos os programas de culinária que existem no mundo.
Depois de anos, esse cara apareceu. Vamos chamá-lo de Darls.
Darls é um cara super carismático, que faz amizade por onde ele passa, falador, contador de piada, solicito, uma pessoa que todo mundo iria adorar ter como amigo.
JANEIRO 2020
Parecia que Darls sempre esteve nas nossas vidas, Akarls e eu o recebemos de braços abertos, pois víamos o quanto ele fazia Karls feliz.
Logo ele começou me pedir dicas e mais dicas de coisas que fariam a Karls feliz e nesses 5 anos de amizade eu era a pessoa que mais sabia de tudo o que a Karls gostava.
FEVEREIRO 2020
Eles oficializaram o namoro, (meio rápido, mas…), então ela entrou numa tour para conhecer todas os amigos dele, pois ele queria apresentar a namorada para as pessoas importantes na vida dele.
Darls mora a 35km de distância, num bairro distante, 2 horas de viagem no mínimo, mas ele sempre estava vindo passar mais tempo aqui.
MARÇO 2020
Pandemia chegou, isolamento social foi instaurado, pessoas em casa. Eu sou editor de vídeo, então estou trabalhando em casa desde que esse inferno começou. E quem acabou vindo para cá, também? Exatamente, Darls.
A companhia dele era agradável, e por vermos Karls feliz, nada objetamos, aceitamos naturalmente a estadia dele aqui. Mesmo que nunca tenhamos conversado isso entre nós, foi natural olharmos para a felicidade dela.
ABRIL 2020
Um mês de quarentena, eu sou uma pessoa ansiosa. Solteiro que passou da barreira dos 30, já havia sentenciado que não conheceria ninguém e morreria só, pois já estava sem esperança de conhecer alguém em um mundo sem um vírus mortal, imagina em um mundo onde estar perto 2 metros de alguém pode ser sua sentença de morte.
Eu comecei entrar numa crise terrível, comecei trabalhar demais, a fazer 12 horas de trabalho por dia e no meu tempo vago eu comecei a assistir todos os filmes e curtas gays já foram produzidos no mundo. E nisso, fiz a burrada de assistir um filme que superestimei por anos.
Brokeback Mountain.
'O que eu fiz da minha vida?'
Eu fiquei tão mal, mas tão mal, que naquela noite eu fui dormir chorando e os dias que se seguiram eu tive tanto remorso pelo final daquele filme, que certo dia eu comecei chorar na frente da Karls e do Darls enquanto a gente almoçava.
No final de abril, meu tio implorou que eu fosse na casa dele, pois estava tendo um problema entre minha mãe e minha irmã e ele estava preocupado da minha mãe acabar se metendo em um avião e vindo pra São Paulo no meio de uma pandemia. Fui, como se eu já não estivesse colapsando, ainda tinha que resolver o problema de outras pessoas.
Naquela semana, eu assisti um vídeo, tenho 80% de certeza que foi no LubaTV os outros 20% acho que foi no canal do Henry Bugalho, que falava sobre perdão, algo do tipo "se não perdoamos, do que adianta pedirmos desculpas" e eu já estava muito reflexivo.
De noite, eu estava no apartamento do meu tio, quando recebi uma notificação de que alguém tinha me seguido no Twitter.
Abri a notificação e vi que era o Lars me seguindo quase 6 meses depois. Ele não tinha twitter e tinha criado uma conta por causa da quarentena.
Minha primeira reação foi bloquear ele, mas aí bateu aquele turbilhão de coisas acumuladas nessa quarentena. O final de Brokeback Mountain, a fala sobre perdão e um detalhe sobre o Lars que pesou muito, ele tem diabetes, acho que é um tipo raro, ele desenvolveu super novo, ele toma dois tipos de insulina, ele é grupo do risco.
Sentei no sofá e me perguntei, 'o que ele queria depois de todos esses meses? Ele não entendeu o meu "Adeus"?'
Pois, bem. Fui até o Instagram, desbloqueei ele e mandei a seguinte mensagem:
"O que você quer?"
Ele levou uma meia hora pra me responder, o 'digitando…' parecia eterno.
Resumindo, ele falou que se importava muito comigo, que eu marquei a vida dele, que nunca quis se distanciar de mim, que jamais foi a intenção me magoar com o que quer que tenha acontecido e que nunca dei a oportunidade dele se explicar.
E eu respondi, que não importava o que ele tivesse para me dizer, não ia mudar a opinião que eu tinha sobre ele.
Ledo engano, meus caros.
Fui dormir às 4 da manhã, tirei tudo de dentro de mim, tudo o que eu inventei na minha cabeça. Porque no meu relacionamento anterior eu ouvi tantas mentiras, que acabei jurando que qualquer um iria mentir para mim, era o único referencial que eu tinha.
Só para que vocês saibam, era realmente um amigo, as fotos que ele tirou junto com o amigo no Beto Carrero, foram todas no celular do amigo a folga da Terça-feira, o chefe dele estava devendo uma folga para ele e como ele não iria poder tirar essa folga a mais do que as que estavam previstas para Dezembro, o chefe deu a folga pra ele na terça para que ele aproveitasse mais um dia de viagem. E sim, o ex dele ligou, ele ficou balançado, pois eles tinham tido uma história recém terminada, mas ele me contou, primeiro porque eu insisti, mas também porque ele não queria mentir pra mim, já que eu tinha todo esse problema com mentiras, então ele queria ser honesto comigo desde o início e que nunca foi a intenção dele voltar com o ex, tanto que ele não voltou, ele queria estar comigo, e que mesmo tendo passado todo aquele tempo ele nunca tinha me esquecido e não tinha desistido de mim.
Eu falei para ele que não sabia como reagir a tudo aquilo, disse que não sabia se seria capaz de confiar nele. E que ele não tivesse esperança, mas que eu iria refletir sobre tudo aquilo.
Então eu voltei pra casa e compartilhei a história com Karls e Darls.
Karls ficou meio com o pé atrás, mas Darls me apontou os erros que eu cometi, me fez enxergar o quanto eu tinha exagerado pelo medo e desconfiança que eu tinha, que não tinha nada a ver com Lars e minha ficha caiu.
Agora, tudo o que me restava era o meu orgulho, eu precisava passar por cima disso.
Voltei a conversar com Lars, aos poucos, foi difícil no início, mas ele foi muito tolerante, eu expliquei que não estava sendo fácil voltar a conversar com ele, mas que compreendi que muito daquela situação era culpa minha.
Ele começou a me mandar mensagens de manhã e a noite, de bom dia e boa noite e esporadicamente algum meme. Foram duas semanas conversando quando houve a necessidade da gente se ver. Eu não sabia como iria reagir.
Sim, ele viria aqui em casa no meio de uma quarentena, mas antes que cresça os julgamentos, moramos próximo um do outro, ele viria a pé, sem pegar nenhuma condução e num horário de pouco fluxo.
MAIO 2020
Então comuniquei que ele viria aqui em casa para Karls, Akarls e Darls. Aparentemente, achei que todos tinham recebido a notícia de bom grado.
Ele veio, a primeira coisa que ele fez foi ir para o banheiro tomar banho, com Covid não se brinca. Depois, sentamos e conversamos, e mais uma vez, eu falei tudo de novo, dessa vez olhando no olho, colocando tudo a limpo, uma conversa franca, contei de todas as impressões que eu tive de tudo o que aconteceu, como a narrativa se construiu na minha cabeça e porque agi da maneira que agi.
Em contra partida, ele disse que estava tudo bem, disse que ficou muito chateado, mas os amigos dele conversaram com ele dizendo que tinha um motivo para eu agir como eu tinha agido. Ele me falou que nunca me esqueceu e queria ter uma oportunidade de conversar comigo e esclarecer as coisas, pois sabia que tudo tinha sido um grande mal entendido. Ele falou que mandou várias mensagens para a Karls, mas não obteve resposta. E quando ele me mandou o convite no Twitter, ele disse que seria a sua última tentativa de se aproximar de mim, se não desse certo, ele mesmo desistiria de tudo.
Ele passou três dias aqui em casa, eu não me abri tanto com ele com relação a isso, mas eu senti muito remorso por como as coisas aconteceram por minha causa.
Outra coisa, lembra na mensagem, quando ele falou que tinha um presente para me dar e eu falei que não queria? Ele trouxe o presente, ele guardou o presente todo esse tempo e disse que toda vez que via o presente, ele lembrava de tudo o que a gente viveu e a coisa que ele mais queria era me dar esse presente, que ironicamente ele comprou na viagem para o Beto Carrero.
Era um funko do Harry Potter, já que eu amo muito Harry Potter. (Não, não sou transfóbico, eu amo Harry Potter desde 2000). http://imgur.com/gallery/cah0Ry7
Ele voltou pra casa dele. Continuamos a nos falar, reatar laços, ter essa troca.
Compartilhei minhas impressões com Karls e Darls, eu estava relutante, desacreditado. As pessoas subestimam relacionamentos abusivos, mas a gente carrega coisas por anos, os estragos são terríveis, estava eu provavelmente estragando uma oportunidade de ser feliz por medo de ser feliz.
As coisas foram devagar, estávamos conversando de nossas rotinas na quarentena, ele o quanto sentia falta do trabalho e não aguentava mais assistir séries e eu o quanto estava trabalhando e engordando, já que editor de vídeo trabalha em casa, praticamos isolamento social antes disso "estar na moda" (✌️ salve editores do canal, eu juro que tô escrevendo essa história que já passa de 4 mil palavras, pensando se realmente o Luba lerá essa história na Turma-Feira, fico imaginando no trabalhão que vocês vão ter pra editar, se eu puder pedir, posta a Timeline pra eu ver como ficou no final, curto muito timelines [Sim, pra quem não entende, isso é meio creep]).
JUNHO 2020
Lars voltou, veio para estar comigo no meu aniversário, inclusive ele me presenteou com Find Me do André Aciman, ele disse que queria me dar a muito tempo, pois em novembro do ano passado eu estava lendo Call me by your name e eu estava namorando pra comprar o livro quando fosse lançado, mas não deu nem tempo dele poder comprar na época.
No meu aniversário, resolvi cozinhar para comemorar, fazer escondidinho de frango. Eu estava de folga e queria fazer algo especial para Karls, Darls, Akarls e Lars. Eu passei a tarde e começo da noite cozinhando e Lars me ajudando.
Então, aconteceu o estopim de todo o caos.
Karls e Darls desceram e viram que o escondidinho não estava pronta ainda, ela fechou a cara e disse "Nossa, ainda não está pronto?". Depois eles fizeram um sanduíche e comeram e subiram, bastou aquilo pra me entristecer, até entendo que ela poderia estar com fome, mas ela bater porta de armário e a porta da geladeira acabou todo o meu ânimo, me senti super mal.
Comi aquele escondidinho triste, o clima na mesa estava tenso e na boa o que era pra ser uma comemoração no que eu acreditava ser entre família, foi a porcaria de um jantar de aniversário que eu perdi tempo fazendo.
Lars voltou pra casa dele, continuamos nos falando e estreitando os laços, aproveitando a companhia um do outro, e finalmente no meio de toda essa situação de merda que estamos vivendo no planeta, senti uma esperança de que talvez tudo daria certo, pelo menos uma vez.
Mais uma vez, ele veio passar o fim de semana aqui em casa, e foi divertido, assistimos filme, contamos piadas e o melhor, eu estava podendo dormir abraçado com ele, por a cabeça no travesseiro e não me sentir só.
JULHO 2020
O mês do caos, eu odeio Julho, por tantos motivos, sério. Eu tenho inúmeras histórias de desgraças nesse mês que PQP (Gif da Xuxa).
Lars me mandou mensagem dizendo que ele teve uma briga terrível com o sobrinho dele, na briga eles só faltaram sair na porrada, ele falou que estava mal por estar na casa da irmã dele e por toda essa indisposição com o sobrinho que tem 18 anos e é um completo folgado. Ele disse que iria procurar um lugar pra ficar, mas até lá, ele perguntou se poderia ficar aqui até encontrar esse lugar.
E como eu já fui colocado pra fora de casa pelo meu tio e me vi sozinho, eu sei o quanto é importante ter alguém pra estender uma mão amiga nessa hora.
Eu respondi que sim, mas que ia comunicar o Karls e o Akarls. Expliquei a situação Lars e eles falaram que tudo bem.
A Karls começou a fazer um freela permanente em um grande estúdio aqui de SP, então ela já não estava ficando em casa e quando estava, ficava a maior parte do tempo com o Darls, que ficou aqui em casa, mesmo ela trabalhando regularmente, já que as coisas estão flexibilizadas por aqui.
A princípio, Lars ficaria aqui até dia 10, ele tinha acertado de ir morar com um pessoal que ele achou num grupo do Facebook, mas o lugar onde esse pessoal ia morar não deu certo, pelo o que ele me contou, foi lance com a Porto Seguro, ele ficou decepcionado, porque os meninos eram legais. Então, ele voltou para a busca de encontrar um lugar pra ficar, eu inocente disse que ele poderia ficar o tempo que precisasse.
Interiormente, eu queria me redimir por toda a injustiça que foi o nosso início, queria fazer certo dessa vez, pois ele estava sendo bom pra mim e eu nunca tinha tido isso, esse convívio.
Enquanto ele estava aqui, comecei a ter companhia para o almoço, passei a comer direito, já que ele é obrigado a comer certo por causa da diabetes, eu estava até me alimentando nos horários certos. As noites assistíamos séries abraçados, até a hora de dormir. Parecia um oasis no meio de todo esse inferno que estamos vivendo, por um único instante eu esqueci de tudo de ruim.
Nesse período, ele estava procurando vários quartos, mas só encontrava cativeiros sendo alugados por mercenários.
Conforme o mês ia passando, Karls estava bem estressada com tudo e quando estava todo mundo na cozinha, ela parecia evitar querer falar com ele. No início, eu pensei que fosse TPM ou alguma coisa em particular dela com Darls.
Mas eu tive certeza que era alguma coisa com o Lars, no dia que estávamos jantando e ela veio informar que o botijão de gás tinha acabado e ela tinha comprado um novo, mas ela insinuou que estávamos cozinhando demais. Eu fiquei, sem reação, pois não esperava por aquilo, como eu falei, ela e o Darls estavam fazendo todas as receitas que existiam na internet, como que o Lars 10 dia aqui era a causa do botijão ter acabado?
Então aquilo começou a ficar espinhoso e o meu erro foi não ter confrontado. Eu comecei a me sentir acuado com o Lars e não sabia o que fazer, ele já estava numa puta situação frágil por ter saído da casa da irmã por indisposição com o sobrinho e a coisa que eu mais queria era que ele se sentisse confortável na minha própria casa.
No meio de tudo isso, ele voltou a trabalhar e eu passei a acordar cedo junto com ele, pra tomar café e abrir o portão pra ele poder sair, num desses dias, eu levantei e fui no banheiro e enquanto eu usava, a Karls bateu na porta perguntando quem é que estava lá dentro de uma maneira meio ríspida, no caso era eu, mas o Lars viu a situação toda, ele não me falou, mas eu reparei que ele parou de tomar banho de manhã antes do trabalho. Dizia ele que o banho da noite era suficiente.
Depois, ele parou de tomar café da manhã, disse que tomaria café na cafeteria que ele trabalha.
A próxima coisa que aconteceu foi um dia que eu estava na cozinha e fui informado que Karls e Akarls decidiram que não iríamos mais fazer as compras de mercado juntos. E que só manteríamos os produtos de limpeza e higiene e que o resto era cada um por si.
Confesso, que na hora não compreendi o que estava acontecendo, eu estava muito desligado, na verdade não acreditava que os meus amigos estavam me excluindo por causa do Lars, eu estava sendo ingênuo, pois não imaginaria que aquilo estava acontecendo.
No meio desse caos todo, Lars, virou pra mim e disse que a irmã dele pediu que ele fosse na casa dela. Então ele iria direto do trabalho e dormiria lá no sábado para o domingo, já que estaria de folga e voltaria pra cá no domingo a noite.
Só que ele não voltou, ele disse que a irmã dele pediu para que ele dormisse lá mais uma noite. Pensei, okay, ele vem então amanhã direto do trabalho pra cá, mas aí ele não veio na segunda, foi quando o peso de tudo bateu.
A essa altura eu já estava angustiado com tudo aquilo e direcionei minha frustração para o lado errado, em vez de confrontar quem estava causando toda essa situação insatistória, eu cobrei dele, porque ele não estava aqui. Perguntei, porque ele não queria estar mais aqui. Ele falou que queria. Então, eu perguntei porque o domingo, virou segunda e agora a segunda virou terça? Ele hesitou, aí eu perguntei se era por causa da Karls e ele disse que só não queria incomodar ninguém.
Eu fiquei mal, por ele se sentir mais incomodado na minha casa do que na casa da irmã dele com o sobrinho folgado que estava fazendo da vida dele um inferno.
Fiquei desapontado, ele veio na quarta, conversei com ele, disse que iria conversar com a Karls sobre toda essa situação. Mas já era tarde.
Era a última semana de Julho, e antes mesmo que eu pudesse conversar com a Karls, Akarls chegou dizendo que não dava mais para dividirmos a conta de água como estávamos fazendo, por 3, teríamos que dividir por 5, já que a conta ficou mais cara.
Na sexta-feira daquela semana, Lars encontrou um quarto numa casa que ele meio que alugou as pressas e ele se mudaria na primeira segunda de agosto. Quando eu pude confrontar Karls, no sábado, sobre tudo aquilo, já era tarde. Falei que fiquei chateado deles quererem repartir a conta da casa por 5 com o Lars pelo mês que ele passou aqui, mas isso nunca foi nem cogitado nos 5 meses do Darls aqui. Falei que fiquei decepcionado por ela não ser capaz de enxergar a minha felicidade. Por não ser capaz de ver o quanto eu estava feliz, como eu enxerguei a felicidade dela com o Darls e o recebemos de bom grado dentro de casa por causa da felicidade dela. Disse que foi muito cômodo pra ela ter alguém pra poder dormir junto, assistir coisas juntos, ter os momentos a dois e quando eu pude ter o mesmo, ela não olhou para mim com os mesmos olhos.
Enfim, Lars se mudou, tomei esse tempo que poderia estar assistindo uma série com ele para escrever tudo isso. Angustiado e decepcionado. Darls não tem culpa de nada do que está acontecendo, mas agora acho completamente injusto ele estar aqui e o Lars não estar, não sei o que fazer, minha vontade é de falar, "acabou a quarentena para os dois, pode voltar para sua casa". Me sinto injustiçado e triste por alguém que eu amo tanto, não ter sido capaz de enxergar que eu estava feliz. É isso, estou esperando a próxima sessão da minha terapia e Karls e Darls estão lá no quarto dela e eu estou só.
E para finalizar, essa foi minha conversa agora a pouco com o Lars.
Lars https://imgur.com/gallery/PRrxEI6
submitted by denesfernando to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.06 04:46 bashiratt Sou babaca? Estou namorando uma pessoa apenas porque ela diz que vai se matar se eu terminar.

Boa noite.
Tenho 22 anos, sou mulher e o assunto aqui se trata de um webnamoro (não me julgue, não tenho autoestima suficiente pra ter relacionamentos na vida real, então isso meio que é importante pra mim).
Me apeguei a uma pessoa pela internet por ela ser, talvez, tão problemática quanto eu e isso vai fazer 12 meses. Acontece que tivemos algumas brigas na última semana onde descobri um lado muito negativo nele, que se mostrou muito controlador e o ápice foi quando começou a me chamar de puta... ok, pra muitos isso é apenas mais um xingamento, mas eu levo essa questão muito a sério, não conseguiria me envolver sexualmente com gente aleatória e eu nunca nem sequer beijei (tive a oportunidade mas eu não beijaria alguém que não tivesse interesse de ter algo, então eu sou bv e não ligo pra isso). Ah, nada contra quem vive essas coisas, não acho errado nem imoral, apenas não é algo que eu veja necessidade mesmo, não me faria menos triste.
Pra deixar claro, eu não fiz nada de errado com ele. A nossa briga começou porque ele queria que eu mandasse nudes pra ele (mais do que já mandei) e eu disse que não iria pois isso nunca me fez bem e a pouca autoestima que eu tinha foi embora (foi embora meio por culpa minha pois eu peço sempre pra ele não me elogiar, não me dou bem com elogios e sempre acho que é forçação, todavia ele constantemente elogia outras mulheres em séries ou filmes que assistimos, eu sei que isso é normal mas minha insegurança me faz remoer isso, mas nunca reclamei, apenas ficava me comparando com elas e percebendo que estou longe demais disso). E então ele começou a me xingar falando que eu mandava pra outros caras (antes de ter algo com ele, antes de namorarmos) mas pra ele não queria mandar mais.
Enfim, essa briga estragou tudo pra mim e comecei a repensar meus sentimentos. O amor acabou, entende? Não apenas por isso, mas pela pessoa que ele se mostrou ser depois. Eu não quero isso mais, se eu pudesse controlar meus sentimentos eu juro que faria, eu não sou uma pessoa ruim que usa as pessoas e descarta, mas não consigo amar essa pessoa mais.
E está ainda mais difícil pois ele está se mostrando controlador e fazendo pedidos demais, o julgo meio mimado pois é impaciente e sempre quer as coisas na hora.
Todavia, eu o conheci em uma época em que ele já planejava se matar, já tinha mais ou menos tudo na cabeça e ele tinha zero esperanças. Mas aí eu cheguei e dei esperança pra ele, deixei ele se apoiar em mim pois sabia que ele precisava de ajuda (começou como uma amizade isso, mas evoluiu pra namoro e então ele ficou ainda mais dependente). Já tive fases difíceis na minha vida, que refletem em mim até hoje, e tive que enfrentar tudo sozinha, a empatia que criei com ele era enorme pois eu tinha noção do sofrimento que ele estava passando (questões familiares, falta de objetivo na vida, ausência de coisas boas que fizessem a vida valer a pena e etc).
Agora, que quero terminar, ele diz que vai se matar e gravar, que se for pra eu terminar com ele é melhor eu bloquear pois ele irá fazer isso ao vivo pra mim.
E eu não duvido disso, a cabeça dele é doentia.
Se eu terminar eu não sei o que vai acontecer e quase certo de que eu seria babaca, mas continuar com ele é difícil, não sei o que fazer.
Não sei como que posta imagem dos prints aqui... então coloquei em um link :-I
Contexto: Eu fiquei uma madrugada jogando com uns amigos dele e...
https://imgur.com/a/sVKebgw
PS: Não entendi quando ele disse "não posso deixar de te mandar fotos", provavelmente estava falando de nudes? Não faço ideia.
E esse é ele falando sobre os nudes que eu mandava pra outras pessoas antes de namorar com ele e voltando a falar de suicídio.
https://imgur.com/a/0JOJ5ee

Caso o Luba leia: saiba que é o único youtuber que vejo todos os vídeos, você e sua equipe são sensacionais e seu carisma é único, parabéns pelo sucesso!
submitted by bashiratt to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.05 00:45 DiegoROCCO Erros gramaticais comuns 1

Olá, estudantes da língua portuguesa! Neste artigo, falarei sobre alguns erros gramaticais bem comuns, cometidos, inclusive, por falantes nativos. Então, vamos lá!
1° erro: vocativo
Vocativo é um termo que diz com quem o emissor (a pessoa que fala ou escreve) está se comunicando. Suponha que você tenha um amigo chamado Marcelo, e deseja saber se ele vai à festa que acontecerá hoje à noite. Pode perguntar a ele ''Marcelo, você vai à festa hoje à noite?''. Repare que a palavra Marcelo diz com quem o emissor (no caso, você) se comunica, por isso ''Marcelo'' é um vocativo. Repare também que os vocativos sempre aparecem isolados por vírgula, uma vez que, sintaticamente falando, eles não se relacionam com os demais termos da oração.
Observação: o vocativo não precisa aparecer necessariamente no começo da frase, podendo ser deslocado: ''Você, Marcelo, vai à festa hoje à noite?'', ''Você vai à festa hoje à noite, Marcelo?''.
2°erro: sujeito, verbo e vírgula
É comum ver as pessoas separando um sujeito de seu verbo (ou locução verbal) por vírgulas. Isso constitui erro: ''Todos os alunos daquele professor, entenderam a explicação (errado)'', ''Todos os alunos daquele professor entenderam a explicação (certo)''.
Observação: muitos empregam a vírgula considerando-a como uma mera pausa. Aqui vai um fato, talvez chocante: a colocação da vírgula só será feita de maneira correta, se seu usuário souber bem análise sintática, pois ela está relacionada à sintaxe. Por isso nunca a empregue buscando dar uma pausa no seu discurso onde o leitor possa ''respirar''. Claro que às vezes ela é facultativa, e seu uso, de fato, concede ao leitor um momento onde ele possa ''recuperar o fôlego''. No entanto, se quer saber usá-la bem, estude sintaxe, estude sujeito, verbo, adjuntos adverbiais, orações, pois assim possuirá uma boa base para saber usar a vírgula corretamente.
3° erro: fazer, haver, chover e ser
Esses três podem atuar como verbos impessoais, que são verbos sem sujeito. Pense assim: para encontrar o sujeito de um verbo ou locução verbal, basta lhe perguntar ''O quê?'' ou ''Quem?''. Veja:
Eu comprei dois livros novos. (Quem comprou dois livros novos? Resposta: eu. Logo ''eu'' é o sujeito)
Maria e Catarina se amam muito. (Quem se ama muito? Resposta: Maria e Catarina. Logo ''Maria e Catarina'' é o sujeito)
Bem simples, não? Repare que nestas frases, a pergunta fica sem resposta:
Chove muito em lugares úmidos. (O que/Quem chove muito? O tempo? O clima? O céu? Deus? Sem resposta, logo sem sujeito)
Faz dez anos que não a vejo. (mesma coisa)
É uma hora e meia. (mesma coisa)
Há pessoas boas no mundo. (mesma coisa)
Observação: nessa oração, considera-se ''pessoas boas'' objeto direto do verbo haver; ''no mundo'' é adjunto adverbial de lugar.
Observação: por serem verbos impessoais, não possuem sujeito com o qual poderiam concordar, logo ficam na terceira pessoa do singular.
Observação: alguns verbos, originalmente impessoais, podem adquirir sujeito (ocorre principalmente em sentido conotativo). Nesses casos, como têm sujeito, devem concordar com ele em número e pessoa:
Choveram, na prova do professor Xavier, questões difíceis. (O que choveu na prova do professor Xavier? Resposta: questões difíceis. Logo ''questões difíceis'' é o sujeito) Repare que, como o sujeito está no plural, o verbo também está, concordando com ele.
Outro exemplo muito bom:
Fazem dez anos de casamento João e Maria. (vou deixar a análise desse com você)
Observação: cuidado com o verbo ser! Quando ele é um verbo impessoal, geralmente expressa as seguintes ideias: tempo, distância, hora ou data. Tais ideias se encontram no predicativo do sujeito, com o qual o verbo ser concorda:
É uma hora. (predicativo no singular, verbo no singular)
São nove horas (predicativo no plural, verbo no plural)
Hoje é um de maio (predicativo no singular, verbo no singular)
Hoje são dois de maio (predicativo no plural, verbo no plural)
Daqui à Cidade são dez quilômetros. (idem)
É frio aqui. (predicativo no singular, verbo no singular)
Observação: quando estiver acompanhado da palavra dia, indicando data, ficará no singular:
Hoje é dia 2 de maio.
Isso acontece porque agora o núcleo do predicativo é ''dia'', palavra que determina a concordância e está no singular. ''2 de maio'' é apenas um aposto especificativo.
Observação: eu disse anteriormente que o verbo ser concorda com o predicativo do sujeito. Se ele é impessoal, não tem sujeito, logo não deveria existir predicativo do sujeito. Também acho, mas é assim que a gramática tradicional manda classificar.
4°erro: verbo assistir
Trata-se de um verbo que, com o seu sentido mais comum (=ver, presenciar), é VTI (Verbo Transitivo Indireto), pedindo a preposição a. Veja:
Eu assisti o filme. (errado)
Eu assisti ao filme. (correto)
5°erro: namorar com
Trata-se de registro coloquial. A forma aceita pela gramática tradicional é VTD (Verbo Transitivo Direto). Repare:
Eu namoro com a garota mais linda da escola. (errado)
Eu namoro a garota mais linda da escola. (certo)
Ficarei por aqui. Até a próxima!
submitted by DiegoROCCO to Portuguese [link] [comments]


2020.07.31 06:45 kimmochi1 O dia em que meu amigo me pediu em namoro (observação final importante)

Já vou dizendo que é muita coisa:)

Oi Luba, editores, gatas, papeloes e todos que estão a ler, tudo bom?
Bom, eu estava na metade do 7° ano quando um novato chegou na escola, vamos chamá-lo de Lucas. Eu e "Késia" (nome falso) decidimos fazer amizade com o "Lucas". O garoto era muito simpático e gostava de quase todas as coisas que eu, super gente boa. Dias se passaram e eu me aproximei mais dele do que a "Késia", chegamos até a trocar segredos. Nessa época, tínhamos a suspeita do "Lucas" ser gay, mas não tínhamos nada contra a opção sexual dele.

Certo dia (na semana do dia dos namorados) a escola anunciou um evento para que as pessoas apaixonadas pudessem se declarar de forma anônima ou não. Funcionava assim: a diretora pegava um papel sortido da cesta e li em voz alta, nesse papel a pessoa X se declarava pra pessoa Y por medio de um poema ou texto. Mais tarde no mesmo dia, o vi pegando o papel de inscrição e ao questionar ele soltou uma indireta "pra quem será?". Ignorei, mas sabe como é, ignorei surtando. Enfim chegou o dia do evento e a coordenação reuniu TODOS os alunos no pátio da escola.

* pulando porque ninguém quer enrolação *

A diretora tirou a carta dele e leu o poema "dele" em voz alta para todos do pátio:
"Pulei na água e me molhei,
Brinquei com o fogo e me queimei,
Olhei pra você e me apaixonei"

Eu olhei pra ele e o mlk simplesmente saiu correndo kkkkkk

Era a primeira vez que alguém tinha se declarado pra mim, e por ser meu melhor amigo eu fiquei mais sem reação ainda. Eu e "Késia" fomos procurar por ele e o encontrei na nossa sala de aula. Naquele momento eu tive certeza de que ele ia me pedir em namoro, mas não era o que eu queria e a "Késia" sabia disso. A "Késia" me puxou para fora da sala e apenas escutei o "Lucas" falando "espera". Uma semana depois eu fui falar com ele (Sim, uma semana, eu também me arrependo mas eu era muito imatura para saber lidar com isso) e dava pra ver que ele não estava bravo mas que também não estava muito feliz, óbvio! Continuamos a amizade normalmente, só algumas pessoas que zoavam a gente dizendo que éramos namorados, mas nada de mais.

Mais umas semanas se passaram e ele apareceu com uma idéia de que ia embora pra outro estado. Eu não acreditei, não queria que ele fosse. No dia seguinte eu esperei por ele na escola e nada. E assim se passaram semanas, meses... "Lucas" se despediu e foi embora sem deixar número de telefone, rede social ou endereço. Como fui besta. Eu queria conversar com ele novamente. Nunca pensei que fosse chorar por tanto tempo e me culpar tanto. Sinto saudades da amizade dele. Me arrependo pelo jeito que tratei ele, mas é aquilo, se arrepender não vai fazer eu voltar no passado.
O mais incrível é que ano retrasado fui para o cinema e encontrei um garoto muito parecido com ele, mas ignorei porque minha mãe pôs na minha cabeça que não era ele. Semanas depois um evento daqui do meu estado e o mesmo garoto estava lá e minha mãe disse a mesma coisa, mas não sei...
Então, qual sua opinião?


OBS: enquanto escrevia isso lembrei que um dos primeiros contatos que tive com o seu canal foi com ele, então se essa história for pro seu canal e ele ainda te assistir talvez tenha uma pequena chance de encontrar ele. Você pode me ajudar com isso?
submitted by kimmochi1 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.30 22:26 Tecnology14 Parece que minha vida está ruindo

Olá pessoal, tudo bem com vocês?
Minha história é longa e complexa, então vou dividi-la em sete partes.
Para começar, minha família, principalmente minha mãe, são um tanto abusivos, porém nunca percebi isso, pois antes de fazer meus 20 nunca tive contato com o mundo externo. Pois é, eu estudei em escola pública, me relacionei com outras pessoas, mas nunca fui incentivado a correr atrás das coisas, e nunca tive uma demonstração de confiança da minha família dizendo que poderia contar com eles. Minha mãe sempre conduzia conversas desconfortáveis querendo saber tudo sobre minha vida, e aconselhando, de uma maneira que não me deixava confortável, sobre o que fazer, porque meu pai era passivo. Pelo meu pai ser passivo, ela ficava muito frustrada e transferia essa frustração para a gente. Quando questionada, ela inventava justificativas sem pé nem cabeça para o que fazia. Tive algumas brigas com ela, e muitos desacertos. Ela me bateu por conta de guarda roupa bagunçado, porque ela vigiava meu guarda roupa. Me proibiu de certas coisas por conta do meu desenvolvimento, e acabou que me tornei um rapaz medroso, tímido, com desenvolvimento atrasado. Vida sexual? Iniciei com 20 anos apenas. Vida amorosa, só agora aos 23. A igreja logo se tornou um fardo, pois a gente ia, mas tínhamos que nos comportar da maneira que ela dizia que era o ideal. Aprendi a tocar violão, virou um prazer, mas a igreja também é abusiva, logo se tornou um desprazer que eu saí, que logo depois disso, as cobranças para voltar começaram em casa também. Minha irmã sempre apoiou o que ela dizia incondicionalmente. As fofocas dela contra a gente sempre existiram, do tipo, se contassemos algo para ela, ela saia espalhando por aí, ao ponto de humilhar-nos e expor nossas intimidades.
Depois disso, vi uma pontinha do mundo exterior, quando comecei a me abrir para ele. Fiz amigos, conheci pessoas, me forcei a falar com pessoas, porque eu sou do tipo que não puxava assunto, mas ainda era socialmente inepto como sou. O controle da minha mãe dura até hoje. Conheci uma pessoa com o qual quase tive um relacionamento que achava o meu relacionamento com a minha mãe algo totalmente fora do comum, porque eu não ia nos lugares que eu tinha vontade por medo da minha mãe proibir, por medo dela achar ruim. Percebi que eu cresci com medo, e por conta disso essa pessoa foi embora da minha vida. Conheci um dos meus melhores amigos, e até hoje ele me fala isso, pois vivenciou situação parecida. Talvez eu tenha perdido grandes acontecimentos na minha vida por medo. Mas isso mudou...
Conheci uma pessoa maravilhosa, com quem eu namoro hoje em dia. Abracei um pouco a mudança e sai da minha zona de conforto. Pela primeira vez me arrisquei a não ligar para o que falavam comigo ou do que iriam pensar. Vivo momento incríveis com ela e sei que é o tipo de pessoa que tenho que manter por perto por toda a vida. Mas tenho que inserir aqui uma comparação: se as discussões, brigas, repreensões, abusos haviam comigo, se tornaram piores depois que comecei a namora-la, ela já quase desistiu de namorar comigo por conta da marcação da minha mãe e minha irmã. As coisas foram melhorando um pouco em relação a ela, mas minha mãe continuava pegando no pé, e como ela bebia, as coisas eram ainda mais piores. Bêbados são uma merda e falam coisas sem pensar.
Minha mãe virou uma pessoa insuportável depois que começou a beber, falava coisas e não tinha filtro. Afirmava coisas das outras pessoas que ela nem sequer sabia sobre. Meu pai não aguentou, e foi ficando cada vez mais distante até que um certo dia, no primeiro dia que comecei em um novo emprego, ele saiu de casa e não quer mais saber da minha mãe. A vida pra ele melhorou muito, mas essa separação colocou os holofotes todos em mim. Uma vez que ele saiu de casa, minha irmã saiu também para prestar residência médica.
Depois que meu pai saiu de casa, minha mãe começou a ir na igreja novamente e parar de beber. Mas eis a questão, minha mãe já era uma pessoa insuportável antes de beber, e agora que eu namorava, toda semana eu tinha que ouvir falar mal da minha namorada e foram episódios que cada vez mais foram se intensificando. E eu era julgado por querer passar mais tempo com ela. As coisas ficaram ruins de novo a ponto do meu relacionamento quase ruir, de ela querer controlar até quais dias da semana eu passava com ela e falar mal dela na minha cara. Já não bastava quando eu estava presente.
Nessa terça não aguentei. Já estava muito chateado com toda essa situação e minha namorada a ponto de terminar. Foi só minha mãe vir falar comigo de novo, que daí eu estourei. Falei tudo que estava sentindo, porém foi violento e foi uma cena terrível de ser vista e vivida. E a casa enxurrada de palavras no rosto da minha mãe descia uma cascata de lágrimas. Eu estava com muita raiva no momento. No final de tudo, ela se vitimizou, perguntando porque eu estava fazendo aquilo com ela, me chamou de cobra e me mandou sumir ou ela sumia. Fui deitar naquela noite totalmente entorpecido, quando ela teve um surto psicótico de regredir ao momento que eu nasci. Esse surto durou uma hora, mas foi o suficiente. A nora de quem ela tanto falava mal foi a primeira a chegar para me ajudar.
Ela acordou no outro dia péssima, e não quer mais falar comigo. Eu disse tudo que precisava dizer, mas me enchi de culpa e de remorço das coisas que eu precisava dizer. Minha vida com ela está ruindo e acredito que as coisas possam não voltar ao normal, e acredito que não há lado positivo nessa situação difícil.
submitted by Tecnology14 to desabafos [link] [comments]


2020.07.29 05:44 ThiiSun SOU BABACA POR EXPULSAR MEU EX E FAZE-LO IR EMBORA CHORANDO BEM NA NOITE DE NATAL?

Ola luba, editores, gatas e turma que esta a ler!
Essa historia eu não lembro com detalhes já que quando aconteceu eu tinha por volta de 13/14 anos, mas enfim, bora lá.
Pra contextualizar. Eu namorei o, vamos chama-lo de Criança, por uns 3 meses, eu tinha 13 e ele 18 (sim, FBI cheira o microfone nesses momentos), como eu era extremamente jovem e estava em meu primeiro namoro, não sabia como agir algumas vezes, acabava sendo bastante infantil (POR QUE SERÁ NÉ!) mas o Criança não ficava atrás, ele chegava a ser pior e por conta disso nos separamos e voltamos no minimo umas quatro vezes. Até que chegou o definitivo, onde eu terminei após descobrir que ele falava mal de mim pelas costas. Ai okay, vida que segue.
Na escola eu tinha um amigo, vamos chama-lo de Babaquinha. Ele nunca gostou do meu ex pelo fato de que ele gostava de mim, porém eu não sentia a mesma coisa, já que estava cega de paixão pelo Criança (mesmo após o termino). Eu citei o Babaquinha por que ele tem haver com a historia.
Então chegamos ao dia do acontecimento. Estava tendo uma festa de natal aqui em casa e minha família inteira estava aqui. Eu estava me divertindo com minhas primas até que uma tia minha me chama e diz que tinha um rapaz me chamando lá fora.
Quando eu fui ver, lá estava o Criança, todo arrumado e com um sorriso gigante na cara. Já fazia mais ou menos um més que não nos víamos, já que eu sai da igreja e ele também. Eu já sentia a raiva subindo pelo meu corpo só de o ver ali.
Quando perguntei o que ele fazia ali, já sendo grossa desdo inicio o seguinte dialogo se iniciou.
Criança: Fiquei sabendo que voltou pra igreja.
Eu: Sim, e o que tem?
Criança: Ah nada, apenas queria saber se já voltou a louvar ou algo do tipo (Quando você sai da igreja e volta, você fica um tempo de banco, sem poder cantar ou ajudar, eu tive que ficar 2 meses de banco)
Eu: Não, ainda estou de banco, mas Criança serio, porque você veio aqui? A gente terminou.
Criança: É que eu queria te ver e dizer umas coisas sobre o Babaquinha. Eu conversei com ele pelo facebook e...
Eu: Serio que você veio até a minha casa pra fofocar sobre o meu melhor amigo?!
Criança: Eu só vim dizer que ele só quer te comer! Ele me disse isso!
Eu: Eu não acredito nisso! Cara, me esquece, você faz um monte de merda, termina comigo só pra ficar com outras garotas, fala de mim pelas minhas costas e agora aparece na minha casa pra falar mal do meu melhor amigo que você nem conhece! A gente terminou e não temos nada! O que acontecer comigo e com o Babaquinha é assunto meu! Você não tem o direito de vir falar coisa alguma!
O Babaquinha foi o meu melhor amigo naquela época, me ajudou em diversas coisas, principalmente quando eu ficava mal pelo Criança, e eu sempre levei pra vida que: Amigos são muito mais importantes que relacionamentos amorosos, e eu não aceitava o fato dele vir falar mal de um amigo tão importante para mim.
Criança: Você é burra e uma criança! Não vê que estou tentando te ajudar?! Eu amo você!
Eu: Cala a boca, se você gostasse de mim nunca teria feito as merdas que fez! E você não esta ajudando em nada só esta atrapalhando o meu natal, então por favor, vai embora!
Criança: Tá! Okay, eu espero que ele te coma e depois jogue fora! Afinal, eu sei que você já ficou com ele! Eu vou rir muito quando ele transar com você e te deixar sozinha! (lembrando que eu tinha 14 anos e meu amigo também)
Nesse momento ele já estava chorando assim como eu, e quando ele foi embora eu simplesmente desmoronei, me sentia extremamente mal. Veja, eu nunca gostei de conflitos e nunca gostei de ser grossa com alguém, porém não pensei na hora que falei algumas coisas. E também ele foi a primeira pessoa que eu amei, e ouvir ele dizer aquelas coisas piorou a minha situação.
Mas enfim Luba e Turma, eu fui babaca por ter expulsado ele e ter feito ele chorar? Mesmo que já faça anos que isso aconteceu eu ainda fico com isso na cabeça, me perguntando se as palavras que usei foram as certas. E desculpas pelo texto gigante!
Enfim, amo você e os editores, obrigado por ser esse ser incrível que você! Bjs =30
submitted by ThiiSun to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.28 19:20 marilu_010 A MINHA FILHA MERECE MAIS QUE VOCE LOGO VC TEM QUE DAR ISSO PRA ELA

Olá turma, Espíritos dos papéis no aumentativo, gatas lindas, meu lindo editor e o luba Hoje vou contar como eu quase perdi meu namorado por culpa da minha irmã idiota Eu tenho os pais separados desde meus oito anos (antes disso n tinha mta presença paterna) mas enfim, eu tenho 6 irmãos, 5 por parte de pai e 1 por de mãe. 4 mais velhos (pai) 2 mais novas (mãe e pai)...(guardem isso) Eu hoje em dia tenho 15 anos e namoro o mesmo cara (de 19) a quase 2 anos, e vai parecer bobo mas quero me casar é com ele até minha mãe fala pra mim fazer isso. Uma das minhas irmãs por parte de pai Tem 33 anos e nem namora, está terminando a faculdade de Medicina e quer se casar.. A mãe dela q nunca foi com a minha cara, chamou eu e meu pai pra almoçar lá esses dias e me perguntou - Maria como vai a vida amorosa, tá cheia de namoradinho? -Na verdade dona (Vou falar outro nome ) Jarls eu tô com o mesmo homem a quase 2 anos - ouvi dizer q já pensa em casar, tá nova demais, vc poderia dar seu namorado pra minha filhinha -como é q é Jarls?Eu tenho q dar o homem da minha vida pra sua filha mimadinha?(ela tem 33anos essa minha irmã e até hoje é sustentada pelos pais) - É que você n precisa, entt vc Tem q dar pra ela Essa discussão sobre dar uma pessoa que tem sentimentos durou horas até que ela se estressou e jogou em mim a bebida dela (era café N sei pq mas ela gosta de tomar depois do almoço) n me queimei relaxem pq tirei a blusa rápido e só fechei o casaco (fiz isso no banheiro ) Depois disso a família inteira n quis falar comigo pq dizendo eles eu fui extremamente egoísta. Hoje estou super feliz com ele e de vez enquanto minha irmã cria números falsos e manda msg pra ele falando pra terminar comigo. É isso lubixco Beijos -4+1
submitted by marilu_010 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.28 05:48 leepz2019 Um "amor" que eu não entendi

Olá me chamo L. (H.28) e venho buscar opiniões pra poder entender oque está acontecendo. Há 4 anos atrás conheci uma moça denominada D. Moça bonita e jovem 15 anos, só queria curtir e zoar a vida, quando eu a conheci foi em casa, naquela época consumimos maconha e vivíamos chapados, ninguém queria nada com nada, eu recém terminado e ela também. Nos envolvemos e aconteceu, a gente ficou e deixamos claro que não queríamos nós apegar tanto, porém não foi isso que aconteceu. Porém eu vinha passando por problemas devido ao meu término recente e vi que estava ali só por estar mesmo. Comecei a pensar e fui me afundando numa depressão profunda e amarga, porém não quis demonstrar isso, eu gostava muito dela e sabia que na idade dela não tinha porque envolver-la em algo desse tipo, afinal queríamos curtir. Passando um tempo minha mãe sabendo da minha situação me chamou pra ir morar com ela no nordeste, sem chão e sem nada resolvi ir sem hesitar. Expliquei para a D. que teria que ir embora pois não tinha mesmo condições de me manter nas condições emocionais que eu estava. Ela entendeu e compreendeu, sempre fomos muito sinceros um com o outro. Fui embora de coração partido por deixar a cidade e pessoas muito importantes pra mim pra trás. Chegando lá não consegui me adaptar e cai em depressão profunda, o único motivo pra eu sair da cama era comer e fumar cannabis. Passado um tempo comecei a me sentir mais disposto, saia pra passear beira mar, dar uns pegas bem assim dizer, uma euforia total. Cheguei a mandar mensagem pra D. Já que tinha me afastado por conta da depressão, porém ela tinha voltado com o ex, segui em frente afinal oque mais me importava era se ela estava feliz ou não. Passado uns 2 meses entrei em uma crise psicótica devido ao uso de cannabis. Passei por avaliação psicológica e fui encaminhado pra uma clínica. Foram os piores dias da minha vida, porém aprendi muita coisa ali. Eu já não queria mais morar lá no nordeste então saindo da internação resolvi fazer uso de drogas denovo sabendo que assim minha mãe me mandaria de volta pra minha cidade aqui no sudeste. Voltei e continuei a usar contrariando todo o tratamento da doença (esquizofrenia) uma simples tendência nada que me tornasse incapacitado de lidar com a sociedade. Certas vezes cheguei a sair e esbarrar com ela pelas ruas, cruzamos olhares mais ela ainda estava com ele e eu pensava que ela estava feliz e não queria estragar isso. Passado um tempo me atacou outra crise e resumindo segui pra uma internação mais severa agora aqui no sudeste e parei com o uso de drogas pra não atacar crise de novo. Fiquei um ano focado em trabalhar e cuidar de mim se manter relação amorosa com ninguém, isso foi ano passado. Um amigo em comum que namora uma amiga dela me disse que esses dias elas estavam conversando sobre mim, que ela aparentemente estava tendo um mal relacionamento com o namorado dela e disse que ela nunca me esqueceu e que gostava de mim depois de todo aquele tempo. O amigo me disse pra mandar mensagem pra ela, passado alguns dias eu criei coragem e mandei um oi pra ela no wpp. Sem resposta eu pensei, ela deve estar se acertando com ele, melhor eu deixar quieto. Passado mais alguns dias respondi um storie do instagram, não passou muito ela me respondeu com um emoji, logo voltamos a nos falar cada vez mais e mais. Perguntei se ela tinha terminado e ela disse que sim, antes de agente voltar a se falar ainda. Numa sexta feira tomando uma cerveja ela me disse que ia dar com o irmão, eu sem muito o que fazer chamei ela pra tomar uma em casa onde nos conhecemos, e ela aceitou e veio pra minha casa, já com a intenção de ficarmos, pois havíamos conversado por mensagem. O reencontro foi algo muito especial pra mim, algo que eu não consigo explicar. Ela passava quase a semana em casa, e quando ia pra casa dela trocava-mos mensagem do amanhecer ao anoitecer, eu achava me sentia muito pressionado mas sentia que ela precisava disso pois ela havia mencionado que também tinha parado de usar drogas que ocasionaram em crises de Pânico ou ansiedade não sabemos ao certo pois ela não quis ir ao médico saber sobre. Ela vinha tendo crises com certa frequência e eu sempre ajudei como pude, quando estava longe eu tentava distrair-la, quando perto abraçava, conversava, contava algo engraçado até passar tudo. Com um mês pedi ela em namoro durante uma festa que fazíamos em casa, ela aceitou, ficou emocionada ao meu ver, pois havia relatado que ninguém nunca tinha feito aquilo com ela, pusemos as alianças e comemoramos aquele dia. Ela passava muito tempo em casa e eu e meu irmão estávamos desempregados no momento, logo conversamos que ela vinha um dia da semana pra casa e nos fins de semana pra não pesar pra ninguém como havia combinado com meu irmão, conversei com ela e foi sem problema mas sempre ela inventava algo como está tarde ou vai chover ou que se sentia bem em casa comigo, pois o pessoal de casa sempre gostou dela e tratou ela super bem, entao eu ficava sem jeito de pedir pra ela ir pra casa dela. Mas sempre expliquei pra ela que quando eu pudesse eu traria ela pra morar comigo aqui, ela sempre ajudou como podia, não tinha dinheiro pois não trabalhava e eu ainda estava sem serviço pois nosso negócio estava parado por conta da troca de estação. Passando algum tempo realizamos a venda de um imóvel rural, recebi um bom valor da minha parte e sempre combinamos que quando o negócio voltasse a rodar iríamos trabalhar pra fazer esse dinheiro render então decidi pegar o resto das coisas dela , até isso acontecer aproveitamos muito, bebemos muito e curtimos muito, sempre comprei coisas pra comer sem necessidade, porém comprei muita coisa necessária também como roupas pra nós dois, comprei maquiagem pra ela, escova progressiva pro cabelo, trocamos de celular, comemoramos aniversário fomos em festas antes dessa pandemia é claro, aos pouco vi ela ficar cada vez mais linda de que quando a conheci. No caminho dessa curtição sempre reparei nas atitudes dela comigo, principalmente quando bebia ela me desagradava com certas atitudes, eu ficava extremamente magoado com aquilo e sempre me abri com ela e expliquei que aquilo me magoava muito. Coisas como, você tá parecendo meu ex, amigos que dava em cima dela eram melhores que eu, ou em certa conversa expliquei pra ela que ela me devia respeito, pois sempre respeitei ela e fiz o que ela queria, ela nunca teve quem fizesse essas coisas por ela, então eu fiz tudo na melhor intenção e felicidade por fazer ela feliz, ela me disse que não tinha por que me respeitar. Nós não éramos mais namorado, ela já estava morando comigo há mais de 4 meses, éramos praticamente marido e mulher, claro que tinha que ter respeito um pelo outro poxa. Sempre tivemos biometria do celular um do outro como sinal de confiança mas nunca olhei seu celular, uma vez ou outra só quando queria saber oque tanto fazia ali, e ela fazia também quando eu dormia eu acho, pois não via ela mexendo, até aí normal, apesar dos apesares sempre nos demos muito bem e eu achava que éramos felizes. Mas de nesses últimos 2 meses, reparei que ela já não se divertia muito diretamente comigo, só quando não tinha mais ninguém mesmo, se tivesse algum parente dela ou meu bebendo com a gente ela era totalmente radiante e feliz. Se eu for parar pra contar tudo que eu reparei com certeza vai ficar muito maior esse texto.. Continuando, mais precisamente a umas 3 semanas fomos a um aniversário do cunhado dela que eu sempre vou considerar como se fosse da minha família, inclusive sou muito grato a ela por ter conhecido ele e também a minha cunhada que é namorada dele e irmã da D. Enfim fomos a festa e chegando lá estava a família do aniversariante a mãe e os irmãos que eu conhecia aliás, tem um deles especificamente denominado J. Que ela sempre me falou mal, dizia que quando ele estava com a namorada ele era c..são e dava ânsia cada vez que ouvia o nome dele, porem recentemente a parceira dele largou dele e foi embora do estado. Até aí tudo bem, ele foi super simpático comigo, porém notei ela muito simpática com ele. Naquela noite fiquei assando carne na garagem em baixo onde se encontrava a maioria do pessoal, e ela distante de mim, direto lá em cima conversando com os irmãos do cunhado e nada de me dar atenção, percebi mas nem falei nada pra não ficar um clima chato na festa e nem começar uma briga com ela. Festa acabando chamei ela pra ir embora que a irmã dela ia levar a gente, ela estava jogando futebol no game com os irmãos do cunhado dela, e não me deu ouvidos direito, disse que estava vendo alguém jogar, eu falei vamo que o carro tá ligado já, ela disse que já ia, desci e falei pra irmã dela chamar que ela não queria vir, a irmã subiu, logo ela desceu, ao sair do portão torceu o pé, estava bem embriagada, todos estávamos, durante o caminho veio dormindo e chegou em casa subiu as escada deitou na nossa cama e logo adormeceu. No domingo ela acordou com o pé super inchado me chamou e eu perguntei se ela queria ir ao hospital ela disse que não, depois disso no meio do dia meu sogro liga pra ela perguntando se não queria ir na casa dele, disse que era melhor não ir por casa do pé, ela não gostou então fomos mesmo assim, bebemos rimos muito aquele dia, tudo normal, chegando em casa cuidei dela devido a pé e ficamos de boa, estava tudo normal aparentemente, na segunda ela ficou o dia inteiro no quarto devido ao pé inchado, na terça disse que iria na irmã dela e que a mãe ia lá e queria passar o dia lá, normal pra mim, antes de sair meu irmão havia pedido pra ela separar algumas peças que foram vendidas, ela disse que faria assim que chegasse. Na sexta feira antes disso meu avô havia sofrido uma queda e bateu a cabeça forte, no sábado do aniversário ele havia passado mal da pressão e ido ao hospital, desde então eu já estava aflito com essa situação e ela nem pra perceber, foi mesmo assim pra casa da irmã, no meio do dia me manda uma mensagem dizendo que o pé inchou, perguntei pra onde tinha andado ela disse que tinha ido ao mercado de apé, já fiquei meio irritado, pois há algum tempo ela já não ajudava nas tarefas de casa direito, coisa que sempre fiz independente de estar trabalhando ou não, paras as obrigações fazia corpo mole, pra se divertir era a primeira a agitar, blz. Me mandou uma foto do pé inchado, logo em seguida falei "quero ver essa disposição aqui em casa" e mandei uma palminha sobre a foto. Meu avô havia ido ao médico e eu estava extremamente preocupado. Não conversamos o resto do dia, mais ao anoitecer ela chega em casa me dizendo que tinha que voltar lá na irmã pra cortar a franja, só olhei e não respondi, por tamanha indignação com as preocupações minhas comparadas com as dela, que já não se importava muito com o que eu sentia e afins. Depois daquele dia ela se fechou e não saia do quarto nem pra comer, e direto eu vinha ver como ela estava, quando ela não estava vendo algo no celular estava jogando com o J. quem ela sempre falou mal, e estava rindo com o cara, toda hora conversando, e comigo nada de conversa, ia dormir tarde conversando no wpp e jogando, rindo com os outros e eu nada, fui ficando extremamente magoado e nervoso com isso tudo, cheguei a ter batedeira e tremedeira de nervoso, sensação de desmaio, fraqueza, decidi então ocupar a cabeça com serviço, enquanto ela ficava no quarto isolada falando só com quem ela queria eu me distraia com outras coisas. Na sexta feira resolvi puxar assunto com ela no wpp, já que ela não saia de lá, logo ela me respondeu e conversamos, disse a ela que não dava pra continuar desse jeito e ela concordou, eu também disse que desconfiava que havia algo errado ( mais uma coisa de intuição ou pressentimento não sei explicar) , ela me disse que eu tava viajando já, um pouco também é pelo fato de ela colocar o celular debaixo do travesseiro antes de dormir, coisa que nunca aconteceu e eu achei estranho mas nem falei sobre isso, durante a conversa me disse que tinha uma bagunça dentro dela que a vida dela era um caos e não queria me envolver nisso tudo, que cansou de fingir que tava bem e precisava pensar na vida, que tinha que ficar um tempo sozinha pra ver oque ela tava fazendo da vida dela????? Como assim? Depois de tudo que passamos que "conquistamos" , tudo que curtiu , dizia que me amava e eu também dizia, aliás ainda amo, cadê aquele amor todo que tinha me dito que tinha? Que nunca me esqueceu? Que eu era a melhor coisa que tinha acontecido na vida dela? Que eu era o homem que ela pediu pra Deus? Que eu ninguém tratou ela como eu tratei? Passou mais um dia, enfim logo ela mudou de assunto e desceu ajudar minha cunhada com umas coisas de casa, foi até mim, disse que me amava, me deu um beijo, e disse que havia melhorado um pouco, mais a tarde eu ainda trabalhando perguntei a ela, e aí tá de boa? Ela me respondeu.. Sinceramente não tô não.. Disse a ela que a hora que eu subisse conversaria Ela perguntou se podia chorar, pois estava com uma vontade gritante fazia tempo Disse que sim, que as vezes tudo que precisa é desabafar e fazer isso mesmo Eu subi, cheguei no quarto e liguei a TV e coloquei algo pra tocar num volume mais ou menos, abracei ela bem forte deitado na cama, e senti ela chorando bem baixinho pra não perceber, ali eu me senti muito mal mas muito mesmo, porém a gente havia conversado e ela me disse que não foi nada que eu tivesse feito ou falado pra ela, do contrário, era coisa dela e ela não queria me envolver, enfim ela terminou de chorar veio até mim e nos beijamos intensamente, sentou no meu colo e continuou me beijando, cheguei a pensar que transariamos. Ela saiu de cima e estávamos conversando sobre nada específico que envolvesse nossos sentimentos, ela me perguntou se eu tinha entrado no jogo que sempre jogamos juntos pra coletar recompensas eu disse que não e pedi pra ela pegar meu celular pra eu poder fazer isso, entrei lá e logo o J. estava online e me chamou pra jogar, joguei com ele na boa pq já tinha combinado, e perguntei a ela se ela queria jogar, sem hesitar ela entrou com a gente, jogamos até altas horas e foi bem divertido. No dia seguinte estávamos conversando normal e tudo até que um amigo em comum avisou que teria um churrasco de aniversário na casa dele a noite e teria chamado também a irmã dela e o cunhado, logo encaminhei pra ela e ela disse que tinha combinado almoço na casa da mãe do cunhado dela onde reside o J., falei mais eu nem sabia que se tinha combinado isso, e outra dava pra ficar pra outro dia, já percebi que ela não gostou e parou de falar comigo, subi no quarto pra trazer comida pra ela pois ela não havia saído do quarto, cheguei ainda amoroso e disse comprei algo pra você comer, ela disse que não tava com fome e não olhou na minha cara, pensei poxa denovo isso..algum tempo depois entrei no quarto ela rindo e jogando denovo com o mesmo cara, enquanto eu resolvia as coisas pro aniversário e trabalhava. Pouco antes de me arrumar entrei no quarto a mesma situação, não me senti mal exatamente por ela estar jogando e rindo com ele, fiquei meio chateado por que ela me ignorava. Enfim varou a tarde jogando e tive que pedir pra ela se arrumar se não nós atrasariamos, fez cara e se arrumou, e seguiu seca e meio calada igual a semana inteira, fomos para a festa.. Chegando lá se divertiu e tirou foto com todo mundo menos comigo..depois de um tempo ela me disse que estava passando mal e queria ir embora, trouxe ela em casa que é perto e pedi pra ela comer algo quando chegasse pra não acordar passando mal com dor de cabeça Ali eu tomei a decisão de fazer como se fosse um dia em que eu pudesse extravasar, Bebi como se não houvesse o amanhã, fui até 10 horas da manhã bebendo.. chorei muito desabafei muito com a minha cunhada que sempre foi parceira e amiga em tudo, inclusive da D. Subi e descansei, não vi ela acordar e quando acordei ela estava no banheiro, desci e continuei bebendo e pensando em tudo. Fiquei o dia sem inteiro sem entrar no quarto..quando entro me deparo com ela mais uma vez jogando e rindo com o cara, depois disso comecei a tremer e sentir batedeira denovo. Conversei com alguém e fui tomar um banho pra acalmar. Funcionou, entrei no quarto e acho quel ela percebeu que eu saí nervoso logo ela saiu do jogo. Na segunda feira ela ia repetir o mesmo esquema da semana passada e ia me ignorar..passei o dia inteiro pensado sobre o que fazer e como fazer e decidi subir pra conversar. Cheguei no quarto ela estava com a toalha ao lado..perguntei se ela iria se banhar ela seca me disse "vou"... Disse que a hora que ela voltasse precisaríamos conversar.. Ela voltou do banho e sentou na cama e disse.. Vai solta a letra.. Já rebati..é assim mesmo que você fala? Tem certeza que quer começar uma conversa assim? Ela disse não,, foi mal diz aí oque se quer Perguntei eai? As coisas vai ficar assim mesmo? Se não quer falar comigo, só ri e conversa normal com os outros? Ela disse eu não tô falando com ninguém 🙄 Já parei a conversa e falei ... Ó assim não dá nao...faz um favor e só arruma outro lugar pra você ficar e pode ir embora.. Sem hesitar ela disse hoje mesmo eu faço isso! Me doeu muito ter que dizer aquilo.. Mas para ela foi como se já tivesse esperando.. Então me dirigi a porta e disse, me faz um último favor? Ela disse hum? Falei.. Isso que você fez comigo, não faz com o próximo não.. é feio e é muito errado... Ela balançou a cabeça e disse... Tá bom Desci e fiquei inquieto lá em baixo, minha vontade era subir e falar tudo que estava e estou sentindo agora.. Ela me pediu pra ajudar a encontrar as chaves da sua casa, subi e quando abri a porta ela estava sentada chorando muito...aquilo me partiu o coração, mesmo assim encontrei as chaves e entreguei a ela.. Sentei ao lado dela quieto e esperei pela carona dela.. Pouco antes de ir me pediu um abraço. Nós abraçamos e nos beijamos uma última vez e enfim ela foi embora.. No dia seguinte atualizou seu status pra solteira nas redes sociais e posta indiretas como coisas do tipo a dar entender que já está em outra e isso tem me magoado profundamente.. Eu tenho tanto ainda pra falar..mas estou digitando faz horas.. Fica aqui um desabafo +
submitted by leepz2019 to desabafos [link] [comments]


Manu Gavassi pedindo o boy em namoro! AMORE, DIGA O QUE VOCÊ QUER O Que Você Faz Quando ELE NÃO QUER NADA SÉRIO?  Coach de ... 6 SINAIS DE QUE SEU RELACIONAMENTO VAI TERMINAR Você quer namorar? 5 SINAIS QUE VAI DAR NAMORO O pedido de namoro é importante? TUDO QUE VOCÊ QUER SABER SOBRE NAMORO! - YouTube

O que é um namoro? - Sobre Relacionamento

  1. Manu Gavassi pedindo o boy em namoro!
  2. AMORE, DIGA O QUE VOCÊ QUER
  3. O Que Você Faz Quando ELE NÃO QUER NADA SÉRIO? Coach de ...
  4. 6 SINAIS DE QUE SEU RELACIONAMENTO VAI TERMINAR
  5. Você quer namorar?
  6. 5 SINAIS QUE VAI DAR NAMORO
  7. O pedido de namoro é importante?
  8. TUDO QUE VOCÊ QUER SABER SOBRE NAMORO! - YouTube

7 sinais que o namoro não vai dar certo - Pe. ... SINAIS DE QUE ELE NÃO QUER NADA SÉRIO COM VOCÊ ANAHY D'AMICO - Duration: ... 10 Sinais De Que O Seu Relacionamento Não Vai Dar Em Nada ... Amore, me diga o que você quer. É namoro ou contatinho? Sejamos sinceros com o outro e principalmente, com nós mesmos. TENHA OS MEUS LIVROS: SEJA O AMOR DA SUA VIDA: https://amzn.to/2NIDA6O O ... ↓↓↓↓↓ MAIS INFORMAÇÕES ABAIXO ↓↓↓↓↓ PILGRIM COM DESCONTO AGORA! SÓ ESSE MÊS! https://register.thepilgrim.com.br ----- ACESSE O SITE: https ... O namorado da Manu Gavassi do BBB20 foi até a Casa de Vidro dizer que aceita o pedido de namoro - Duration: 6:46. Stories Central 161,827 views Será mesmo que o tal pedido de namoro para formalizar um relacionamento é tão importante? Ainda mais pra homem? ... ATENÇÃO SE ELE NÃO QUER ASSUMIR COM VOCÊ - Duration: 4:56. Maria Fernanda ... Esse vídeo é para quem deseja um namoro sério, está procurando a pessoa certa e desejando fazer a experiência de um amor verdadeiro. Fernando Gomes traz dicas incríveis que certamente vão ... Baixe agora o meu Guia Gratuito 5 Técnicas para Chamar a Atenção de Um homem: http://www.luizavono.com/guia-5-tecnicas/ ----- Eu sou Luiza Von... 10 Sinais De Que O Seu Relacionamento Não Vai Dar Em ... 7 sinais que o namoro não vai dar certo - Pe. ... Projeto Luz e Vida 5,621,615 views. 6:53. 6 MOTIVOS PARA VOCÊ DESISTIR DELA E PARTIR ...